Primeira relação aos 20

No pronunciamento de hoje, Wilson Witzel afirmou que o contrato firmado entre a primeira-dama, Helena Witzel, com o Hospital Jardim Amália (Hinja) 'é uma relação que antecede muito a minha posse como governador', que vem desde 2016. Mas seria importante que Witzel provasse que essa relação é de fato antiga e lícita... 25/08/20 - 13h23 - Atualizado em 25/08/20 - 17h08 ... da família da deputada federal Flordelis tinham privilégios em relação aos outros filhos adotados pela pastora. No total, a casa de ... Aos 46 anos, Alexandra Grant explica por que assumiu os cabelos brancos Notícias ao Minuto · Atualidade · 10 jan 2020 12:18 Keanu Reeves 'apanhado' sozinho a deliciar-se com um gelado A atriz de 'A Lagoa Azul' teve a primeira relação sexual aos 22 anos com Dean Cain, que interpretou o Super-Homem do seriado 'Lois e Clark: As Novas Aventuras do Superman'. Ela chegou a declarar que por ser católica, sentiu-se culpada e saiu correndo assim que chegaram ao fim do ato. Aos 53 anos de idade, Narcisa Tamborindeguy revela que terá a primeira neta e Glória Maria se empolga. Confira as celebridades que foram avós jovens! A primeira vez da diva pop foi aos 20 anos, e ela se lembra desse dia com muita clareza, como revelou em sua autobiografia: 'Foi em Dublin, naquele dia inesquecível de 30 de abril de 1988... A primeira vez que se tem relações sexuais é um momento especial. O sexteen partilha algumas opiniões e ajuda a perceber o que acontece. EM relação aos óbitos, ainda há crescimento expressivo no Rio de Janeiro (69%), Goiás (48,3%) e Rio Grande do Norte (39,2%), Uma análise temporal dos estados com maiores altas de casos mostra Mato Grosso do Sul ainda em disparada, Tocantins em alta e Goiás começando a estabilizar na alta. 'A minha primeira relação homossexual foi aos 18 anos, uma relação de um ano às escondidas. Ninguém sabia', contou ainda. Seguiram-se outras relações, mas apenas aos 24 anos esta se sentiu preparada para assumir aos pais que é homossexual.

7 dicas alavancar as vendas da academia em épocas de baixa

2020.09.28 16:00 Vedovati_Pisos 7 dicas alavancar as vendas da academia em épocas de baixa

O mercado de academias costuma ser conhecido por ser sazonal com duas safras por ano e duas épocas de entressafras. O exato momento do ano que essas safras ocorrem, dependerá muito de qual região do país estamos falando.
Só para citarmos um exemplo, enquanto em cidades como Florianópolis a baixa ocorre em janeiro e fevereiro nesses mesmos meses São Paulo aproveita sua primeira grande safra. As academias paulistas bomba no inicio do ano.
Mas em geral, é importante que os gestores de academias em todo pais tenham em mente que o Brasil possui 2 momentos de pico de visitação. Outros fatores que influenciam
1 – Identifique quais as épocas de alta e baixa em sua academia
O primeiro período de alta consideramos o mais importante. Ele costuma durar entre 3 e 4 meses. O segundo momento de pico é curto com duração média de dois meses. Vale ponderar que em algumas regiões, esse tempo pode durar ate 3 meses e é esse que faz o pior dano na economia da academia.
2 – Compare os resultados e conquiste melhores resultados
As academias devem ser medidas visando o que ocorreu no ano passado e estabelecer as curvas que ocorreram no ano anterior em relação às vendas e saída de clientes.
Através dessa estratégia, os gestores conseguem perceber quais as expectativas dele em relação ao mesmo período do ano anterior ou mesmo se seus esforços estratégicos surtiram efeitos.
3 – Descubra quais as curvas de visitação em sua academia
É primordial que os gestores identifiquem e entendam bem quais são as curvas de visitação. Isso é muito importante porque todas as campanhas que serão criadas e
implantadas, inclusive as sazonais, têm que ser programadas com ate 60 dias de antecedência.
O motivo é preparar o material, realizar parcerias enfim para que as coisas ocorram como realmente devem ocorrer pensando em um planejamento mínimo capaz de eliminar a entressafra no sistema de gestão mais inteligente.
4 – Mude a fachada para chamar a atenção de quem passa
Uma vez identificada quais as épocas de maior baixa em sua academia, você pode aproveitar para realizar uma mudança de fachada, por exemplo, fazendo uma nova pintura.
Uma estratégia simples, mas que poderá chamar a atenção das pessoas, mesmo aquelas que sempre passaram por ali, aumentando suas visitas em 15%.
5 – Mantenha um banco de dados atualizado
Uma situação interessante, que você gestor deve se atentar é que para cada cliente ativo em sua academia outros dez já passaram por ela.
Por essa razão, é importante manter a base de dados bem alimentada.
A cada novo visitante, anote seus dados, principalmente os de contato, para que posteriormente você crie eventos e campanhas para convida-los a usufruir de seus serviços em épocas de baixa procura.
Essa ação é indicada, por exemplo, como uma das estratégias para conquistar clientes que nunca pisaram numa academia.
6 – Conquiste os clientes que já passaram
Recomendamos começar pelas pessoas que deixaram a academia há um ano ou mais, pois quanto antes você coletar seus dados mais precisos e eficientes eles serão para uma futura estratégia de convites. E creia, você ira precisar disso.
Essa pratica deve se tornar parte integrante nas abordagens realizadas por suas recepcionistas. são os dados devido a mudança das pessoas de endereço, telefone etc.
Parte dessas pessoas que você entra em contato podem estar praticando atividades físicas em outro lugar e é legal focar nas que saíram em 1 ano e 2 anos para serem o alvo principal.
Normalmente esse numero é o mesmo do de clientes que você tem durante um ano na academia.
Estatisticamente, se fizer um contato bem feito, com argumentações bem elaboradas e eventos bem elaborados você conseguirá que pelo menos um de cada dez contatos venham para a academia e realizem a matricula.
7 – Convide seus alunos a convidarem seus amigos
Outro tipo de campanha forte e envolvente é fazer com que seus alunos convidem seus amigos para a academia. Porem, no caso de época de baixas, o que deve ser oferecido como incentivo tem que ser mais do que apenas um free pass de 1 a 15 dias.
Junto com os dias livres, pode ser organizado um evento ou encontro, que fale de bem estar ou qualidade de vida. Ofereça também algo concreto, por exemplo, uma avaliação física gratuita e mais 15 dias de academia com acompanhamento especial para definir seus objetivos e torna-los possíveis de alcançar.
O premio nesse caso tem que ser dado para a pessoa que trouxe esse cliente para o evento que seria um cliente vendedor.
A estatística mostra quando isso é muito bem feito você consegue trazer para cada cliente que tem na sua academia pelo menos mais uma venda acontece.
Se somarmos as duas campanhas que atingem públicos diferentes teremos 20% total dessa academia e isso bem feito deveria eliminar a necessidade de você fazer mais coisas embora há diversas possibilidades.
Os melhores pisos para a sua academia estão aqui!
Nossos pisos para academias trazem beleza, resistência, praticidade e economia. É tudo o que você precisa para a sua academia !

https://www.vedovatipisos.com.bnoticias-artigos/alavancar-as-vendas-da-academia/
submitted by Vedovati_Pisos to u/Vedovati_Pisos [link] [comments]


2020.09.28 10:24 UninformedImmigrant U wot m8? Estórias de um gajo que se mudou para o UK [Capítulo 2: Que se lixe isto, vou comprar um carro]

Olá amigos. Hoje vamos falar de carros, um assunto que me é muito querido.

Take-Aways Principais

Driving is love, driving is life

Quando tinha 14 anos os meus pais deram-me uma motinha de 50cc velhinha. Tinha dezenas de milhares de quilómetros, estava a precisar de algum trabalho, gastava muita (MUITA) gasolina, mas era minha. A partir desse dia tornei-me independente: tinha a possibilidade de ir onde quisesse, quando quisesse. Toda a cidade passou a estar acessível no espaço de minutos e não horas, e as aldeias envolventes em "meias horas" e não horas. Deixei de ter que pedir para que me levassem aos sítios, passei a ir quando queria ou precisava. Com algum dinheiro da mesada podia ir saindo com os amigos e começando a ter uma vida mais "adulta". Pouco tempo depois, ainda por volta dos 14, aprendi a conduzir carros também (em estradas privadas, claro).
O valor desta transição é absolutamente imensurável no desenvolvimento de um miúdo. Passa a haver responsabilidade. Quando tinha acidentes, o que acontece de certeza, a culpa era minha e havia consequências. O corpo doía, a mota aparecia riscada e a precisar de reparações, e o que não conseguisse fazer eu tinha que encontrar forma de pagar. Os vizinhos queixavam-se do barulho. Quando chovia chovia-me em cima, e quando fazia frio de manhã a mota não queria pegar. Mas! Quando queria ir ao Continente comprar doces podia ir, quando queria ir visitar o meu pai não tinha que pedir boleia a ninguém, e por aí fora.
A experiência de começar a conduzir muito cedo, particularmente no ambiente "controlado" de uma cidade pequena, serve também para desenvolver algum instinto (à falta de melhor expressão) para a condução, nomeadamente para as duas partes fundamentais que as constituem:
Eu não sei como tem sido ultimamente, mas o processo de obter a licença dos 14 anos há quase 20 anos atrás era ridiculamente simples. Eu sinto que isso não é necessariamente mau, pois reduz a barreira de entrada à condução numa altura em que ainda é possível ganhar aquele "jeito" para a condução sem se tornar uma coisa estrangeira e forçada. Tudo somado, foi facilmente uma das experiências que mais serviram para me fazer crescer naquela altura, e algo que pretendo certamente incutir em infelizes filhos que alguma vez venha a ter.
Quando fiz 18 anos deram-me um carro (muito) velhinho para as minhas voltinhas em Coimbra, para onde iria estudar. Mais uma vez, é um privilégio: era muito velhinho, o seguro era baratinho e o imposto também, mas mesmo assim nem toda a gente conseguia ter o seu próprio carro. Por ter carro nunca precisei de usar os autocarros muito regularmente, o que me permitiu poupar noutras coisas: podia fazer as minhas próprias mudanças quando mudava de casa, podia participar em actividades extra-aulas com mais facilidade, etc etc. Fui quase sempre designated driver, mas sempre foi uma responsabilidade que aceitei com muito gosto: é bom de ter a oportunidade de levar os meus amigos a casa em segurança no fim de uma noite de castanhada. Se eu próprio quisesse participar na castanhada, a Maria normalmente voluntariava-se para trazer o carro para casa.
Ter um carro velho, sem modernices como sensores (ahah), GPS, rádio (exacto), direcção assistida ou ABS, permitiu-me fazer certas coisas. Com a liberdade de experimentar, pude tentar fazer várias reparações eu próprio; notavelmente, o disco de embraiagem que neste momento está nesse carro, que ainda anda, fui eu que o coloquei lá. Pude também fazer uso de alguns baldios que há em Coimbra e arredores para aprender a controlar o carro em situações mais extremas; uma espécie de curso de condução em condições adversas do homem pobre. O que é que acontece se tiver que fazer uma travagem de emergência em piso escorregadio? Como compensar a falta de ABS caso as rodas tranquem? E se a traseira deslizar?
Conduzir, para mim, não é um privilégio nem uma mania nem um capricho. É uma das pedras basilares da forma como lido com o dia-a-dia, uma forma inalienável de independência. O transporte pessoal é uma extensão do meu corpo e conduzir é um escape muito, muito importante.

Viver no campo sem carro

Durante os primeiros 6 meses que passei no UK tive que viver sem transporte próprio; apenas conduzi carros alugados por curtos períodos para ver casas ou fazer mudanças. Usei esses meses para me ambientar, deixar passar o primeiro inverno, estabelecer-me no trabalho e tratar de todas aquelas burocracias que discutimos no capítulo anterior. Aguentei todo esse tempo graças ao facto de a empresa para quem trabalho oferecer um serviço de shuttles para funcionários, que liga o campus às cidades e vilas mais próximas, numa das quais eu vivo. Isto permitiu-me não me preocupar com transportes para o trabalho durante meses, o que foi uma benesse incrível.
Estes primeiros meses foram de adaptação, de exploração e de cometer erros parvos. De aprender a perceber os Ingleses, como se comportam nas coisas mais básicas, e de me tentar misturar com eles com sucesso. Eu optei por viver no campo (i.e. significativamente fora das cidades grandes aqui à volta) por várias razões:
Tirando as viagens casa-trabalho-casa, a minha mobilidade estava muito reduzida. Ir a qualquer lado envolvia caminhar uma distância suficientemente grande para me chatear, no mínimo até à estação dos comboios e depois outro tanto onde quer que fosse. Ir às compras era um pau no cu porque tinha que as arrastar pelo monte acima até casa, pelo menos até descobrir que os supermercados entregam em casa por um preço muito muito razoável.
E depois há a rede de transportes. Eu adoro andar de comboio, mas infelizmente aqui é impossível. Nós somos dois, e ir à cidade mais próxima custa-me, pelo menos, umas 20 libras em bilhetes de comboio. Para comparação, demoro uns 25min a chegar lá de carro (mais ou menos o mesmo) e gasto talvez 2 ou 3 libras de combustível. Já para não falar no congestionamento a certas horas, em que não só os bilhetes são estupidamente mais caros, como temos que fazer a viagem toda em pé. Viagens grandes então nem se fala! Eu quero ir à Escócia ver se encontro a Nessie, e a viagem de comboio para 2 pessoas, ida e volta, ia-me custar facilmente 1000£!! Os comboios em si são espectaculares; fazem os nossos velhinhos Intercidades parecer ainda mais velhos e merdosos do que são mesmo.
Aos autocarros aplicam-se comentários semelhantes, com algumas agravantes. Não só são caros como tendem a não andar a horas, são populados com as pessoas mais nojentas que se consiga imaginar, e devem ser limpos à saída da fábrica e nunca mais.
Se calhar sou eu que sou maniento, se calhar acham que sou um snob mal habituado que anda de cu tremido desde cachopo, se calhar acham que devia era viver uns anos sem carro para ver o que é bom. Eu cá acho que paguei as minhas favas e agora mereço andar de carro até me doerem os joellhos. Eu antes quero poder ter carro e viver deslocado da cidade, do que viver no centro e andar no meio do magote enfiado em autocarros bolorentos e metros a cheirar a mijo. São escolhas. Não vejo grande apelo na "vida cultural" da cidade, da qual até posso desfrutar pegando no carrito e indo lá ver o que é o quê.

Comprar um carro

Um dia destes, com a conta do banco recheada de dinheiro de devolução de impostos, decidi que estava na hora de comprar um carro. Andei a ver carros novos e usados, e decidi que o hot hatch era para mim. Algo na vizinhança das 20000 libras, 10 pagas à entrada e outras 10 pagas em prestações durante uns 3 anos. Parecia-me razoável, estava bem dentro dos limites do que podia pagar e não me impedia de ir chegando aos meus objectivos de poupança.
Marquei um test drive e apanhei um comboio até ao stand. Chegado lá, aproveitei para fazer todas as perguntas e mais alguma ao vendedor, entre as quais como funcionaria o financiamento. Aí ele entregou as más notícias: com menos de 3 anos de residência, é virtualmente impossível conseguir financiamento para um carro, muito menos naqueles valores. Chateei-me, chamei um taxi e fui-me embora sem muito mais conversa. Fiquei fodido. Ainda verifiquei junto do meu banco com esperança da que eles, sabendo quanto ganho, etc, fizessem um jeitinho. Os valores a que me podia candidatar era muito mais baixos do que alguma vez funcionariam, por isso desisti do financiamento. Pela primeira vez na minha vida, ia comprar um carro a pronto.
Passei umas semanas a estudar melhor o mercado de usados. Andei a ver no autotrader [1], aparentemente o site mais popular de anúncios de carros. A primeira coisa em que reparei foi o quão mais baratos os carros são aqui que em Portugal. Eu sempre achei os carros usados caríssimos em Portugal, mas isto trouxe à luz o quão roubado o tuga médio é quando compra um carro. Para terem uma ideia, um familiar meu tinha comprado um carro por 5000€ (valor ajustado ao mercado) pouco antes de me mudar para cá. O mesmo carro, mesmo ano, mesmo trim level, com menos quilómetros, aqui custava 750£. Telefonei-lhe a gozar com ele, foi incrível.
Então decidi que o meu orçamento seria os tais 10k que pretendia originalmente dar como entrada. Deixei de parte a ideia do hot hatch para poder comprar algo mais recente, pois queria um carro com 2 ou 3 anos no máximo. Este limite não era tanto por cagança, mas porque queria apostar mais na fiabilidade do que noutros aspectos. Um carro mais novo, com menos quilómetros, tem uma probabilidade menor de me dar problemas no início, o que me compra tempo para conhecer o panorama de oficinas aqui à volta, o que esperar do seguro, etc. Pequeno, novo, simples, fiável; fui à caça
Há um conjunto de coisas a ter em atenção quando se procurar um carro usado:
Curiosamente, acabei por comprar o meu carro no mesmo stand onde fui antes, ao mesmo vendedor que me tinha entregue a triste notícia sobre o financiamento. Ele ficou impressionado por me ver de volta, mas a vida tem dessas coisas. Apenas fiz um test drive, e comprei imediatamente o carro. Pode parecer precipitado, mas:
bom negócio. Um bocadinho acima do valor de mercado segudo o autotrader, mas nada de muito preocupante.
Ficou marcado ir levantar o carro dali a 2 dias, e entretanto teria de tratar do seguro. Eu já tinha feito algumas simulações de seguros, portanto sabia o que esperar, mas mesmo assim achei caro: quase 1000£ ano para o seguro de um carro pequeno. Entretanto tenho explorado melhor o assunto, e parece que o mercado de seguros no UK sofre de graves problemas:
Para tornar o sistema verdadeiramente insultuoso, há seguradoras que oferecem potenciais descontos se instalarmos no carro um tracker da sua eleição [4]. Ou seja: cobram o que quiserem e ainda querem saber onde ando e a que velocidade ando, e se eu conduzir "bem" segundo lá os critérios deles, fazem-me um desconto; se não gostarem da minha condução sobem-me o preço. Naturalmente, mandei-os passear e paguei mais por um seguro sem tracker. Honestamente, acho a mera proposta de me deixar espiar por um potencial desconto no seguro nojenta: é o reflexo de um sistema profundamente partido. Ninguém diz a um português o que é conduzir "bem", caralho.
O seguro do carro trata-se todo online, o que para mim é muito estranho, e até se pode verificar online se o carro tem seguro [5]. Os comparadores de preços [6] são nosso amigos, mas cuidado com eles por vezes; já li casos de pessoas que tiveram apólices canceladas por tentarem muitas comparações com detalhes ligeiramente diferentes (infelizmente não encontrei uma ref para esta, mas penso que foi no /LegalAdviceUK). Correndo o risco de me repetir, o sistema de seguros auto aqui está profundamente desregulado e a precisar de alguém com tomates para o resolver. Certamente não será o BoJo.
No dia em que levantei o carro:
Dias depois recebi o novo V5C em meu nome. O V5C é uma espécie de livrete, ou "documento único" se formos modernos, mas ao contrário do livrete nunca deve andar no carro pois é muito fácil transferir o V5C para outro nome sem intervenção do dono anterior. Mais curiosamente ainda, o V5C não prova propriedade do carro, apenas quem é o "registered keeper" dele. Por outras palavras, a minha única forma de demonstrar que sou dono do carro é a factura que me deram quando o comprei. Neat.
Sentei-me no carrito, carreguei no botão para arrancar o motor pensando "que modernice", e ele lá acordou. Curiosamente, só nesta altura é que me ocorreu: se calhar não era uma má ideia ir ler sobre as regras da estrada aqui. Sorte a minha, o governo tem a totalidade do Highway Code [8] disponível no site, e tenho-o lido aos bocadinhos. Mais sobre isso no próximo capítulo.
Curiosamente, não é preciso termos connosco nenhuma documentação quando conduzimos [9]. Os Ingleses têm uma abordagem diferente da nossa no que toca à documentação; é tudo guardado em bases de dados do governo, e eles só precisam de verificar a matrícula contra a base de dados para saber se está tudo bem. O condutor apenas precisa de ter a carta de condução, e alguma identificação por conveniência. Eu pessoalmente costumo ter o cartão de cidadão e a carta de condução. Idealmente teria o passaporte, mas evito andar com o passaporte no bolso, e o cartão de cidadão deve ser mais do que suficiente como identificação até no mundo pós-brexit. Na realidade penso que a carta de condução por si chegaria, mas mais vale estar seguro né?
Virei proprietário do meu próprio veículo! Mais um, porque nunca vendi o bolinhas que está em Portugal.

Conclusão

Tenho que confessar que estou impressionado pela positiva com a experiência que foi comprar um carro no UK. O processo foi muito mais simples do que esperava, e praticamente tudo se tratou no stand na hora da compra. Até o seguro podia ter ficado logo resolvido, mas eu preferi fazer em casa com mais algum controlo sobre isso. Nota-se que é um sistema muito mais polido que em Portugal, pelo menos na minha experiência.
A minha relação próxima com a condução começa a entrar, infelizmente, em rota de colisão com o status quo: vivemos num mundo que cada vez menos suporta o transporte individual. Há gente a mais no mundo, e há carros a mais no mundo, há fumo a mais no mundo. Na realidade, há "a mais no mundo" de quase tudo o que é mau, pessoas incluídas. Sinto que esta minha necessidade de conduzir vai brevemente bater de frente contra a necessidade global de cortar no transporte individual a favor de transportes colectivos. Até lá, vou aproveitar as espectaculares estradas de campo aqui à volta, particularmente a horas em que não estejam completamente congestionadas. Fiquem de olho, o próximo capítulo vai falar sobre a experiência que é conduzir no UK, e como é que difere do que eu esperava.
Desta feita apontei para um post mais curto que o anterior, que essencialmente parte este assunto em dois: este primeiro cobre o processo de como (e porquê) comprei o carro, e o seguinte vai cobrir a experiência de conduzir em si. Notei que o engagement no capítulo 1 foi menor que nos posts anteriores, e suspeito que ler uma epopeia tão longa não ajuda; digam-me nos comments se tenho razão.
Abraços, e obrigado por virem à minha TED talk.

Referências

Capítulos Anteriores

submitted by UninformedImmigrant to portugal [link] [comments]


2020.09.25 21:58 Vedovati_Pisos Como Domar Cavalos – O guia completo para iniciantes

Domar cavalos não é uma tarefa fácil e é recomendado que não se faça sozinho. O peso do animal e sua animosidade natural fazem com que a sua violência possa ser fatal para o homem.
Um coice de cavalo no local errado pode matar uma criança e até um homem de 100 quilos. Logo, todo cuidado é pouco.
Se você tem uma pequena ou grande fazenda, começa a fazer a incursão de cavalos em seus campos e tem dúvidas sobre como domá-los, saiba, há dois tipos de doma, a tradicional e racional.
O primeiro tipo de doma exige a velha agressividade, força e, muitas vezes, o uso da violência para poder domar o animal.
O segundo é uma forma mais racional de dominar o cavalo, usando racionalidade no lugar da violência. Em suma, tornar-se confiante para o cavalo é fundamental.
Segundo especialistas do ramo, a doma racional é mais eficaz do que a doma tradicional. Mas para isso é preciso que o dono use métodos para conquistar a confiança do cavalo e assim fazer com que ele siga suas ordens.
As técnicas para tanto são: criar exercícios que deixem claro na cabeça do cavalo a repetição de movimentos, de práticas que o façam ganhar tempo e o cansem ao ponto dele passar a obedecer os comandos.
É preciso aprender a entender o animal e trabalhar os comandos de acordo com essa percepção.
Os cavalos são animais que exercem certo fascínio em muitas pessoas, isso porque, além de muito bonitos, também proporcionam momentos incríveis de diversão e descontração. Porém, antes de sair cavalgando com o seu amigo, como nos filmes de Hollywood, é importante saber como domar os cavalos.
Antes que você pense que a doma é uma forma de domínio do animal saiba que se trata muito mais de ganhar a confiança dele do que de exercer algum poder sobre ele.
A técnica Horsemanship
Muitos estudos realizados com cavalos selvagens provaram que os animais aprendem muito mais facilmente seguindo sugestões de palavras chave do que sob coação ou maus tratos.
Essa técnica é conhecida como Horsemanship e forma cavalos mais dóceis e assim mais seguros para as pessoas.
A partir do momento que se desenvolve essa ideia de palavras chave no treinamento, o cavalo passa a gostar de trabalhar com conjunto com o cavaleiro.
Dessa forma, passa a realizar cada vez mais rápido e mais eficientemente o que lhe é pedido.
Esses bons resultados são vistos principalmente em cavalos de competição.
Quando eles se sentem parte do processo de vitória passam a obedecer os comandos de maneira mais inteligente. A forma como essa doma é realizada está baseada no entendimento dos instintos dos animais.
Os instintos de movimentos podem ser conduzidos através de indicações de palavras chave.
Esse tipo de doma é realizado através do reforço de ideias, ou seja, de repetir sempre ações acompanhadas de palavras.
Poderíamos definir como um treinamento como o dos cães que a partir de palavras obedecem a comandos. Apesar de ser um método relativamente mais lento de doma compensa muito, pois se pode ter a certeza de a longo prazo ter conquisto a confiança e amabilidade do animal.
Lembre-se sempre que se você transmite confiança terá um animal confiante, mas se transmitir agressividade terá um animal agressivo.
Primeiros passos para domar um cavalo
Ganhe a confiança do cavalo
Desenvolver uma relação estreita com o cavalo é essencial para ganhar sua confiança, o que favorecerá a doma mais tarde.
Passe algum tempo com o cavalo todos os dias. No início, apenas fique perto dele e escove seu pelo.
A escovação do pelo conecta o cavalo ao dono, fortalecendo o vínculo entre os dois. Deixe-o por perto enquanto você trabalha no pasto — assim, ele aprenderá a confiar em você.
Converse com ele e conforte-o sempre que ele se assustar com alguma coisa.
• Cavalos são presas na natureza, o que explica a facilidade com que se assustam. Se seu cavalo não conviver com pessoas desde o nascimento, tenderá a ter medo delas.
• Ainda que o cavalo ou potro seja jovem demais para ser treinado, você pode conviver com ele para ganhar sua confiança e acostumá-lo à presença de outras pessoas.
• Antes de começar o treinamento, passe um bom tempo junto do animal para ganhar sua confiança.
A segurança vem em primeiro lugar
Cavalos são animais poderosos, podem ferir pessoas gravemente. Sempre que estiver treinando seu animal, lembre-se de tomar algumas precauções para garantir sua segurança. Procure ficar dentro do campo de vista dele na maior parte do tempo. Quando for necessário ir aonde ele não possa vê-lo, vá correndo a mão ao longo do corpo dele, a fim de que ele não perca a referência da sua posição.
• A posição mais segura para se estar é ao lado esquerdo, alinhado à orelha e perto da cabeça do cavalo. Nesse lugar, ele o enxergará facilmente.
• Converse com o animal sempre que estiver fora do campo de vista dele. Isso o ajuda a saber onde você está.
• Não passe por trás do cavalo e nem fique parado à frente da cabeça dele.
• Não se ajoelhe e nem fique sentado perto do cavalo. Quando for necessário mexer nos cascos dele, curve-se para a frente em vez de se agachar
Dê um passo de cada vez
Domar um cavalo é um processo demorado — cada etapa tem de ser totalmente concluída antes que se possa começar a próxima.
Cada novo comando que o cavalo aprende deve ter alguma relação com o anterior.
Lembre-se de que o objetivo do treinamento é fazer com que o animal fixe novos hábitos.
De outro modo, o treinamento não será bem-sucedido.
• Nunca desista. O cavalo aceitará certas etapas do treinamento melhor que outras. Quando se começa a treinar um cavalo, você está assumindo um compromisso enorme.
• Encerre cada lição com um sucesso. Termine cada sessão logo após um progresso, por menor que seja — como conseguir pôr o cabresto perto da cabeça do cavalo.
Nunca fique irritado com o cavalo
Jamais grite, agrida, atire objetos ou seja agressivo com o animal. Isso poderia assustá-lo e desfazer a confiança que você conquistou tão arduamente. Converse com o cavalo num tom de voz calmo e baixo.
• Se o cavalo desobedecer às suas ordens, corrija-o com calma, sem demonstrar agressividade. Faça um som de “shhh” para sinalizar ao animal que ele fez algo de errado.
Recompense cada sucesso
Reforços positivos, como petiscos e carinho, fazem com que o cavalo o obedeça mais facilmente.
Reforços negativos, como um empurrão com os dedos ou um tapinha, também podem ser empregados, desde que isso não cause medo no animal.
Se você estiver montado, pode puxar as rédeas ou pressionar o animal com as pernas levemente.
• Jamais use reforços negativos que amedrontem ou causem dor. Além do mais, tais reforços devem ser constantes e firmes, nunca abruptos. Mantenha o gesto negativo até que o cavalo se corrija e pare imediatamente após ele realizar o comando corretamente.
Treinando o cavalo para aceitar o cabresto
Habitue o animal às suas mãos
O primeiro passo para pôr o cabresto no cavalo é acostumá-lo a ter as mãos do dono em sua cabeça, orelhas e pescoço.
Faça isso lentamente. Nunca saia do campo de vista do animal e não o assuste.
Eleve as mãos até ele lentamente — o cavalo se sentirá ameaçado se suas mãos se aproximarem muito rápido.
Repita esse procedimento até que você possa tocar o animal sem problemas.
Faça elogios sempre que o cavalo obtiver alguma melhora. Até as melhoras que parecem insignificantes, como conseguir aproximar a mão mais alguns centímetros do rosto do cavalo ou tocá-lo por alguns segundos, precisam ser elogiadas.
Recompense cada sucesso do cavalo com petiscos.
Acostume o cavalo ao cabresto
No início, deixe-o ver e farejar o cabresto nas suas mãos. Faça isso por alguns dias, com a intenção de que o cavalo reconheça que o objeto não é perigoso.
O próximo estágio é colocar o cabresto sobre a cabeça e o focinho do animal, sem afivelá-lo. Quando, por fim, o cavalo parecer confortável assim, você poderá afivelar o cabresto.
• Talvez isso exija várias tentativas. Seja calmo e paciente, tentando progredir um pouco a cada dia.
• Quando for possível prender o cabresto, deixe-o na cabeça do cavalo por alguns dias.
Apresente as rédeas ao cavalo
Comece a habituá-lo a elas juntamente com o cabresto, também colocando-as no rosto do animal.
Com muita delicadeza, tente lograr o cavalo a abrir a boca para receber o freio.

Ponha o freio
Além das rédeas, o bicho também tem de se familiarizar com o freio.
Lentamente, coloque-o na boca do animal. No início, deixe-o lá por apenas alguns minutos, e vá aumentando esse período gradativamente.
• Colocar melado no freio é um modo de estimular o cavalo a aceitá-lo e de tornar a experiência mais agradável para ele.
Ponha a coroa do freio
Uma vez que o freio possa ser colocado sem resistência por parte do cavalo, coloque a coroa do freio. Não afivele as tiras por enquanto.
Acostume o cavalo ao novo objeto até que você possa afivelar as tiras. Lembre-se de que isso só deve acontecer depois que o animal deixar de estranhar a sensação da coroa em sua cabeça e orelhas.
Ensinando o cavalo a charretear
O que é o charreteado
O charreteado é o processo em que o treinador conduz o cavalo por uma arena com a intenção de consolidar o domínio sobre ele. Também conhecido como doma de baixo, o charreteado permite ao treinador conduzir o cavalo por uma arena durante o treinamento.
Treine o cavalo do chão
Antes de montar no animal, ganhe a confiança dele no chão.
Prenda uma corda ao cabresto. Puxar a corda muito abruptamente também pode causar desconforto.
Lembre-se de que o cavalo passará a temer o charreteado se sentir desconforto ou dor.
• Mova o corpo junto com o cavalo para que a tensão da corda seja sempre homogênea. Eventualmente, o animal se acostumará a ir para onde é guiado em vez de puxar a corda.
Charreteie o cavalo
Ao charretear o cavalo, faça com que ele siga uma trajetória circular com o maior raio possível, uma vez que um círculo pequeno poderia provocar lesões nas pernas, ligamentos e tendões do cavalo.
O diâmetro do círculo deve ser de, pelo menos, 18m. Procure fazê-lo pelo menos uma vez ao dia, sempre usando a linguagem corporal para direcioná-lo e controlar sua velocidade.
Com o passar do tempo, faça com que o cavalo galope numa velocidade cada vez maior, até que ele possa trotar apenas se guiando por seus comandos.
• Se possível, pratique o exercício acompanhado de alguém experiente com cavalos. Peça a ele para ficar atrás ou perto de você. Sempre que o cavalo fechar o círculo, a pessoa deverá caminhar na direção dele até que ele retome a trajetória normal.
• Nunca toque o animal durante o charreteado: todos os comandos devem ser dados através da corda e da linguagem corporal.
• O charreteado é um exercício de confiança: a cada vez que o cavalo fizer o que se espera dele, interrompa o contato visual e diminua a pressão exercida nele.
• Não faça o cavalo andar na mesma direção por mais do que 10 minutos consecutivos. Uma vez que essa atividade exige muito do corpo do animal, ele terá de praticar muito antes que possa andar por períodos mais longos.
• O charreteado não deve demorar mais do que 15 ou 20 minutos.
Treine o cavalo para obedecer comandos
Ensine-o a andar ao seu lado apropriadamente enquanto você o conduz com uma corda.
À medida que ele anda em círculos à sua volta, transmita a ele alguns comandos de voz.
Ensine as palavras “pare”, “fique”, “ande” e “volte”.
Priorize os comandos de parar e andar antes de passar para os seguintes. Ao fim desta etapa, você poderá ensinar comandos mais rápidos, como o “trote”.
• Evite usar comandos muito parecidos, como é o caso de “trote” e “volte”. O cavalo pode ficar confuso, uma vez que o som de tais palavras é tão similar.
• Se quiser, substitua “volte” por “recuar”.
• O “ôa!”, som utilizado para que o cavalo pare ou desacelere, deve ser empregado apenas quando você estiver montado.
Ensine o animal a respeitar seu espaço
Durante o treino, o cavalo colocará a superioridade do treinador à prova.
Para disputar a liderança com você, o cavalo poderá empurrá-lo com o ombro.
Em tais situações, você deve mostrar que é o líder: se o cavalo se aproximar de você, pressione as costelas dele, a cerca de 30cm do ombro.
Os líderes de manadas selvagens investem contra essa região para repreender os outros cavalos. O animal deverá se deslocar para o lado e dar a você algum espaço.
Ensine ao cavalo como responder à pressão
Ela é transmitida ao cavalo através do cabresto, então prenda uma corda a essa peça e pare à direita dele, perto de sua orelha e olhando na mesma direção que ele.
Segure a corda a alguns centímetros do grampo. Puxe-a para a direita, para longe de você; o cavalo eventualmente cederá à pressão e virará a cabeça para a direita.
Assim que ele o fizer, libere a pressão da corda e ofereça alguma recompensa.
• Repita o processo do lado esquerdo. Puxe a corda para longe do corpo do animal e ele deverá virar a cabeça para a esquerda.
• Depois de ensinar o truque em ambos lados, o cavalo aprenderá a olhar na sua direção.
• Repita o processo à frente e atrás do cavalo.
• O cavalo aprenderá a deslocar a cabeça na direção de onde a corda é puxada para diminuir a pressão no cabresto.
Treinando o cavalo para aceitar a sela
Apresente a sela
O cavalo deverá se familiarizar com o peso e o som da sela em seu lombo. Assim como fizera com o cabresto e com o freio, dê ao cavalo um certo tempo para se acostumar com o som, o cheiro e a aparência da sela.
Uma vez que ele esteja acostumado ao objeto, segure a sela acima do lombo do animal, sem deixar que ela toque nele.
Ponha o baixeiro ou a manta no lombo do cavalo
Quando ele deixar de estranhar a sela, coloque o baixeiro no lombo do cavalo e deixe-o lá por alguns minutos. Caso a reação do cavalo seja positiva, tire o baixeiro de lá.
Repita o processo várias vezes e de ambos os lados para que o cavalo se acostume a ser selado de ambas maneiras.
• Se o cavalo ficar apavorado a ponto de a situação fugir do controle, remova o baixeiro rapidamente e tente de novo quando ele estiver mais calmo.
• Se você quer um tipo de sela mais bonito, recomenda-se o uso do baixeiro, que costuma ter um acabamento melhor do que a manta. No entanto, ele é menos confortável, e portanto deve ser apresentado ao animal junto com a sela. Se a sela se ajusta perfeitamente ao lombo do cavalo, o uso da manta ou do baixeiro é dispensável.
Ponha a sela no cavalo
Apresente a sela pacientemente, sempre acariciando e falando com o cavalo para acalmá-lo.
Deixe a peça por apenas alguns minutos, depois a remova. Repita o processo em ambos lados do cavalo.
• Nesta etapa, remova todas as tralhas e ferragens da sela.
Afivele o látego no cavalo lentamente
Aperte o látego um pouco mais a cada dia, especialmente se o cavalo parece inquieto. Caso o animal ainda esteja muito apavorado, solte o látego e volte a deixar a sela desamarrada no lombo do cavalo.
• Quando o cavalo permitir que o látego seja completamente afivelado, incline-se contra o corpo do cavalo, apoiando-se nele.
Habitue o cavalo aos estribos
Faça o charreteado com a sela e os estribos. Isso ajudará o cavalo a se acostumar com a sensação de carregar tais objetos. Além disso, comece a colocar os outros acessórios na sela.
• Realize cada etapa do processo lentamente. Sempre espere o cavalo perder o medo de um elemento da sela antes de introduzir outro, e nunca adicione mais de um elemento de uma vez.
Charreteie com a sela
Exercite o animal selado quando ele for capaz de permanecer assim por longos períodos.
Treinando o cavalo para ser montado
Prepare o cavalo para a montaria
Até aqui, você interagiu com o cavalo do chão, no nível dos olhos dele. Leve o cavalo para perto de algo em que você possa subir, como uma cerca de madeira.
Escale o objeto até ficar numa altura acima da cabeça do cavalo.
Ponha peso no lombo do animal
Peça ajuda de um cavaleiro experiente para ensinar o cavalo a se acostumar ao peso de uma pessoa.
Num primeiro momento, o cavaleiro deve apenas se debruçar sobre a sela (em vez de se sentar nela).
Peça que ele faça isso com gentileza para que o cavalo não se assuste.
• Quando o cavalo aceitar o peso, acaricie-o e recompense-o.
Peça que o cavaleiro monte no cavalo
Em primeiro lugar, o cavaleiro deve pôr seu pé esquerdo no estribo. O próximo passo é passar o outro pé por cima do animal, sem chutá-lo, e sem impor uma pressão desigual em seu lombo, para depois encaixar o pé direito no outro estribo.

• O cavaleiro deve ficar curvado todo o tempo, uma vez que o cavalo se espantaria caso o enxergasse. Além do que, a pessoa deve se apoiar na sela e não nas rédeas, uma vez que isso também poderia assustar o animal.
Cavalgue lentamente
Com o cavaleiro montado, conduza o cavalo devagar. Aos poucos, afaste-se do animal.
Peça que o cavaleiro apanhe as rédeas e puxe-as devagar e com cuidado, a fim de que o cavalo não se assuste. Para que o cavalo comece a andar, ele deverá dar um comando verbal e apertá-lo levemente com as pernas.
Tente montar
Agora que um cavaleiro experiente sondou o terreno, é a sua vez de montar.
Montar um cavalo pela primeira vez pode ser perigoso e só deve ser feito com a supervisão de um domador ou cavaleiro profissional. Suba com cuidado, evitando chutar o lombo do cavalo ou puxar as rédeas. Ande com o animal por alguns passos, pare e desça.
• Aumente gradativamente o período em que você permanece montado ao longo das próximas semanas ou meses. Só tente cavalgar rapidamente depois que o cavalo parecer confortável andando em velocidade normal.
• Pode ser necessário um ano de treinamento (ou mais) até que você possa trotar e andar a galope com o animal em questão. Não tente acelerar o processo, já que isso poderia levar o cavalo a desenvolver medos ou vícios.
Dicas úteis
• Use comandos de uma palavra e use a mesma palavra sempre para que o cavalo não fique confuso.
• Tranquilize o cavalo se ele abaixar as orelhas ou se demonstrar outros sinais de medo.Alguns cavalos toleram sessões de treinamento mais longas que outros. Aprenda a detectar os sinais que seu cavalo emite quando está cansado.
• Faça exercícios de aquecimento antes da sessão de treinamento e, ao final dela, faça exercícios de relaxamento.
• Antes de apresentar um novo comando, pratique e reveja aqueles que o cavalo já domina e use-os como base para o comando a ser ensinado.
• Antes de montar no animal pela primeira vez, salte para o alto algumas vezes ao lado dele. Depois de saltar, dê uns tapinhas leves na sela. Desse modo, ele não se assustará quando você subir nele.
• O cavalo precisa saber quem é que manda: se ele se recusar a executar algum comando, não interrompa a sessão. Isso daria ao animal a impressão de que ele pode abandonar o treinamento quando quiser.
• É improvável que você venha a domar o cavalo se não possui experiência. É melhor pagar um domador do que se arriscar a levar um coice ou ser pisoteado.
Avisos
• Cavalos leem os sinais que transmitimos através de nossas emoções e linguagem corporal. Se você ficar tenso e ansioso, o cavalo também ficará.
• Fique alerta e preste atenção à linguagem corporal. Quando notar que o cavalo está de orelhas abaixadas ou batendo as patas dianteiras no chão, acalme-o. Se a sessão tiver durado muito tempo ou se o animal parecer irritado, em pânico ou confuso, faça uma pausa. Lembre-se de que a doma do cavalo requer paciência, não força bruta.
• Nenhum cavalo pode ser montado antes dos dois anos de idade. Montá-lo antes disso pode deixá-lo lesionado para o resto da vida.
• Seja cuidadoso quando o cavalo estiver de orelhas abaixadas. É normal que o cavalo vire as orelhas para trás — isso apenas indica que ele está prestando atenção ao que se passa atrás de si. As orelhas abaixadas, por outro lado, denotam medo e agressividade — que pode se voltar contra você ou contra outros cavalos.

https://www.vedovatipisos.com.bnoticias-artigos/domar-cavalos/
submitted by Vedovati_Pisos to u/Vedovati_Pisos [link] [comments]


2020.09.25 16:44 Vedovati_Pisos Cavalo Quarto de Milha: 8 motivos para você amar ainda mais

O cavalo quarto de milha é uma raça de cavalo que se destaca por sua rapidez em correr distâncias curtas. O nome “quarto de milha” veio da sua capacidade de se distanciar de outras raças de cavalos em corridas de um quarto de milha ou até menos.
O Quarto de Milha é a raça mais popular na América do Norte com o maior número de animais já registrados. A AQHA (Associação Americana de Quarto de Milha) afirma que há mais de 5 milhões de cavalos registrados em todo o mundo. O nome veio da sua capacidade de se distanciar de outras raças de cavalos em corridas de um quarto de milha ou até menos.
Características sobre o cavalo quarto de milha:
• Nome em inglês: Quarter Horse
• Origem: Séculos XVIII – XIX – Estados Unidos
• Temperamento: dócil, rústico e muito inteligente
• Inseminação Artificial: Normalmente só a quente, não há um limite de éguas – mediante autorização do Conselho Deliberativo da Associação, que também permite transferência de embrião
• Andamento: harmonioso, em linha reta, natural e baixo. O pé é levantado levemente e recolocado de uma só vez no solo, caracterizando-se no trote de campo;
• Peso: macho e fêmea pesam geralmente 500 kg ;
• Altura: Geralmente 1,50m;
• Porte: De médio a grande.
• Quantos anos vive um cavalo quarto de milha: entre 25 á 30 anos;
• Preço: em média R$ 3 mil à R$ 20 mil
• Velocidade máxima: até 88,5 km /h.
A raça é uma das mais queridas no Brasil e nós selecionamos alguns motivos para isso. Confira abaixo:
1- Cavalo mais veloz do mundo
O Quarto de Milha é considerado o cavalo mais rápido do mundo. O recorde atual marca 20 segundos em uma distância de um quarto de milha, ou seja, 400 metros. Alguns cavalos dessa raça conseguem atingir a velocidade de 88,5 km /h.
A corrida de Quarto de Milha é tradição desde o surgimento da raça, mas somente em 1943 ficou mais organizada. A primeira pista foi construída no mesmo ano em Rillito Park, Tucson.
2- Cavalo dos esportes do mundo country
Os cavalos Quarto de Milha possuem grande capacidade de mudar de direção, com partidas rápidas e paradas bruscas. O corpo compacto é adequado ao controle, ou seja, o criador que está montado consegue “administrá-lo” com muita facilidade em relação a outras raças.
O Quarto de Milha se destaca principalmente em provas Western, como o team penning, três tambores, balizas, mas também em hipismo, corridas planas e prova de rédeas. Já no nordeste do país, o Quarto de Milha é o melhor em vaquejada. Animais versáteis e rápidos, eles ajudam a laçar um boi entre 4 a 6 segundos e “fechar” de 3 a 4 bois no team penning em treze segundos.
3- Animal dócil e inteligente
Os cavalos Quarto de Milha são reconhecidos pela facilidade de domar, docilidade e inteligência. Os criadores saíram na frente ao popularizar a raça, facilitando a venda de animais aos proprietários individuais, os chamados usuários do cavalo, gente que adquire um ou dois animais para uso próprio no sítio aos fins de semana ou para que seus filhos pratiquem provas hípicas como baliza, tambor, salto, laço e apartação. Os cavalos quarto de milha são disciplinados e são mais fáceis de serem colocados em um trailer ou em um reboque para cavalos.
4- Cavalo premiado
A força do Quarto de Milha de corrida vem da premiação disponível aos craques. São milhares de cavalos que correm todos os anos em busca de prêmios espetaculares. No Brasil, os mais polpudos são do Jockey Club de Sorocaba, mas os milionários são pouquíssimos.
71 dos melhores cavalos do mundo ganharam mais de US$ 1.000.000 em corridas. Confira a relação dos milionários:
LLANO TELLER, filho de Teller Cartel, por Corona Cartel
RYLLES BOY, filho de Heza Motor Scooter
FEATURE HERO, filho de Valiant Hero
WICKED COURAGE, filho de Captain Courage
LAST TO FIRE, filho de Walk Thru Fire.
As vaquejadas também têm premiações milionárias que movimentam cerca de R$ 14 milhões por ano.
5- Cobertura valorizada
No Brasil, o mercado de coberturas de garanhões tem uma variação de R$ 3 mil a R$ 20 mil entre os cavalos criados no país. O que determina o preço da cobertura é o valor dos potros que são vendidos. Se um garanhão faz um potro e ele é vendido caro, valoriza a cobertura do garanhão.
Alguns cavalos têm uma valorização muito grande com o passar do tempo; um exemplo clássico é o Baloubet du Rouet, montado por Rodrigo Pessoa. O famoso cavalo campeão olímpico em Atenas parou de competir, porém continua a ser um valioso reprodutor. Cada ampola de seu sêmen é vendida por cerca de mil euros (R$ 3.600). Quando Baloubet competia e tinha menos tempo para reproduzir, estimava-se um lucro de US$ 2,5 milhões por ano (em torno de R$ 5 milhões).
6- Bom investimento
Quase um milhão de reais foi o que custou a égua Quarto de Milha mais cara já comercializada no Brasil. MS Perky Bug foi vendida por R$ 930 mil durante leilão do Haras Raphaela, em Porto Feliz-SP, cidade do interior paulista localizada a cerca de 130 km da capital.
A égua de nove anos foi valorizada por ser recordista mundial em uma prova de três tambores, em que o competidor contorna os obstáculos no menor tempo possível. Além disso, MS Perky Bug venceu outra categoria denominada tira-teima.
Se 70% do mercado do Quarto de Milha é abocanhado por esportes e provas, um fenômeno recente incrementa a comercialização. Com a expansão da pecuária de corte, os cavalos da raça são requisitados para tocar a boiada nos pastos de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul.
7- Museu dedicado à raça
O American Quarter Horse Heritage Center & Museum é dedicado ao Quarto de Milha. Localizado em Amarillo, Texas, todos os anos recebe de 20 a 30 mil visitantes que querem conhecer um pouco mais sobre a história da principal raça de cavalos do país. O museu foi fundado em 2001 pela Associação Americana de Cavalo Quarto de Milha e hoje é um dos maiores registros de equinos do mundo. Na parede há a foto de Mr. San Peppy e seu filho Litle Peppy. Os dois garanhões foram os percussores das linhagens no país. Ambos são lembrados até hoje como símbolo do cavalo Quarto de Milha norte-americano.
8- Mais de 400 anos de história
A raça Quarto de Milha foi a primeira a ser desenvolvida na América. Ela surgiu nos Estados Unidos por volta do ano de 1600. Os primeiros animais que a originaram foram trazidos da Arábia e Turquia à América do Norte pelos exploradores e comerciantes espanhóis. Os garanhões escolhidos eram cruzados com éguas que vieram da Inglaterra, em 1611. O cruzamento produziu cavalos compactos, com músculos fortes, podendo correr distâncias curtas mais rapidamente do que nenhuma outra raça.
No Brasil, tudo começou em 1955, quando a Swift-King Ranch (SKR) importou seis animais dos Estados Unidos, vindos de sua matriz norte-americana, a famosa King Ranch, no Texas, a maior fazenda dos EUA. À medida que vários pecuaristas, banqueiros e homens de negócios tiveram a oportunidade de conhecer os animais Quarto de Milha, começaram a pressionar a SKR para que lhes vendessem alguns exemplares. A companhia atendeu a poucos criadores, vendendo um número reduzido de potros. Em 15 de agosto de 1969, foi fundada a Associação Brasileira de Criadores de Cavalo Quarto de Milha (ABQM), no Parque da Água Branca, em São Paulo, onde se encontra atualmente.
Se você é um criador de quarto de milha, ou tem apenas alguns cavalos ou ainda vai começar
Sabemos que uma das preocupações de criadores e proprietários de cavalos quarto de milha é escolher a cama adequada (serragem, maravalha, areia, casca de arroz ou borracha). Além de pensar no conforto para o cavalo e na higiene, tem que levar em conta a manutenção das baias/cocheiras.
Para muitos apaixonados por cavalos esse problema faz parte do passado, pois o sistema tradicional foi substituído pela cama de borracha os conhecidos EBVs – Estrado de Borracha Vedovati.
Considerada uma inovação por muitos criadores de cavalos, essa tecnologia foi introduzida o Brasil pela Vedovati em 1.997, após rigorosos testes na Universidade do Oeste Paulista, por meio da Faculdade de Medicina Veterinária. O diretor do curso de medicina veterinária na época o médico veterinário Luís Carlos Vianna após sete anos usando o estrado de borracha Vedovati nas baias aprovou totalmente o uso da cama de borracha Vedovati, na época destacou os benefícios mas o piso de borracha como cama nas baias disse “podemos atestar que a cama de borracha é confortável aos cavalos, uma vez que eles se deitam normalmente, facilita a limpeza e eliminam a serragem das baias. O estrado de borracha é antiderrapante e eficaz para prevenção de acidentes, declarou ainda “os estrados após sete anos de uso estão em perfeitas condições, demonstrando realmente se tratar de um produto resistente e durável”.
O criador de cavalos quarto de milha José Divino Noves, mais conhecido com Rio Negro da dupla Rio Negro e Solimões de Franca usa a cama de borracha em suas baias desde 2006. Como mineiro desconfiado, inicialmente ele comprou para duas baias para testar e após comprovar a sua eficácia comprou para todas as baias. Ele diz que com o estrado de borracha os cavalos da raça quarto de milha ficam com os cascos mais saudáveis e não correm o risco de adquirirem doenças respiratórias pois a cama de serragem/maravalha contém poeiras. Ele diz que a cama de borracha não têm nenhuma destas contra indicações. Os estrados de borracha garantem uma manutenção rápida, segura e eficiente, além da facilidade de não precisar sair correndo atrás das ultrapassadas camas de serragem. “Faz bem para o animal e para o nosso bolso. O trem é bom demais gente!”, fala o mineiro que nasceu em Claraval, MG

https://www.vedovatipisos.com.bnoticias-artigos/8-motivos-para-amar-ainda-mais-o-cavalo-quarto-de-milha/
submitted by Vedovati_Pisos to u/Vedovati_Pisos [link] [comments]


2020.09.24 16:34 roody_mirys Tenho HPV.

Peguei HPV no meu único namoro. No início nasceu uma bolinha, como um pelo encravado, na base do meu pau, continuei me depilando com gilete e aumentaram as bolinhas, até eu perceber que aquilo não estava certo.
Nunca tive uma vida sexual bem desenvolvida, fui começar a transar só depois dos 19 e iniciando as relações com prostitutas, fiquei com poucas garotas "civis", acredito que umas 7 que não eram profissionais do sexo. E muitas, muitas prostitutas, mesmo. A maioria das relações foram com proteção, mas confesso que fiquei com umas três prostitutas sem camisinha, nunca contraí nenhuma DST dessas relações, apenas com a minha primeira namorada, com quem me acostumei a foder no pelo. Agora acho complicado de usar camisinha, não sei se consigo voltar a usar, pois sempre demoro pra gozar.
O principal problema da minha vida sexual deve ser resultado de um estupro ainda na infância, a minha família também é muito religiosa, então tinha aquele papo de não ficar com qualquer pessoa e buscar uma relação séria, além dos problemas de grana. Não dá pra namorar sem ter dinheiro, né? E éramos uns fodidos, na parte de grana, na infância e adolescência.
Em uma conversa com essa minha ex, logo que começamos a namorar, conversamos sobre DST e sobre nossas vidas sexuais anteriores, contei tudo pra ela, e ela me falou do HPV, disse que foi curada. Na verdade o HPV pode ser tratado, removendo as lesões, mas provavelmente deve ter continuado na pele dela, sem ser detectado, a garota deve ter desenvolvido resistência aos poucos, não criando novas lesões. Eu me fodi, mais uma vez, lembro que logo no começo eu pensei em tomar a vacina, mas depois esqueci do caso. O HPV também pode surgir entre 2 meses até 20 anos, então pode ser que nem tenha contraído dela, mas isso já não importa.
Faz pouco mais de 9 meses que estou tentando tratar isso, segundo a internet, a maioria dos casos são resolvido em média até 24 meses. Isso é uma merda, eu tenho que queimar o meu pau com um produto químico, para reduzir as verrugas e pros meus anticorpos terem chance de combater o vírus. O medicamento que melhor funcionou, por hora, foi a podofilotoxina. Ainda quero testar o imiquimod. A maioria dos médicos me parece despreparada, só querem queimar esses troços com ácido tricloroacético, mesmo eu explicando que esse produto mais me causou cicatrizes e ainda espalhou mais o vírus do que trouxe bons resultados. Eles nem se quer apresentaram o imiquimod ou a podofilotoxina como opções de tratamento, só achei isso pesquisando na internet. Só espero que esse trambolho não vire um câncer.
Em quanto isso, me reservo na solidão, parei de transar assim que comecei o tratamento, não confio em camisinhas porque elas não cobrem toda a área da lesão, pois é na base do pau, não quero correr o risco de encontrar uma pessoa legal, de quem eu goste e acabar passando isso pra ela. O foda é ter que arrumar desculpas pra não transar, sou mais ou menos bonito e chamo a atenção das mulheres, há bastante assédio por parte delas, também estou bem empregado, então não há mais impedimentos na parte financeira e a minha confiança melhorou muito, superando vários aspectos do trauma do estupro. As coisas se acertaram, mas agora me aparece isso. Devo ter feito muita coisa errada na sexualidade da vida passada, esse troço só pode ser carma.
Moro em uma cidade pequena, menos de 5 mil habitantes, me mudei faz um ano, acho que estou ficando com fama de ser gay, por ter que dispensar as mulheres.
submitted by roody_mirys to desabafos [link] [comments]


2020.09.23 18:22 Vedovati_Pisos [Piso academia 2019] Saiba como resolver problemas com vibrações, ruídos e reclamações de vizinhos na sua academia

Nos últimos anos as academias tem feito um movimento de maior aproximação física com seu público e clientes. Movimento esse feito ao se instalarem em edifícios, prédios comerciais e residenciais, shoppings centers ou mesmo sobre lojas.
Essa prática tem sido adotada mais por grandes redes de academias como a Body Tech, Smart Fit e Bio Ritmo. Mas academias pequenas e academias destinadas a modalidades específicas, como o treinamento funcional e Box de Crossfit, tem realizado o mesmo movimento.
No entanto, essa vantagem pode trazer problemas que causam transtornos para os vizinhos e para a própria academia.
Esses problemas são os ruídos, estampidos e vibrações gerados pela atividade da academia, principalmente pelos praticantes da modalidades de peso livre (levantamento de peso) e crossfit pois esses ruídos reverberam nas construções adjacentes. E que não podem ser resolvidos com o uso de qualquer piso de borracha.
Neste conteúdo, você vai entender mais sobre como ruídos, vibrações e outros efeitos de impacto na academia causam dores de cabeça. Tanto para os proprietários da academia, como para quem vive ou trabalha em edificações ao lado.
Além disso, você vai ver como o piso de borracha certo corrigiu esses problemas em uma das maiores redes de academia do Brasil.

Quais problemas são causados por ruídos e vibrações nas academias

Diversos tipos de sons comuns em uma academia de ginástica podem causar de diversas formas. Especialmente quando a academia está instalada em um lugar onde os ruídos, vibrações, etc, podem causar reclamações de vizinhos. Ou seja, quando está instalada em um prédio comercial ou residencial, edifício ou em cima de uma loja.
Infelizmente esse benefício, que possibilita que pessoas muito ocupadas possam fazer academia com mais facilidade, também gera transtornos.
Que incomodam quem fica nas instalações ligadas às paredes e piso-teto da academia, quanto geram problemas para os proprietários do negócio.
Entenda agora quais são esses problemas.

Perturbação do sossego com barulhos acima do permitido

O mais conhecido dos problemas que toda academia pode causar são os elevados barulhos e ruídos. Eles vêm tanto da música que permeia o ambiente da academia, quanto do uso dos aparelhos, equipamentos e principalmente da prática de peso livre e crossfit.
Quando uma academia está instalada em um prédio residencial por exemplo, esses ruídos podem alcançar apartamentos de vários andares superiores, incomodar e importunar os vizinhos da academia com os ruídos excessivos.
Quedas de anilhas, dumbbells pesados, halteres e barras com cargas de grande peso causam muito barulho, além de estampidos e vibrações.
Porém, os ruídos e o impacto causado pela queda desses equipamentos reverberam principalmente para os pavimentos superiores. Sejam elas apartamentos ou as salas comerciais de um prédio que ficam do outro lado de suas paredes e pisos.
Em muitos casos, principalmente quando a academia está em um andar intermediário do prédio, os ruídos e vibrações de impacto podem se propagar por vários andares e pisos.
E isso vai gerar incômodo e importunação aos moradores, que perdem seu sossego por conta do barulho. O mesmo vale para quem trabalha nas proximidades.
E isso pode dar até mesmo em cadeia para os donos de uma academia.
Pois ruídos em sons acima do permitido por lei, que de acordo com a NBR 10.151/2000 fica entre 50 (dia) a 55 decibéis (noite), podem se enquadrar como crime de perturbação de trabalho ou sossego alheios.
Conforme está previsto na Lei das Contravenções Penais em seu artigo 42.

Problemas na estrutura dos prédios e edifícios onde a academia está instalada

Primeiro de tudo, com pisos de borracha comuns, as vibrações de impacto dos equipamentos caindo no chão ainda reverberam para fora da academia. Pois pisos de borracha comuns (maciços) transmitem ainda muito impacto para o contrapiso.
Com o tempo e conforme a sua ocorrência, essas vibrações podem afetar a estrutura das paredes e tetos dos andares inferiores. Além disso, provocam fissuras nas paredes que podem levar a trincos e eventualmente rachaduras com a necessidade de reformas.
Quais as consequências desses problemas para a academia e sua vizinhança
Os ruídos, estampidos e vibrações de impacto de uma academia, seja a de uma rede ou pequena academia, pode gerar consequências sérias para os proprietários.
Uma delas, e também das mais comuns, são as reclamações dos moradores vizinhos e quem trabalha perto da academia. Seja nos apartamentos e salas comerciais que margeiam a academia, ou nos andares superiores e inferiores.
O que é algo justo, pois todo mundo tem direito a ter sossego em seu lar ou trabalho. E os barulhos acima do nível normal permitido por lei simplesmente impossibilitam esse sossego.
Muitas academias podem, quando não tentam ou não conseguem resolver esse problema, sofrer ações judiciais como esta. Que podem vir de moradores, empresas vizinhas e até mesmo de administradores do imóvel onde a academia está instalada.
Que com certeza vão gerar transtornos, aborrecimentos, custos com o processo judicial para a academia, bem como possíveis multas para o negócio.
E por fim, os proprietários da academia podem chegar a ser presos por conta de infração ao decreto de lei decreto-lei 3.688/1941. Conforme o que mostramos no tópico anterior sobre perturbação de sossego.
Com isso já dá pra ver o tamanho do problema e da dor de cabeça que pode ser gerada para uma academia que não investe em piso/estrado de borracha adequado e específico para atenuação de ruídos principalmente gerado na sala de peso livre.
Pouco importa o seu tamanho, se a academia é pequena e dedica-se a treinamento funcional, ou mesmo uma unidade de uma gigante rede do mercado fitness.
Como foi o caso de uma das empresas que recentemente passou esse tipo de problemas.

Mesmo redes gigantes de academia sofrem com esse tipo de problema

Como já mencionamos no começo deste conteúdo, não são apenas as academias pequenas que sofrem com erros de projetos e falta de planejamento na montagem de uma academia, principalmente se ela for instalada em prédios, depois tem que lidar com ruídos e vibrações.
Mesmo academias pertencentes a grandes redes do setor que normalmente contam com uma boa equipe de apoio também pode sofrer com esse tipo de problema. E também estão sujeitas às mesmas consequências que uma academia pequena, ou que se dedicada a treinos específicos, como o Box de Crossfit e Treinamento Funcional.
Esse foi o caso com algumas das academias da rede Smart Fit. Que é simplesmente o maior case de sucesso em redes de academias no Brasil e ocupa o 3º lugar entre as maiores do setor no mundo em número de unidades próprias.
Alguns anos atrás, a rede de academias Smart Fit passou por esse tipo de problemas em algumas unidades. Todas elas estabelecidas em edifícios (pisos superiores, sobre lojas), shoppings e prédios residenciais e comerciais.
Essas unidades tinham problemas constantes com ruídos, barulhos, vibrações e reclamações de vizinhos das academias.

Como a prática de levantar peso pode afetar a sua academia

A prática do levantamento de peso é muito comum entre os alunos de academias que buscam a hipertrofia como principal objetivo. Esses alunos costumam, para ganhar massa muscular, força e potência, levantar pesos regularmente.
Pois este é o exercício que desenvolve a força explosiva, além da agilidade, equilíbrio e outros benefícios.
O levantamento de peso é uma prática que possui inúmeros movimentos para o desenvolvimento da força em diferentes posições. Ela está presente na musculação, na ginástica funcional e até no popular crossfit. E deve estar associada a uma boa dieta alimentar para gerar bons resultados.
O único problema dessa prática, para as academias, é que muitas vezes os praticantes de levantamento de pesos soltam ou deixam cair as barras do alto. E como muitas vezes os pesos nas barras com anilhas passam de cem quilos, o impacto da queda é bem forte.
E são esses impactos que provocam os ruídos, barulhos e estampidos que tanto prejudicam os vizinhos da academia.
No caso da academia, mesmo tendo piso de borracha (piso emborrachado) instalado com um uma espessura de 15 milímetros era insuficiente para evitar a geração de ruídos, estampidos, vibrações e consequentemente sua propagação para fora da academia.
Que por tabela gerou incômodos e reclamações de vizinhos
E nesse ponto, a rede de academias precisou tomar medidas para resolver esses problemas.

Como a rede de academias Smart Fit resolveu este problema

Saiba agora como a rede de academias Smart Fit conseguiu solucionar seus problemas com ruídos, barulhos e vibrações.
Levantamento técnico do problema
Quando uma academia sofre reclamações dos vizinhos em relação a ruídos, barulhos e vibrações, a primeira ação a ser tomada é averiguar se as reclamações têm fundamento.
Para isso, a rede Smart Fit contratou para uma de suas unidades a Ruído Menor, uma empresa especializada em controle da poluição sonora.
O objetivo desta contratação foi o de fazer um levantamento dos níveis sonoros ambientais. No primeiro e segundo andar em relação ao som emitido pela sala de ginástica e no décimo terceiro andar em relação ao área de peso livre da academia. Ambos em apartamentos de moradores que reclamavam continuamente de barulhos e ruídos e perturbação do sossego.

Os tipos de fontes sonoras avaliadas foram o Sistema de Áudio Interno e a Queda de pesos.

Foram avaliados o potencial dos ruídos e vibrações interferirem nos ambientes vizinhos, tanto nos níveis acima quanto abaixo da academia. A investigação gerou um laudo técnico que apontou a necessidade de uma mudança nos pisos da academia e sistema de amortecimento de impactos na sala de peso livre.
O engenheiro, especialista em acústica, responsável pelo estudo indicou a instalação de novos pisos emborrachados na academia. Mais precisamente, o piso emborrachado EBV-30 da Vedovati Pisos.
PS: se você deseja saber tudo sobre a norma (NBR) 10.151/2000, que trata exatamente das normas para ruídos, barulhos e vibrações em ambientes, acesse aqui.

Instalação do EBV-30 e resolução do problema de ruídos, barulhos e vibrações

Após as indicações do engenheiro especialista em acústica, a unidade da rede de academias Smart Fit fez a instalação do novo piso emborrachado.
Na ocasião, foi instalado o piso de borracha EBV-30 Estrado de Borracha Vedovati sobre o contrapiso e piso emborrachado que a academia já possuía sobre o EBV-30. A espessura do piso EBV-30 utilizada foi de 3 cm em toda a superfície que recebeu a cobertura adicional.
Os efeitos positivos dessa mudança na academia foram notáveis já nos primeiros dias. A academia que vinha lidando com problemas de reclamações experimentou uma forte redução nos ruídos e vibrações propagadas.
Com isso, cessaram-se as reclamações. O que deu um alívio para a academia e pôs fim às dores de cabeça da administração.

EBV-30 Estrado de Borracha Vedovati: o piso emborrachado exterminador de ruídos e vibrações nas academias

A Vedovati Pisos é uma companhia com mais de 20 anos no mercado disponibilizando pisos emborrachados de alta qualidade para diversos segmentos.
Dentre estes, o setor de academias, onde temos diversas soluções para o amortecimento de impactos e melhora dos treinos.
Um deles é o Estrado de Borracha Vedovati EBV-30.

Entenda mais sobre como o EBV – 30 elimina as vibrações e ruídos

POR QUE O ESTRADO DE BORRACHA VEDOVATI EBV-30 RESOLVE O PROBLEMA DE RUÍDO, BARULHO E VIBRAÇÕES DA SUA ACADEMIA
O Estrado de Borracha Vedovati, referência “EBV-30”, é um piso de borracha projetado e desenvolvido para suportar grande capacidade carga e altos impactos.
Na face inferior possui elementos estruturais tipo “vigas”, “colunas” e “pés” a cada 50 milímetros para dar sustentação horizontal do piso e evitar a transferência de impactos (recebidos) ao contrapiso e danos nos mesmos

DADOS TÉCNICOS

Dimensão : 1,00 x 1,00 m,
Espessura : 10 mm (parte maciça),
Altura : “vigas/colunas”: 10 mm,
Altura pés : 10 mm (pinos),
Altura total : 30 mm,
Peso :16.500 Kg (média),
Cor : preta
Capacidade de carga : 10 Toneladas por metro quadrado (m²)
Produzido : Confeccionado com borracha SBR, regenerada, pó de pneus. Tudo isso, pensando na durabilidade, resistência, ação antiderrapante e o melhor retorno para seu investimento.
Com certeza absoluta não existe no mercado piso/estrado de borracha com essas características, vantagens e benefícios, capaz de resolver o seu problema de transferência de impactos da sala de peso livre para o contrapiso.

Como o piso de borracha EBV-30 pode ser utilizado nas academias

O piso emborrachado EBV-30 pode ser instalado de duas formas numa academia/sala de peso livre.
Se você estiver montando uma academia, deve é instalar o piso emborrachado EBV-30 diretamente no contrapiso, uma placa do lado da outra. Não precisa colar, apenas necessita de uma contenção nas laterais (que pode ser a própria parede) ou rampas de borracha para travamento.
Se você já tiver uma academia e que já tenha um piso de borracha que ainda assim esteja transmitindo impactos e causando ruídos e incômodos aos vizinhos, instale o EBV-30 no contrapiso e sobre ele coloque o seu piso de borracha. Nesse caso, busca-se reforçar o efeito anti-impacto no piso da academia e você não perde o piso de borracha que tem
Os “pés” existentes em formas de pinos no EBV-30 foram projetados para suportar impactos pesados no estrado de borracha , absorvê-los e evitar a propagação de ruídos, barulhos e vibrações.
O EBV-30 tem sido a principal solução para donos de academia eliminarem ruídos, vibrações e reclamações de vizinhos. Constantemente recebemos depoimentos de clientes satisfeitos, como o Ayrton Passaroti Dias de Oliveira.
Ayrton é gestor da Academia Smart Fit 2, na Consolação em São Paulo capital, e nos conta sua experiência com o EBV-30:
“A instalação do estrado de borracha Vedovati na Academia Smart Fit unidade Consolação 2. Ficou muito bom, muito bom mesmo, o barulho parou, não tem mais barulho, a vizinha que reclamava também já veio falar que parou e que não escuta mais nada!”
Faça como a Smart Fit e resolva seus problemas de ruído e vibrações com o EBV- Estrado de Borracha Vedovati

Agora você sabe como a Smart Fit resolveu seus problemas. E também sabe porquê o EBV – Estrado de Borracha Vedovati é o melhor piso para quem deseja evitar problemas com ruídos e vibrações na sua academia.
Agora, você só tem dois caminhos a seguir.
Continuar sofrendo com problemas de ruídos e vibrações na academia, ou fazer como a Smart Fit e investir no piso/estrado de borracha que resolve seus problemas.
A Vedovati tem eficácia comprovada pelo mercado desde 1997. A garantia contra eventuais defeitos de fabricação e ou de matéria prima é de 3 anos.
Entretanto, no caso de você instalar o estrado de borracha e por algum motivo não resolver o problema, em até 30 dias, pode devolver que a Vedovati Pisos devolve o valor do produto pago. Sua satisfação é o que importa.
Você não precisa ficar inseguro e ou com medo de investir o seu dinheiro.
E então, pronto para se juntar a mais de 500 academias espalhadas pelo Brasil. E desse modo se livrar para sempre de problemas com ruídos e vibrações?
Ótimo, para saber todos os detalhes para ter o EBV – Estrado de Borracha Vedovati na sua academia é só clicar no link abaixo e pedir seu orçamento.
➥ Quero ter uma academia sem problemas de ruídos e vibrações como a Smart Fit com o piso EBV da Vedovati

https://www.vedovatipisos.com.bnoticias-artigos/piso-academia-saiba-como-resolver-problemas-com-ruidos-e-vibracoes/
submitted by Vedovati_Pisos to u/Vedovati_Pisos [link] [comments]


2020.09.22 22:50 AnzoLinux Em qualquer discussão sobre desigualdade, estas são as quatro perguntas que têm de ser feitas Sem essas quatro questões, qualquer discussão se torna puramente emotiva, ideológica e estéril

Steve Horwitz
Já escrevi vários artigos e concedi muitas entrevistas contestando a popular afirmação de que a desigualdade está piorando. Os artigos contêm uma ampla variedade de dados (muitos podem ser encontrados aqui e aqui), mostrando que muitas das afirmações sobre essa "desigualdade crescente" de renda ou estão erradas, ou são exageradas ou ignoram outras evidências.

Entretanto, o que eu quero aqui é, especificamente, focar em quatro questionamentos que devem estar no centro de qualquer discussão sobre desigualdade.

Primeira pergunta: estamos falando de desigualdade ou de pobreza?

Com frequência, esses dois problemas se confundem nesse tipo de discussão.

Pobreza diz respeito às condições absolutas em que alguém se encontra. Tem comida? Acesso a água potável? Habitação? Trabalho? Seus filhos podem frequentar uma escola ou se veem forçados a trabalhar? Os critérios são muitos.

Já desigualdade é uma variável relativa, que nada diz sobre as condições absolutas de vida. Para saber se um país é desigual, é preciso comparar seus habitantes mais ricos e mais pobres e ver a distância entre eles. Um país que tenha uma pequena parcela de milionários e o restante da população passe fome é muito desigual. Já um onde todos passem fome é igualitário. A condição objetiva dos pobres em ambos, contudo, é a mesma.

Igualmente, se os mais pobres viverem como milionários, e os mais ricos sejam uma pequena parcela de trilionários, a desigualdade é grande.

As duas coisas, pobreza e desigualdade, se confundem facilmente, de modo que muita gente que se preocupa com a pobreza (com quem não tem, por exemplo, acesso a saneamento básico ou a educação) acaba falando de desigualdade: da diferença entre os mais ricos e os mais pobres. E essa confusão muda a maneira de pensar: pobreza e desigualdade acabam se tornando a mesma coisa, de modo que o melhor remédio contra a pobreza seria a redução da desigualdade, o que via de regra significa tirar de quem tem mais e dar para quem tem menos.

Consequentemente, aqueles que se dizem preocupados com a desigualdade frequentemente começam a discorrer sobre como a situação está ruim para os mais pobres. Aparentemente, tais pessoas presumem que uma desigualdade crescente deve significar que os ricos estão enriquecendo e os pobres, empobrecendo.

Mais especificamente, alguns parecem acreditar que os pobres estão mais pobres porque os ricos estão mais ricos. Isto é, eles supõem que a economia seja um jogo de soma-zero, de modo que, se alguns estão mais ricos, esta opulênciasó pode ter vindo dos pobres.

Sendo assim, limpe o terreno, esclareça os termos e eleve o nível da conversa. Certifique-se de que todos estejam falando a mesma coisa. Porque se estivermos discutindo a pobreza, a evidência esmagadora é a de que, globalmente, a miséria se reduziu dramaticamente nos últimos 25 anos.

Segunda pergunta: estamos falando de desigualdade de renda, de riqueza ou de consumo?

Aqueles preocupados com desigualdade costumam confundir renda e riqueza nessas discussões. Mesmo este famoso vídeo comete esse deslize. Ele começa apresentando dados sobre riqueza, mas, várias vezes ao longo da apresentação — incluindo uma longa discussão a respeito de um gráfico — ele se refere ao salário das pessoas. Salário é renda, não riqueza.

Riqueza se refere à soma de nossos ativos (dinheiro, imóveis, terras, carros e outros bens) menos passivos (dívidas em geral e contas a pagar). A riqueza é um estoque.

Já renda é a variação líquida de nossa riqueza em um dado período de tempo, seja porque ganhamos um salário, um dividendo de uma ação, juros de uma aplicação, ou aluguel do inquilino. A renda é um fluxo.

É possível ter uma grande riqueza, mas uma renda baixa, como uma pessoa idosa que vive só de sua magra pensão ou dos juros de sua poupança, mas que tem uma casa totalmente quitada.

Inversamente, alguém pode ter alta renda e baixa riqueza financeira. Por exemplo, alguém que tem um alto salário, mas gasta imediatamente tudo em bens de consumo.

Os dados serão diferentes dependendo de estarmos falando de riqueza ou de renda. Seja claro nesse tópico.

Desigualdade de consumo é uma terceira possibilidade. Trata-se da diferença entre o que ricos e pobres podem consumir. As evidências disponíveis sugerem que a desigualdade de consumo é muito menor que a de renda ou riqueza, principalmente nos países mais desenvolvidos. Os lares dos americanos pobres possuem quase todas as coisas que os lares ricos, ainda que de qualidade mais baixa. E a distancia entre ricos e pobres neste quesito se estreitou nas últimas décadas. Uma vez que, em última análise, é o que consumimos o que interessa, essa é uma questão que tem de ser deixada clara em eventuais discussões.

Como dito neste artigo: a riqueza de Bill Gates deve ser 100.000 vezes maior do que a minha. Mas será que ele ingere 100.000 vezes mais calorias, proteínas, carboidratos e gordura saturada do que eu? Será que as refeições dele são 100.000 vezes mais saborosas que as minhas? Será que seus filhos são 100.000 vezes mais cultos que os meus? Será que ele pode viajar para a Europa ou para a Ásia 100.000 vezes mais rápido ou mais seguro? Será que ele pode viver 100.000 vezes mais do que eu?

O capitalismo que gerou essa desigualdade é o mesmo que hoje permite com que boa parte do mundo possa viver com uma qualidade de vida muito melhor que a dos reis de antigamente. Hoje vivemos em condições melhores do que praticamente qualquer pessoa do século XVIII.

Terceira pergunta: e a mobilidade de renda?

Os que se preocupam com a desigualdade frequentemente pontificam como se os ricos, que estão ganhando cada vez mais, e os pobres, que estão ganhando cada vez menos, fossem sempre os mesmos, ano após ano.

Eles veem aquelas estatísticas que mostram que os 20% mais ricos detêm hoje uma fatia da renda nacional maior do que 30 anos atrás, ao passo que os 20% mais pobres detêm uma fatia menor. Daí, concluem que esses ricos são exatamente os mesmos, e que eles ficaram ainda mais ricos; e que os pobres são exatamente os mesmos, e que eles ficaram ainda mais pobres.

Muito bem.

Sobre os pobres terem ficado mais pobres, esta é uma conclusão que, como já dito, simplesmente não se sustenta. Os pobres enriqueceram nos últimos anos (veja o gráfico 1 deste artigo).

Falemos então sobre a mobilidade de renda, que é o que está sendo realmente ignorado. Comparações entre dois anos separados entre si por décadas são retratos estáticos de um processo dinâmico. O que essas comparações realmente dizem é que "aqueles que eram ricos no ano X detinham Y% da renda nacional; e aqueles que são ricos no ano X + 25 — pessoas completamente diferentes daquelas do ano X — detêm Z% da renda nacional".

Em outras palavras, as pessoas e famílias que abrangem "os ricos" muda ano a ano. E o mesmo ocorre para os 20% mais pobres.

Uma fácil comprovação disso é você olhar a lista de bilionários da Forbes, publicada anualmente. Praticamente todas as pessoas que figuravam na lista em 1987 — primeira vez em que ela foi publicada — não mais estão nela hoje.

Há um grande e controverso debate entre economistas sobre quão fácil ou difícil é para uma pessoa que é pobre em um dado ano ter maiores fluxos de renda nos anos seguintes. Este é o debate. Que a mobilidade de renda realmente existe, isso não mais está em questão.

A conclusão é que você não pode falar sobre desigualdade sem, ao menos, discutir o grau de mobilidade. Se o que incomoda as pessoas no que diz respeito à desigualdade é a suposição de que os pobres estão estagnados ou empobrecendo, então, explorar o grau em que isso é realmente verdade é essencial à discussão.

Quarta pergunta: quais, exatamente, são os problemas causados pela desigualdade?

Se você já conseguiu esclarecer o que todos os debatedores pensam sobre as três primeiras questões, faça então a pergunta: se a pobreza está se reduzindo e, mesmo na atual condição, os pobres ainda conseguem manter um padrão de consumo decente, o que, exatamente, há de errado com a (crescente) desigualdade?

Pela minha experiência, uma resposta comum é que, mesmo se os mais pobres estiverem enriquecendo, o aumento ainda maior na prosperidade dos ricos confere a estes um acesso injusto ao processo político. Os super-ricos transformarão seu poder econômico em poder político, frequentemente de maneira que redistribui recursos para eles próprios e seus amigos.

Esta, obviamente, é uma preocupação legítima, mas observe que a conversa, subitamente, mudou da desigualdade em si para os problemas dos conchavos políticos, do capitalismo de estado (ou "capitalismo de quadrilhas") e do fato de haver um estado com poder suficiente para se criar tais distorções.

Para atacar esse arranjo estatal corporativista e reduzir a capacidade dos ricos de transformar riqueza em poder político há várias soluções que não envolvem a redistribuição forçada de renda — a qual, no final, faz com que ainda mais dinheiro vá para políticos e seus mecanismos.

Aqueles que levantam essa preocupação estão, na prática, reclamando apenas do compadrio gerado pelo estado, não da desigualdade em si. A fonte do problema é o estado, cheio de benesses e de favores a serem distribuídos, o qual, indiscutivelmente, se tornaria ainda mais poderoso e distorcivo caso os preocupados com a desigualdade tivessem suas políticas favoritas aprovadas.

Por fim, mesmo aqueles que são céticos em relação aos argumentos de que a desigualdade seja problemática, podem concordar que tem havido alguma redistribuição de riqueza do pobre para o rico nas últimas décadas. Isso se dá, majoritariamente, por causa das políticas do governo que favorecem quem já está próximo ao poder, seja devido aos exorbitantes salários que funcionários públicos de alto escalão recebem, seja por causa de sua política de expansão de crédito subsidiado para grandes empresas, seja por causa de suas políticas protecionistas que protegem as grandes indústrias criando uma reserva de mercado e impedindo os pobres de comprar bens mais baratos do estrangeiro, seja por causa de sua política fiscal que, ao incorrer em déficits orçamentários, aumenta a riqueza dos compradores dos títulos públicos.

Não nos esqueçamos também da exigência de licenças profissionais e dos encargos sociais e trabalhistas que dificultam a obtenção de trabalho pelos mais pobres, que costumam ser menos qualificados e não justificam o preço exigido como mínimo a ser pago por sua mão-de-obra.

Há, ainda, tentativas governamentais de regular e até mesmo banir o Uber, o Lyft, o AirBnB e todas essas empresas da chamada "economia compartilhada". Essas são, justamente, as melhores alternativas para alguém que não está encontrando oportunidades conseguir uma fonte de renda, já que é a área da economia menos controlada pelo governo que se conhece.

Por fim, vale ressaltar que é o estado quem impede que os moradores de favelas obtenham títulos de propriedade, os quais poderiam ser utilizados como garantia para a obtenção de crédito, com o qual poderiam abrir pequenas empresas e se integrar ao sistema produtivo.

Todas essas políticas são problemáticas justamente porque aumentam a desigualdade e a pobreza de forma artificial. Com efeito, uma discussão muito mais interessante incluiria qual o papel dessas políticas estatais na criação das desigualdades artificiais em oposição às desigualdades naturais, que são aquelas que surgem espontaneamente no mercado em decorrência da maior aptidão de cada indivíduo.

Conclusão

Novamente, os leitores interessados em dados devem consultar as duas monografias linkadas no primeiro parágrafo do artigo. No entanto, mesmo sem os dados, essas são as quatro perguntas que valem a pena ser feitas numa conversa sobre desigualdade se você quer realmente chegar ao cerne do que está em jogo e persuadir aqueles preocupados com a crescente desigualdade a ver a questão por um ângulo diferente.

___________________________________________________
https://www.mises.org.barticle/2632/em-qualquer-discussao-sobre-desigualdade-estas-sao-as-quatro-perguntas-que-tem-de-ser-feitas
submitted by AnzoLinux to brasilivre [link] [comments]


2020.09.21 16:01 wonderful_teacher ROE (estudo comparativo)

ROE (estudo comparativo)
Continuando o estudo que eu estou fazendo com dados das empresas listadas na bolsa, agora eu fiz uma comparação com o ROE das empresas, considerando o que esta no livro "Warren Buffet e a analise de balanços":
As empresas que se beneficiam de uma vantagem competitiva durável ou de longo prazo apresentam um retorno sobre o patrimônio líquido acima da média. [...]
Um retorno alto sobre o patrimônio significa que a companhia está usando bem o lucro que está sendo retido. Com o passar do tempo, esses retornos altos sobre o patrimônio se acumulam e aumentam o valor subjacente da empresa, que, ao longo do tempo, acabará sendo reconhecido pelo mercado acionário por meio de um aumento da cotação das ações daquela companhia.
No capítulo seguinte, o autor expõe a questão que a alavancagem possui sobre os lucros da empresa:
Alavancagem é o uso de dívidas para aumentar o lucro da empresa. Esta toma emprestados US$ 100 milhões a 7% e utiliza esse dinheiro, ganhando 12%. Isso significa que está lucrando 5% além do custo do capital. Consequentemente US$ 5 milhões são lançados no resultado financeiro, aumentando o lucro e o retorno sobre o patrimônio.
O problema é que a alavancagem pode fazer com que a companhia pareça ter algum tipo de vantagem competitiva, quando, na verdade, está apenas usando um grande volume de dívidas.
Realmente, como foi apontado na publicação que eu tinha feito sobre margem de lucro líquido, não dá pra olhar só pra esse indicador e tirar concluões sobre qualquer vantagem competitiva da empresa, aliás, não dá pra usar nenhum indicador isoladamente.
Quando agente analisa o ROE (lucro líquido / patrimônio líquido), a gente precisa lembrar que o lucro líquido é impactado pelo giro que a empresa faz do ativo e também da alavancagem. Então uma empresa com baixa taxa de lucro pode ter um giro alto (por exemplo, comércio), ou se alavancar para aumentar o volume absoluto do lucro.
METODOLOGIA: Eu segui o comentário do u/Jejerm e baixei os dados financeiros das empresas listadas na bolsa e disponíveis na CVM, usei só o ano de 2019. Os dados usados não foram corrigidos pelos não-recorrentes, porque eu teria que pegar cada empresa e analisar, mas isso não impacta no resultado de uma maneira expressiva. (Eu até cogitei pelar isso do Bastter, mas eles arrendondam os valores e isso sim gerou grande diferença nos resultados, então eu fiz na unha).
Usei a definição que o u/celtiberian666 comentou na primeira publicação para chegar no ROE e isolar a margem de lucro líquido, giro do ativo e alavancagem ( LL/PL = LL/ROL x ROL/AT x AT/PL)
O gráfico abaixo mostra a relação negativa entre Margem de lucro líquido e as outras medidas (giro do ativo e alavancagem). A linha de tendência é estatisticamente significante, o que significa dizer que, na média, as empresas com baixa margem de lucro possuem maior giro do ativo ou alavancagem. Eu usei o log das variáveis porque a dimensão delas é muito diferente.

https://preview.redd.it/wturyy50bio51.png?width=483&format=png&auto=webp&s=2d61dd759664cd01ea370da608a54409176aaf18
A relação entre giro do ativo e alavancagem não é significante. O útlimo quadrante é somente a variável alavancagem com relação a ela mesma, pode ignorar.
Depois eu verifiquei qual é a distribuição das empresas por ROE, o gráfico abaixo mostra que não existe uma grande concentração, mas eu acho que a maioria (2/3 das empresas) tem um ROE de até uns 20%. Eu exclui as empresas com prejuízo, então só mostra as empresas com ROE>=0

https://preview.redd.it/1wxjfjk1bio51.png?width=972&format=png&auto=webp&s=8eff8b0d590738809e089ce186c1cde24bf8aaa9
Por fim, eu listas as empresas dentro de cada setor, rankeando em ordem decrescente de ROE, e comparando com a margem de lucro líquida. Quando a bolinha laranja (margem de lucro), está à esquerda da bolinha azul (ROE), então é porque a empresa esta compensando com giro ou alavancagem para chegar ao ROE indicado.
Pode ser que o não-recorrente distorça essa visualização aqui pra alguma empresa.
https://preview.redd.it/o6esu9ls8so51.png?width=1155&format=png&auto=webp&s=01889f47e201a2a81cf17851d0f64c6e2e8a6929
Se você comparar duas empresas do mesmo setor, fica mais claro essa diferença. Olhando EZTC e EVEN, as duas tem um ROE quase igual, de 7,6%. Mas a EZTC tem margem de lucro de 36,11% versus 7,46% da EVEN.m A EZTC gira menos o ativo em relação à EVEN, mas a alavancagem da EVEN é mais que o dobro da EZTC, pra entregar o mesmo ROE.

https://preview.redd.it/fol3y3e3bio51.png?width=950&format=png&auto=webp&s=9cf167a693f5f020a54afe0830b121386db93d3f
Não dá pra esgotar o assunto sobre o ROE. Como eu disse, não dá pra usar ele individualmente, qualquer movimento que impacte o lucro líquido ou o patrimônio líquido vão distorcer o indicador, principalmente dívida, uma outra maneira de analisar eficiência do lucro seria o ROIC. Mas os dados mostram que ele é um indicador razoável para balizar sua decisão e entender a diferença entre duas empresas do mesmo setor.

EDIT: mudei as cores
submitted by wonderful_teacher to investimentos [link] [comments]


2020.09.18 07:38 jhowjhow_ Ser introvertido me fez ser infeliz

Não falo em ser anti social, mas sim introvertido e timido. Nunca tive com quem conversar sobre qualquer coisa, mas não acho que isso seja o culpado.
Tenho receio de nem conseguir ficar com alguém por causa disso. É algo que não sei se me deixa aflito ou algo do tipo. Quer dizer, claro que eu fico meio triste, pra baixo as vezes. Mas sempre penso comigo mesmo que uma hora isso acaba.
Cara até hoje só tive uma namorada, a gente ficou junto durante uns 2 anos e meio. Foi muito legal. E foi a primeira e última mina que eu fiquei.
Tenho 20 anos, tô um pouco gordinho mas não me considero um cara feio, acho que sou normal. Me importo bastante com minha aparência, tento sempre ficar apresentável, mesmo não tendo muita grana pra ficar comprando roupa. Então a máquina de lavar trabalha 7 dias por semana kkkkk. Pelo menos a roupa fica cheirosa.
Não me considero como alguém indesejável ou chato de se ter ao lado, acho que meu maior problema era não saber manter um papo ou algo assim, mesmo eu me esforçando ao máximo. Antes era pior, mas ultimamente tô muito mais maduro em relação a isso, agora já consigo conversar normalmente com outras pessoas sobre vários assuntos.
Eu tenho muito problema em me expressar, já que como não tenho com quem falar, acabo que guardo tudo pra mim mesmo. Nem com minha mãe eu consigo me abrir. Sei que faz mal, mas não consigo falar o que tá acontecendo comigo.
Provavelmente eu acabei botando na minha cabeça que ninguém nunca tá nem aí pros sentimentos dos outros, então não tem necessidade de me expressar. E eu sei que isso não é totalmente mentira.
Sou muito na minha, mesmo não querendo eu acabo não falando muito. Mas não é por que eu não quero, mas sim porque não tenho muito jeito.
Agora mesmo tô me embolando nas palavras pra escrever aqui.
Nem sei se vou postar porque acho que acabei nem falando o que eu queria no começo.
A foda c.
submitted by jhowjhow_ to desabafos [link] [comments]


2020.09.10 11:11 Kundstregan Famalicense vence Parede e continua na luta.

Após terem perdido na ronda inaugural, Famalicense e Parede defrontaram-se no Minho, com a turma de Vítor Silva a vencer por 5-4.
Nesta prova de apuramento de subida e descida em relação à primeira divisão, tudo muito equilibrado na classificação.
O SC Tomar e o SC Marinhense somam quatro pontos, Tigres e Famalicense três, Paço d'Arcos dois e Parede zero pontos.
A formação de Famalicão começou bem o jogo e chegou a estar a vencer por 2-0 com tentos de Juan Lopez.
No entanto o Parede reagiu e conseguiu antes do descanso reduzir por 2-1 por intermedio de Bernardo Pinto.
O Famalicense podia ter aumentado a vantagem mas em cima do intervalo, Pedro Silva desperdiçou um livre direto.
No segundo tempo, o Parede alcançou a igualdade logo aos 2' por Manuel Coimbra.
Ambas as equipas criaram oportunidades para marcar, com Juan Lopez, Renato Castanheira e André Gaspar a desperdiçaram lances de bola parada.
Aos 17' Hugo Costa voltou a colocar o Famalicense na frente do marcador.
Seria o mesmo Hugo Costa aos 20' a elevar para 4-2 a vantagem minhota.
O Parede procurou entrar na discussão do resultado e reduziu aos 21' por André Ferreira, mas o Famalicense não "tremeu " e aumentou o resultado com o 5-3 apontado por Pedro Mendes.
No ultimo minuto o Parede sem guarda redes, ainda assustou com André Gaspar a estabelecer o 5-4 final.
Com este desfecho, o Famalicense passou a somar três pontos, numa ronda onde o Tomar superou em casa os Tigres de Almeirim a por 4-1. e o Marinhense empatou a cinco bolas com o Paço d'Arcos.
Na classificação, o Marinhense soma quatro pontos, SC Tomar também quatro, Tigres e Famalicense três, Paço d'Arcos dois e Parede zero pontos.
Para a terceira jornada, a disputar-se sabado, o Famalicense joga na Marinha Grande com o SC Marinhense, o HC Os Tigres recebem o Paço d'Arcos e o SC Tomar desloca-se ao Parede FC.
Resultado da 2ª Jornada:
Famalicense 5 - Parede 4
Marinhense 5 - Paço d'Arcos 5
SC Tomar 4 - HC Os Tigres 1
https://hoqueiminhoto.blogspot.com/
submitted by Kundstregan to HoqueiEmPatins [link] [comments]


2020.09.08 03:55 LAGOOLIVEIRA A Consumação da Obra Únicana restauração do Senhor - a Nova Jerusalém

u / LAGOOLIVEIRA1postado poru / LAGOOLIVEIRAAgora mesmo

A Consumação da Obra Únicana restauração do Senhor - a Nova Jerusalém

📷
Página 1O TRABALHO ÚNICO NA RECUPERAÇÃO DO SENHOR (Sábado - Sessão da Tarde) Mensagem Nove A Consumação da Obra Únicana restauração do Senhor - a Nova Jerusalém Leitura da Escritura: Apocalipse 3:12; 21: 2, 9-23 I. A única obra na restauração do Senhor é elaborar a Nova Jerusa-lem - o objetivo final da economia de Deus - Apoc. 21: 10-11: A. A degradação da igreja é principalmente devido ao fato de que quase todos os cristãosostrabalhadores americanos estão distraídos para tomar algo diferente de Nova Jerusalémcomo seu objetivo.B. Devemos fazer apenas uma obra, que é tornar o povo escolhido de Deus seres ema Nova Jerusalém - 3: 12.II. A Nova Jerusalém é a consumação final da construção deos crentes, que foram feitos Deus em vida, na natureza, na constituição, e em expressão, mas não na Divindade; assim, há uma relação intrínsecarelação entre os crentes tornarem-se Deus em vida e na natureza e oprodução de Nova Jerusalém - 21: 2; 3: 12: A. A Nova Jerusalém envolve Deus se tornando homem, e o homem se transformando Deus emvida e na natureza, mas não na divindade, e Deus e o homem sendo mesclados para-juntos como uma entidade - João 1: 12-14; 14:20; 15: 5a; Rev. 21: 3, 10-11.B. Em Cristo, Deus se tornou o homem para fazer o homem Deus em sua vida e em sua naturezazapara que o Deus redentor e o homem redimido podem ser mesclados, constituídos, juntos para serem uma entidade - a Nova Jerusalém - vv. 3, 22.C. A Nova Jerusalém é uma composição dos escolhidos, redimidos, regenerados de Deus, santificado, renovado, transformado, conformado e glorificado pessoas que têmfoi deificado - João 3: 6; Heb. 2:11; ROM. 12: 2; 8: 29-30: 1. Para nós, sermos deificados significa que estamos sendo constituídos com ou processado e consumando o Deus Triúno para que possamos ser feitos Deus em vida e emnatureza para sua expressão corporativa para a eternidade - Ap. 21: 11.2. A deificação dos crentes é um processo na salvação orgânica de Deus queserá consumada em Nova Jerusalém; esta é a verdade mais elevada e oevangelho mais elevado - Rom. 5:10; Rev. 3:12; 21: 10-11.D. No início da Bíblia, há o único Deus, e no final há umgrande Deus corporativo, a Nova Jerusalém, um Deus-homem corporativo - o ampliado, incorporação universal divino-humana do processado e consumadoDeus Triúno com os crentes regenerados, transformados e glorificados - Gên.1: 1; Rev. 21: 3, 22; 22: 17a.III. Hoje nossa obra para o Senhor com sua questão deve ser governada edirigido pela visão da Nova Jerusalém; o que é revelado noa descrição desta cidade única deve ser o modelo do que somos ecomo trabalhamos - 3:12; 21: 2, 9-23: 63Página 2A. A Nova Jerusalém é uma consumação da construção orgânica doCorpo de Cristo nas igrejas locais; as igrejas locais são o procedimento paraDeus realizará a edificação do Corpo de Cristo para a edificação doNova Jerusalém - 1 Coríntios. 1: 2; 12: 12-13,27; Rev. 21: 2: 1. O Corpo de Cristo precisa das igrejas locais para sua existência e funcionamento - Atos 8: 1; 13: 1.2. As igrejas locais são as muitas expressões em muitas localidades de umCorpo de Cristo - Apoc. 1: 4, 11,3. No primeiro capítulo do Apocalipse vemos as igrejas locais, mas nos últimosimodois capítulos, vemos apenas uma cidade - v. 11; 21: 2.4. O desejo do Senhor é ganhar uma Nova Jerusalém por meio do precursor doCorpo orgânico de Cristo edificado nas igrejas locais - Ef. 4:16; Rev. 21: 2.B. A Nova Jerusalém é o candelabro universal de ouro - vv. 18b, 23: 1. A Nova Jerusalém é a consumação final dos candeeiros noEscrituras - Exo. 25: 31-37; 1 Reis 7:49; Zech. 4: 2; Rev. 1:20; 21: 18b, 23,2. As igrejas como candeeiros de ouro serão consumadas em Nova Jerusalémsalem, o agregado de todos os candeeiros - 1:20; 21: 18b, 23: uma. No livro do Apocalipse, há dois grandes sinais - o sinal do ourocandeeiros e o sinal da Nova Jerusalém - 1: 1, 12, 20; 21: 2, 10-11.b. A revelação começa com os candeeiros e termina com o candelabro -1: 20; 21: 18b, 23.c. Os candeeiros são sinais das igrejas, enquanto a Nova Jerusalémé um sinal da morada eterna de Deus - vv. 2-3, 22,3. A Nova Jerusalém, uma montanha de ouro, é o candelabro universal de ourosegurando o Cordeiro como a lâmpada que resplandece Deus como a luz - vv. 18b, 23; 22: 1, 5.C. A Nova Jerusalém é a eterna Betel - Gên. 28: 10-22; Rev. 21: 3, 22: 1. O sonho de Jacó era um sonho da meta de Deus, um sonho de Betel, um sonho docasa de Deus (Gen. 28: 10-22), que é a igreja hoje (1 Tim. 3:15) eque se consumará na Nova Jerusalém como a morada eternalugar de Deus e Seus eleitos redimidos (Ap 21: 3, 22): uma. Deus teve um sonho, e esse sonho era ter a Nova Jerusalém, umcidade construída, como a consumação de Sua economia - v. 2b. Nosso sonho é nos tornar a Nova Jerusalém como a consumação deA economia de Deus - vv. 9-10,2. Cristo, sendo a escada celestial em Betel, fala-nos como Deusdeseja ter uma casa na terra localizada com Seus remidos eeleitos transformados, para que ele possa trazer o céu à terra e unir a terra paracéu, para tornar os dois um por toda a eternidade - Jo 1:51; Gênesis 28: 10-22.3. A construção de Deus, a casa de Deus, é a morada mútua de Deus e do homem; A casa de Deus é o homem, e a casa do homem é Deus - Isa. 66: 1-2; 1 Cor. 3:16; Psa.90: 1; João 15: 5a; 14: 23,4. Sem futuro da eternidade, a Nova Jerusalém estará em toda a unidadeverso como algo elevado em direção aos céus sobre o qual o anjofamília vai subir e descer para trazer o céu para a terra e unir a terra para64Página 3céu para o tráfego divino, uma comunhão divina, entre Deus e o homem -2 Cor. 13: 14.D. A Nova Jerusalém é o eterno Monte Sião, o Santo dos Santos, o lugaronde Deus está - Apoc. 14: 1-5; 21: 1-3, 16; Heb. 12h22: 1. Na era da igreja, os homens-Deus que foram aperfeiçoados e amadurecidos sãoSião, os vencedores - Rev. 14: 1: uma. A igreja é a Jerusalém celestial, e os vencedores de são Sião comoo pico alto e o destaque - Heb. 12:22; Rev. 14: 1.b. Os vencedores são para a edificação do Corpo de Cristo para consumiracasalar a Nova Jerusalém - Rom. 12: 4-5; Eph. 4:16; Rev. 3: 12.2. No novo céu e nova terra, toda a Nova Jerusalém se tornaráSião; a Nova Jerusalém, a eterna Sião, será o Santo dos Santos, olugar onde Deus está - 21: 1-3, 16, 22.E. A Nova Jerusalém é a Sulamita real e consumada - uma corporaçãoSulamita, incluindo todo o povo escolhido e redimido de Deus - SS 6:13; Rev.21: 2, 9-10; 22: 17: 1. A maravilhosa Sulamita, a duplicação de Salomão, é a maior efigura final de Nova Jerusalém - SS 6:13; Rev. 21: 2.2. Como contrapartida de Salomão, a Sulamita se tornou a mesma que Salomão emvida, natureza e imagem, como Eva era para Adão - Gên. 2: 20-23: uma. Isso significa que o amante de Cristo se torna o mesmo que em vida, natureza e imagem para combinar com Ele em seu casamento - 2Co 3:18; ROM 8: 29; Rev. 19: 7; 21: 2.b. Os muitos amantes de Cristo eventualmente se tornarão duplicações de Deus emvida e na natureza, mas não na divindade; este é o cumprimento de Deustornar-se homem para que o homem se torne Deus, que é o ponto alto daa revelação divina.IV. “O Deus Triúno processado e consumado, de acordo com o bemprazer de Seu desejo e pela intenção mais elevada em Sua economia, é construir a Si mesmo em Seu povo escolhido e Seu povo escolhido emEle mesmo, para que tenha uma constituição em Cristo como uma mistura de divindadecom a humanidade de ser Seu organismo e Corpo de Cristo, como Seuexpressão eterna e a morada mútua para o Deus redentor e ohomem redimido. Uma consumação final desta estrutura milagrosade tesouro será a Nova Jerusalém para a eternidade ”- inscrever-se emTumba de Witness Lee.Trechos do Ministério: DEIFICAÇÃO - TORNANDO-SE DEUSNA VIDA E NA NATUREZA, MAS NÃO NA TRINDADEIsso nos leva à questão da deificação - a intenção de Deus de tornar os crentes Deus emvida e na natureza, mas não na divindade. Atanásio referiu-se à deificação quando noConselho de Nicea em A. D. 325, ele disse: "Ele [Cristo] foi feito homem para que pudéssemos ser feitos Deus." Embora o termodeificação seja familiar a muitos teólogos e professores cristãos, durantenos últimos dezesseis séculos, apenas um pequeno número ousou usar sobre a deificaçãodos crentes em Cristo.65Página 4Não fui influenciado por nenhum ensino sobre deificação, mas aprendi com meuestudo da Bíblia que Deus pretende tornar os crentes Deus na vida e na natureza, mas nãona Divindade. Por exemplo, 1 João 3: 2 diz: “Amados, agora somos filhos de Deus eainda não foi manifestado o que seremos. Sabemos que se Ele se manifestar, seremoscomo Ele porque nós O veremos assim como Ele é. ”Este versículo revelador claramente que seremos comoDeus.Deus nos torna semelhantes a Ele ao transmitir Sua vida e natureza a nós. 2 Pedro 1: 4 dizque nos tornamos "participantes da natureza divina". João 1: 12-13 diz que nascemos, regenerado, por Deus com Sua vida. Como filhos de Deus, somos "deuses bebês", tendo a vida de Deus enatureza, mas não Sua Divindade. A Divindade é única; Ele é o único que deveria estar trabalhandoenviado.Nós nascemos de Deus e hoje, tendo a vida e a natureza de Deus, somos parcialmente comoEle. Um dia, quando Ele vier, seremos total e inteiramente como Ele.Foi maravilhoso para Davi ser um homem segundo o coração de Deus, mas não foi o suficiente.Deus quer aqueles que podem dizer: “Não sou apenas uma pessoa segundo o coração de Deus. Eu sou deus emvida e na natureza, mas não em Sua Divindade. ”Por um lado, o Novo Testamento revela quea Divindade é única e que somente Deus, o único que possui uma Divindade, deve ser adorado.Por outro lado, o Novo Testamento revela que nós, os crentes em Cristo, temosvida e natureza e que estamos nos tornando Deus em vida e na natureza, mas nunca teremos SuaDivindade. ( Foi maravilhoso para Davi ser um homem segundo o coração de Deus, mas não foi o suficiente.Deus quer aqueles que podem dizer: “Não sou apenas uma pessoa segundo o coração de Deus. Eu sou deus emvida e na natureza, mas não em Sua Divindade. ”Por um lado, o Novo Testamento revela quea Divindade é única e que somente Deus, o único que possui uma Divindade, deve ser adorado.Por outro lado, o Novo Testamento revela que nós, os crentes em Cristo, temosvida e natureza e que estamos nos tornando Deus em vida e na natureza, mas nunca teremos SuaDivindade. ( Foi maravilhoso para Davi ser um homem segundo o coração de Deus, mas não foi o suficiente.Deus quer aqueles que podem dizer: “Não sou apenas uma pessoa segundo o coração de Deus. Eu sou deus emvida e na natureza, mas não em Sua Divindade. ”Por um lado, o Novo Testamento revela quea Divindade é única e que somente Deus, o único que possui uma Divindade, deve ser adorado.Por outro lado, o Novo Testamento revela que nós, os crentes em Cristo, temosvida e natureza e que estamos nos tornando Deus em vida e na natureza, mas nunca teremos SuaDivindade. ( deve ser adorado.Por outro lado, o Novo Testamento revela que nós, os crentes em Cristo, temosvida e natureza e que estamos nos tornando Deus em vida e na natureza, mas nunca teremos SuaDivindade. ( deve ser adorado.Por outro lado, o Novo Testamento revela que nós, os crentes em Cristo, temosvida e natureza e que estamos nos tornando Deus em vida e na natureza, mas nunca teremos SuaDivindade. (Estudo-vida de 1 e 2 Samuel, pp. 166-167) A NOVA JERUSALÉM - UMA COMPOSIÇÃO DE DIVINDADE E HUMANIDADEMISTURADO E MISTURADO JUNTOS COMO UMA ENTIDADEA conclusão da revelação divina na Bíblia é um edifício, a Nova Jerusalém.Este edifício é uma fusão e mesclagem da divindade com a humanidade. Isso é provado pelodescrição da Nova Jerusalém em Apocalipse 21. O versículo 3 refer-se à Nova Jerusalém como “O tabernáculo de Deus” e o versículo 22 diz: “Não vi templo nele, pois o Senhor Deus, o Todo-Poderosoe o Cordeiro é o seu templo. ”A Nova Jerusalém como tabernáculo de Deus é para Deus habitarem, e Deus e o Cordeiro como o templo são para os santos redimidos habitarem. Isso indicaque a Nova Jerusalém será uma morada mútua para Deus e o homem. Além disso, esteedifício é uma composição de seres humanos. Os portões são pérolas inscritas com os nomes deas doze tribos dos filhos de Israel (v. 12), e nas doze fundações estão como dozenomes dos doze apóstolos do Cordeiro (v. 14). Isso indica claramente que a Nova Jerusalémé uma composição do Deus Triúno, que é a essência, centro e universalidade, e Deuspessoas redimidas.A Nova Jerusalém é uma composição da divindade e humanidade mescladas e mescladasjuntos como uma entidade. Todos os componentes têm a mesma vida, natureza e constituição eportanto, são uma pessoa corporativa. É uma questão de Deus se tornar o homem e o homem se tornar Deus emvida e na natureza, mas não na divindade. Esses dois, Deus e homem, homem e Deus, são construídosjuntos sendo misturados e mesclados. Esta é uma conclusão, uma consumação, do edifício de Deus. Todos nós precisamos ter essa visão. ( A Nova Jerusalém é uma composição de divindade e humanidade mescladas e mescladasjuntos como uma entidade. Todos os componentes têm a mesma vida, natureza e constituição eportanto, são uma pessoa corporativa. É uma questão de Deus se tornar o homem e o homem se tornar Deus emvida e na natureza, mas não na divindade. Esses dois, Deus e homem, homem e Deus, são construídosjuntos sendo misturados e mesclados. Esta é uma conclusão, uma consumação, do edifício de Deus. Todos nós precisamos ter essa visão. ( A Nova Jerusalém é uma composição de divindade e humanidade mescladas e mescladasjuntos como uma entidade. Todos os componentes têm a mesma vida, natureza e constituição eportanto, são uma pessoa corporativa. É uma questão de Deus se tornar o homem e o homem se tornar Deus emvida e na natureza, mas não na divindade. Esses dois, Deus e homem, homem e Deus, são construídosjuntos sendo misturados e mesclados. Esta é uma conclusão, uma consumação, do edifício de Deus. Todos nós precisamos ter essa visão. ( do edifício de Deus. Todos nós precisamos ter essa visão. ( do edifício de Deus. Todos nós precisamos ter essa visão. (Estudo-vida de 1 e 2 Samuel, pp. 198-199) O diamante na caixa Se lermos a Bíblia sem prestar atenção a este ponto crucial, então, de uma forma muito realsentido, a Bíblia é para nós um livro vazio. Isso significa que embora a Bíblia seja real em si mesma, emnosso entendimento dela é a Bíblia vazia. Como ilustração, vamos supor que um certoA caixa, bastante atraente, contém um grande diamante. Uma criança pode estar interessada na caixamas não no diamante. Um adulto, no entanto, focaria sua atenção no diamante contidona caixa. Hoje, muitos cristãos estão preocupados com a Bíblia como a "caixa", mas eles não viram e66 Página 5não apreciam o “diamante” que é o conteúdo desta caixa, e podem até condenaraqueles que têm uma apreciação adequada do "diamante" na "caixa". O “diamante” no “Caixa” da Bíblia é a revelação de que em Cristo Deus fez o homem para que o homempode se tornasse Deus em vida e na natureza, mas não na Divindade.A grande maioria dos cristãos de hoje negligencia o ponto crucial na Bíblia que emCristo Deus tornou-se homem para fazer do homem Deus na vida e na natureza, mas não naGodhead e que Deus deseja se mesclar com o homem para ser uma entidade. Alguns não sónegligencie isso; eles acusam falsamente como heréticos que o ensinam. Hoje muitos acreditam em umaspecto deste ponto crucial - que Deus se tornou um homem chamado Jesus - mas eles não acreditamo outro aspecto - que o homem está se tornando Deus em vida e na natureza,Estudo-vida de 1 e 2 Samuel, p. 204) A LUZ EA LÂMPADAA cidade que não tem necessidade do sol nem da lua Apocalipse 21:23 diz: “A cidade não precisa do sol nem da lua parabrilhe nele, pois a glória de Deus o iluminou, e sua lâmpada é o Cordeiro” . No milênio oa luz do sol e da lua será intensificada (Is 30:26). Mas na Nova Jerusalémno novo céu e nova terra, não haverá necessidade do sol nem da lua. O único a lua estará no novo céu e nova terra, mas não estará disponível noNova Jerusalém; pois ali Deus, a luz divina, brilhará com muito mais intensidade. Não Havendo NoiteNa Nova Jerusalém não haverá noite, pois “não haverá mais noite” (Ap 22: 5a). “Não haverá noite” (21: 25b). No novo céu e nova terra, ainda haverá odistinção entre dia e noite, mas na Nova Jerusalém não haverá tal distinçãoção. Fora da cidade haverá noite, mas dentro da cidade não haverá noite porque oa cidade terá uma luz eterna e divina, o próprio Deus. A Glória de Deus iluminando a cidade como a luz da vida divina, e o Cordeiro sendo a lâmpada que irradia a luz divinapela Cidade Transparente como a GlóriaApocalipse 21:11 e 23 nos dizem que a Nova Jerusalém tem a glória de Deus e que elaa luz é como uma pedra preciosíssima, como uma pedra de jaspe, clara como o cristal. Na nova JerusalémCristo, como a lâmpada da cidade sagrada, brilhará com Deus como a luz para iluminar a cidadecom a glória de Deus, uma expressão da luz divina. “A cidade não precisa de sol nem dea lua para que nela brilhassem, pois a glória de Deus a iluminou, e sua lâmpada é aCordeiro” (v. 23). A glória de Deus, que é Deus expresso, ilumina a Nova Jerusalém.Portanto, a glória de Deus, com Deus como sua substância, essência e elemento, é a luz doNova Jerusalém que brilha no Cordeiro como sua lâmpada. A glória expressa de Deus, ou o Deusda glória expressa, é a luz brilhando em Cristo como a lâmpada através da parede de jaspe deA Nova Jerusalém como o jaspe mais precioso, que traz a aparência de Deus rica em vida (v. 11) .A aparência de Deus rico em vida acompanhada o brilho para uma expressão de Deus em Sua emanifestação final consumada.Em 21:23, vemos que Deus é a luz e Cristo é uma lâmpada. Isso indica que Deus e o Cordeiro é uma luz. Deus é o conteúdo, e o Cordeiro, Cristo, é o portador da luz, oexpressão. Isso significa que Deus, que é a luz, brilhará em Cristo como a lâmpada em toda a cidade. Esta é uma questão de dispensar divino, pois o brilho da luz divina é realmenteo dispensar de Deus Triúno processado aos crentes.67 é o portador da luz, oexpressão. Isso significa que Deus, que é a luz, brilhará em Cristo como a lâmpada em toda a cidade. Esta é uma questão de dispensar divino, pois o brilho da luz divina é realmenteo dispensar de Deus Triúno processado aos crentes.67 é o portador da luz, oexpressão. Isso significa que Deus, que é a luz, brilhará em Cristo como a lâmpada em toda a cidade. Esta é uma questão de dispensar divino, pois o brilho da luz divina é realmenteo dispensar de Deus Triúno processado aos crentes.67Página 6 Deus, a luz divina, precisa de uma lâmpada. Sem o Cordeiro sendo a lâmpada, o brilho de Deusiria nos matar. No entanto, com o Cristo redentor como lâmpada, a luz divina não matanós, mas em vez disso nos ilumina. Primeira Timóteo 6:16 diz que Deus habita em luz inacessível.Em Cristo, porém, Deus se torna acessível. Separado de Cristo, o brilho de Deus seria ummatando, mas em Cristo o brilho de Deus é uma iluminação. Porque a luz divina brilha atravéso Cordeiro, o Redentor, tornou-se amável e palpável. Através do Cordeiro como olamp A luz de Deus se torna um brilho agradável para o dispensar de Deus. ( A Conclusão doNovo Testamento, pp. 2731-2733) A ESPOSA DO CRISTO REDENTORA Nova Jerusalém não é apenas o tabernáculo de Deus, mas também a esposa dos redentoresCristo. Tanto no Antigo como no Novo Testamento, Deus compara Seu povo escolhido a uma esposa porSua satisfação no amor (Isaías 54: 6; Jeremias 3: 1; Ezequiel 16: 8; Oséias 2:19; 2 Coríntios 11: 2; Efésios 5: 31-32) .Na Nova Jerusalém como a esposa do Cristo redentor, Deus terá a mais plena satisfaçãoção no amor.Apocalipse 21: 9b e 10 dizem: “Vem esposa, eu te mostrarei a noiva, a do Cordeiro.E ele me levou em espírito para uma grande e alta montanha e me mostrou a cidade sagrada, Jerusalém, descendo do céu da parte de Deus. ”Pensar que uma noiva é principalmente para o casamento, a esposa é para o resto da vida. A Nova Jerusalém será uma noiva no milênio paramil anos como um dia (2 Pedro 3: 8) e então a esposa no novo céu e nova terrapara a eternidade. A noiva no milênio incluirá apenas os santos vencedores, mas a esposano novo céu e nova terra incluirá todos os filhos redimidos e regenerados de Deus (Rev. 21: 7) .A Nova Jerusalém será uma com o Cristo redentor, como Eva se tornado uma comAdão. Eva foi construída a partir de uma costela que foi tirada do lado de Adão, e então ela foi trazida volta a ele para ser uma carne com ele - ser um com ele na natureza e na vida (Gênesis 2: 21-24; Ef. 5: 25-27, 29-32). O princípio é o mesmo com a Nova Jerusalém como a esposa doredimindo Cristo. Ela será uma com o seu Redentor na natureza e na vida. Mais uma vez vemosque a Nova Jerusalém não pode ser uma cidade material, pois uma cidade física não pode ser uma comCristo na natureza e na vida. A Nova Jerusalém não terá apenas o elemento divino adicionado a ele e a natureza santa de Deus trabalhada nele,Ter a Igreja como miniatura A Nova Jerusalém como esposa do Cristo redentor tem uma igreja como sua miniatura.Isso é revelado pela palavra de Paulo em Efésios 5: 22-32, onde ele fala da igreja como ocontraparte de Cristo. A igreja é na verdade uma parte de Cristo, pois a igreja vem deCristo é para Cristo, assim como Eva saiu de Adão e foi para Adão.Em Efésios 5:32, Paulo diz: “Grande é o mistério, mas falo a respeito de Cristoe a igreja. ”O fato de que Cristo e a igreja são um só espírito (1 Cor. 6:17), conforme tipificadopelo fato de o marido e a esposa serem uma só carne, é o grande mistério. Certamente é um grande mistérioque a igreja como a contraparte de Cristo vem de Cristo, tem a mesma vida e natureza queCristo, e é um com Cristo. Tendo sido a Noiva de Cristo no MilênioNo novo céu e nova terra, Cristo terá uma esposa, mas no milênio Ele teráter uma noiva (Ap. 19: 7-8; 21: 2), consistindo nos crentes vencedores. Em sua voltaCristo se casará com os vencedores. Esse casamento é descrito em Apocalipse 19: 7-9.68 Página 7 Apocalipse 19: 7 diz: “Alegremo-nos e exultemos, e demos glória a Ele, peloo casamento do Cordeiro chegou, e Sua esposa se aprontou. ”O casamento doCordeiro é o resultado da conclusão da economia neotestamentária de Deus. Economia de Deus emo Novo Testamento é obter para Cristo uma noiva, uma igreja, por meio de Sua redenção evida divina. Pela operação contínua do Espírito Santo ao longo de todos os séculos, esse objetivoserá concluído no final desta idade. Em seguida, uma noiva, que consistirá na superaçãocrentes, prontos prontos.As palavras Sua esposaem Apocalipse 19: 7 especial-se à igreja (Ef 5: 24-25, 31-32), a noivade Cristo (João 3:29). No entanto, de acordo com Apocalipse 19: 8 e 9, a esposa, a noiva de Cristo, consiste apenas nos crentes vencedores durante o milênio, enquanto a noiva, a esposa, em Apocalipse 21: 2 é composta por todos os santos salvos após o milênio para semprenidade.Apocalipse 19: 7b nos diz que a esposa “se aprontou”. A prontidão donoiva depende tanto da maturidade dos vencedores em vida quanto de serem construídos juntos comouma entidade corporativa. Portanto, osedores não são apenas maduros em vida, mas também construídosjuntos como uma noiva.Apocalipse 19: 8 diz: “Foi-lhe permitido que se vestisse de linho fino, resplandecentee puro; porque o linho fino são as justiças dos santos ”. Aqui puro se refere aonatureza ebrilhante , para a expressão. Como virtudes, ou atos justos, não se refere aa justiça (que é Cristo) que Recebemos para nossa salvação, uma justiça que é objetivo e que nos qualifica para atender às exigências de Deus justo. As justiçasdos crentes vencedores em Apocalipse 19: 8 são subjetivos para que possam encontrar oexigência da vitória de Cristo. O linho fino, portanto, indica nossa superaçãovida. Na verdade, é o Cristo que vivemos de nosso ser. Constituído por todos os santos aperfeiçoadosEm última análise, no novo céu e nova terra, a Nova Jerusalém como a esposa do Cristo redentor será constituída de todos os santos perfeitos. Depois do milênio tudoos santos foi aperfeiçoados e constituídos juntos para ser a entidade maravilhosa daNova Jerusalém.A consumação da igreja como a contraparte de Cristo será a Nova Jerusalémno novo céu e nova terra para a eternidade. Apocalipse 21: 2 diz: “Eu vi a cidade santa, NovaJerusalém, descendo do céu de Deus, preparada como uma noiva adornada para seu maridobanda.” A Nova Jerusalém é uma composição viva de todos os santos redimidos e aperfeiçoados porDeus por todas as gerações . Esta é uma noiva, uma esposa de Cristo como Sua contraparte. Comoa esposa de Cristo, a Nova Jerusalém sai de Cristo e se torna Sua contraparte. Elaé preparado pela participação nas riquezas da vida e natureza de Cristo.Apocalipse 22:17 indica que Cristo e a Nova Jerusalém como Sua esposa serão umcasal universal para a eternidade. O Espírito, que é a totalidade do Deus Triúno processado, torna-se um com os crentes, que agora estão totalmente maduros para serem celebrados a noiva. Portanto, um consomatório do Deus Triúno processado e a consumação dos escolhidos, redimidos de Deus, como pessoas regeneradas e transformadas serão uma e serão um casal universal expressando o Deus Triúno para a eternidade. ( a consomatório do Deus Triúno processado e a consumação dos escolhidos, redimidos de Deus, como pessoas regeneradas e transformadas serão uma e serão um casal universal expressando oDeus Triúno para a eternidade. ( a consomatório do Deus Triúno processado e a consumação dos escolhidos, redimidos de Deus, como pessoas regeneradas e transformadas serão uma e serão um casal universal expressando oDeus Triúno para a eternidade. (A Conclusão do Novo Testamento, pp. 2700-2703) 69📷
Texto original
O TRABALHO ÚNICO NA RECUPERAÇÃO DO SENHORugerir uma tradução melhor
submitted by LAGOOLIVEIRA to u/LAGOOLIVEIRA [link] [comments]


2020.09.08 03:37 fracassadooo Me tornei um ninho, uma alma vazia

Conheço o Reddit tem um bom tempo já, apesar de não interagir com a galera, me sinto melhor vendo as histórias/desabafos do pessoal. O texto provavelmente vai ser longo, então desde já desculpas se eu falar muito. Sou um cara de 19 anos, faço 20 no final do ano e apesar de estar trabalhando (integral) e estudando numa faculdade pública (Fatec), me sinto um em relação aos meus sentimentos, sou muito solitário, aquele tipo de pessoa que ninguém chama pra roles e coisas do gênero. E algumas coisas contribuem/contribuíram para eu me sentir assim, sai do ensino médio BV e com poucos amigos, e mesmo assim naquela época eu me sentia feliz, como se eu ainda tivesse esperança que as coisas fossem melhorar, depois do ensino médio nunca mais fui o mesmo, fui um dos poucos que não arrumou emprego ou entrou na faculdade no ano seguinte, fazendo eu ficar em casa tempo demais, enquanto as pessoas seguiam a vida e eu me sentia cada vez mais pra trás, fiquei perdendo tempo e me iludindo com concurso público. No ano de 2019 (terminei o EM em 2017), consegui tirar minha CNH, entrei na faculdade, arrumei um estágio e comprei um PC gamer, parecia tudo bem porém essa sensação de se sentir sozinho nunca passava, tinha madrugadas que eu não dormia pensando em suicídio e coisas do tipo. Em 2020, consegui ficar com uma menina pela primeira vez, no segundo encontro que foi dia 16/03, depois disso nunca mais se vimos, basicamente ela me enrolou e me descartou voltando pro ex dela no meio desse ano, e essa sensação de solidão/rejeição só aumentou em mim, me senti como um tapa buraco e na época já esperava/temia por isso e hoje estou aqui sozinho, sem amigos, sem ninguém, passei o feriado inteiro jogando no meu quarto isolado e bate essas horas só dá vontade de chorar, não consigo sorrir, não consigo me sentir feliz, apesar de ter uma casa, emprego, pais que se importam comigo e outras coisas,por isso é como eu me sentisse vazio constantemente. Cheguei a procurar ajuda psicológica, mas não adiantou mesmo depois de três meses de consultas semanais, me sinto um inútil como antes, as vezes me olho no espelho e sinto vergonha de quem eu sou, como se a todo momento eu me sentisse um fracassado e solitário. Tentei resumir como eu me sinto, espero que não tenha ficado confuso, só queria desabafar em algum lugar, e é isso, obrigado por ler até aqui, espero que ao acordar e eu me sinta melhor.
submitted by fracassadooo to desabafos [link] [comments]


2020.08.29 03:16 ca7kato News Letter do meu irmão escritor

Oi gente bonita! Queria compartilhar um texto do meu irmão. Ele é escritor e tá tentando viver disso. A news letter é gratuita e toda terça-feira ele manda um texto para os emails inscritos. Ele também cria conteúdo no instagram onde ele posta um verso todo dia. Eu não sei se pode divulgar perfil de instagram aqui, mas vou deixar nos comentários para quem se interessar. Boa leitura!

A Primeira Vez

Antes de mais nada quero deixar claro que essa não é uma crônica erótica, como o título tende a sugerir.
Nesse momento, metade da audiência suspira aliviada, metade pensa em fechar o e-mail.
Eu lembro muito bem da primeira vez em que subi num palco com uma banda.
Foi lá no falecido bar Pireus, próximo ao Ipiranga, na zona sul de São Paulo.
A proposta, organizada pela minha escola de música, era bem simples: diversas bandas se apresentariam tocando uma música cover de sua preferência.
Eu, como bom metaleiro adolescente carrancudo, achava que o Heavy Metal era o único estilo de música possível, e qualquer um que achasse o contrário era um herege do deus metal e seria alvo do meu ódio eterno.
Portanto, a música que eu escolhi foi The Number of The Beast, do Iron Maiden. Mais óbvio, impossível.
Depois de ensaios e ensaios, eis que chega o grande dia. Aquele era o meu momento; era hora da minha guitarra brilhar e provar para os meus pais que aquele dinheiro gasto no conservatório estava valendo a pena; era a hora de provar que eu poderia ser capaz de garantir uma aposentadoria interessante, assim que voltasse da turnê mundial, após vender milhões de discos pelo mundo.
A apresentação começou bem, com todos os membros alinhados e tocando conforme havíamos ensaiado. Só o vocalista não era lá essas coisas, mas quem sou eu para querer que um garoto de 15 anos seja o próximo Bruce Dickinson?
Enfim, estava tudo maravilhoso. O público, um bando de pais apoiando os filhos, estava indo à loucura.
Finalmente então, havia chegado o momento da música mais esperado por mim: meu solo de guitarra.
Pra quem não é guitarrista, aqui vai uma pequena explicação: a hora do solo de guitarra é o momento onde se separa o joio do trigo. É a hora em que você se aproxima de um Steve Vai ou de um Eduardo Costa. É o que vai definir se vou para o Barcelona ou para a Portuguesa.
Enfim, quando ergo a minha guitarra, no momento mais importante da música, e toco a primeira nota desse solo épico, o equipamento de som simplesmente para de funcionar. Mas detalhe, não da banda inteira, somente o equipamento do meu instrumento, como se num passe de magia oculta.
A minha guitarra fica muda e eu fico perplexo.
A minha indignação foi tanta que não houve qualquer profissionalismo. Enquanto todos os outros membros da banda continuaram tocando, eu ergui meus braços em forma de protesto, desafiando a Lei de Murphy e chamando-a para um confronto mano a mano no final da noite.
Mas já era tarde demais e qualquer protesto seria inútil. A minha carreira tinha ido para o saco. Porque com certeza havia um produtor mega famoso disfarçado de pai orgulhoso no meio daquela multidão de 20 pessoas. E se não fosse essa falha de som bizarra, eu estaria agora escrevendo esse texto dentro da minha mansão em Los Angeles, com meus companheiros de banda e os mais de 20 discos de platina pendurados na parede. Ah, e rico. Muito rico.
Bem, o que eu achei que foi apenas um simples desastre veio a se mostrar algo muito mais monstruoso conforme o tempo foi passando.
Da mesma forma como a minha primeira vez no palco foi um fracasso. Uma série de outras primeiras vezes que aconteceram depois também foram desastrosas. Não tenho dúvidas de que aquele fatídico acontecimento despertou um looping amaldiçoando todas as minhas primeiras vezes de qualquer coisa, pelo resto da minha vida:
Fica claro que eu não tenho uma boa relação com as primeiras vezes. E essa injustiça me causa certa inveja daqueles que são corajosos o suficiente para desbravar o novo, sem medo da primeira vez.
Eles são bravos, batem no peito e bradam frases de efeito: “quando foi a última vez que você fez algo pela primeira vez?”
Coitados, mal sabem da perversidade que há por trás da primeira vez e de como suas vidas podem se tornar verdadeiros filmes de terror pelo simples fato do destino amaldiçoar quem ousar tratar com desprezo as forças ocultas que orbitam a primeira vez.
Por isso, caros amigos leitores, eu quero deixar claro que se essa minha primeira crônica da minha primeira newsletter não alcançar um editor famoso que logo pense “mas que obra-prima” e me convide para publicar inúmeros livros best-sellers e me tornar um escritor multimilionário, saiba que se isso não acontecer, caro amigo… é por conta dessas malditas forças ocultas da primeira vez me amaldiçoando novamente.
Então, tudo isto posto. Quero propor um acordo.
Se você chegou até aqui e por conta de algum efeito inusitado, curtiu esse meu primeiro texto, por favor, compartilhe com quem você acha que também irá curtir.
Agora, se você chegou até aqui e não gostou dessa minha primeira vez, não se preocupe! Eu tenho boas notícias com relação a isso.
Semana que vem já vai ser a segunda vez e não mais a primeira. Provavelmente o texto estará um pouco melhor do que está hoje.
Um passo de cada vez, não é?
Até mais! Gabriel Kato
submitted by ca7kato to brasil [link] [comments]


2020.08.27 19:41 futebolstats Médico da CBF diz que protocolo do futebol pode ter mudanças

O protocolo de saúde da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) para realização dos campeonatos nacionais em meio à pandemia do novo coronavírus (covid-19) deverá sofrer novas alterações com o desenrolar das competições. Segundo o coordenador médico da entidade, Jorge Pagura, um balanço das três primeiras semanas de bola rolando será concluído após as partidas da última quarta-feira (26), que encerraram a quinta rodada da Série A.
“No protocolo, está colocado que ele pode ser modificado a qualquer momento. Então ele vai, sim, realmente sofrer modificações. A gente diz que ele é uma peça viva, é uma foto do momento. Mas ele pode ser modificado, sim, sempre para que melhoremos nosso controle, seja com evidências científicas muito bem pautadas ou até por alguma observação. Estamos avaliando diariamente tudo o que está acontecendo. E o que for necessário fazer para melhorar, nós vamos aprimorar esse protocolo quantas vezes forem necessárias”, afirma Pagura à Agência Brasil.
Os procedimentos já sofreram alterações em relação aos que antecediam os campeonatos. Após a primeira rodada das três divisões nacionais, o atraso na divulgação dos resultados dos exames do Goiás e os vários casos positivos em atletas relacionados para os jogos do fim de semana, levaram a CBF a estender os testes a todos os inscritos pelos clubes e definir novos prazos para envio dos diagnósticos: 24 horas para times mandantes, 12 horas antes da viagem no caso de visitantes. Além disso, por logística, as equipes passaram a poder optar por exames em laboratórios locais, ao invés do Hospital Albert Einstein, de São Paulo, parceiro da confederação.
“Toda vez que é feito um protocolo, ele é pensado no maior número de pessoas que pode atender. À medida que as especificidades aparecem, esse protocolo pode ser adaptado”, avalia Raphael Einsfeld, médico do Esporte e coordenador do curso de Medicina do Centro Universitário São Camilo, à Agência Brasil.
Ele cita o caso em que quatro jogadores do Atlético-GO, que testaram positivo para o novo coronavírus, foram liberados para enfrentar o Flamengo no último dia 12. À Agência Brasil, o clube tinha informado que os atletas vinham sendo acompanhados, cumpriram a quarentena e não possuíam mais potencial de transmissão do vírus. A justificativa foi aceita pela CBF, baseada em uma normativa do Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) do governo norte-americano, acatada pela Organização Mundial de Saúde (OMS).
“O CDC puxa uma revisão sistemática [método de pesquisa que reúne as melhores evidências atuais ou disponíveis] de Oxford. Eles descobriram que, após o oitavo dia de infecção, no indivíduo que está assintomático, não há mais replicação viral, apesar de o PCR vir positivo. O PCR pode vir positivo por muito tempo, porque ele detecta o RNA [material genético] do vírus. Não necessariamente o vírus, mas parte dele”, explica Einsfeld.

Controle de casos

Há uma semana, na Câmara dos Deputados, Pagura apresentou dados sobre os testes realizados até aquele momento. Segundo ele, antes de os torneios nacionais começarem, foram aplicados 1,3 mil exames, com 74 resultados positivos (5,69%). Já nos dias que antecederam a terceira rodada, os quase 1,5 mil testes registraram 16 contaminações para o vírus (cerca de 1%). Clubes como o CSA, na Série B, e o Imperatriz, na Série C, tiveram partidas adiadas devido a casos acumulados no elenco. Os alagoanos chegaram a ter 20 atletas afastados com covid-19. Os maranhenses, 14.
“O número [de infectados] não surpreendeu porque a prevalência espelha, mais ou menos, o que acontece no país. O que nos surpreendeu é que mais de 50% desses casos positivos vieram de cinco clubes”, diz o médico da CBF.
“Os clubes vão se adaptando, os jogadores entendendo melhor esse momento, que afeta a todos. Hoje, os atletas são testados quase duas vezes por semana. A logística atual de realização dos testes, que é descentralizada, facilita muito o controle e evita que partidas sejam canceladas e uma série de transtornos, que podem acontecer. Porém, achamos que, com a revisão dos protocolos, isso será ajustado com o tempo”, sustenta o consultor científico da Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI), Carlos Starling.
Os próximos torneios a serem abarcados pelo protocolo são as séries D masculina, que inicia em setembro, e a A2 feminina, que recomeça em outubro. As competições seguirão as diretrizes atuais, mas, devido à realidade das divisões, que reúnem times de menor estrutura e condições financeiras, algumas adaptações podem ser feitas. “Eventualmente, a pesquisa de antígeno viral ou os exames do tipo Lamp [coleta pela saliva] podem ser opções. Estamos avaliando e ajustando o protocolo de acordo com a caraterística das equipes, sem diminuir em nada o grau de segurança”, diz Starling.

Modelo próprio

O protocolo da CBF não é exatamente unânime. No último dia 11, o Sindicato dos Atletas de São Paulo (Sapesp) enviou ofício à entidade pedindo mudanças, ameaçando entrar com ação e paralisar os campeonatos. À Agência Brasil, o presidente do sindicato, Rinaldo Martorelli, citou como exemplos que, a seu ver, poderiam ser adaptados à realidade brasileira, o Campeonato Alemão, com isolamento das delegações por até sete dias antes de cada partida, e a NBA, liga de basquete norte-americana, que reuniu atletas e comissões técnicas em uma bolha na Disney, para término da temporada.
Os médicos ouvidos pela Agência Brasil veem dificuldade de aplicação dos modelos por aqui. “Cada time [de futebol] tem, pelo menos, 42 pessoas escaladas [para um jogo]. Viagens, como faz? Não tem como não isolar o jogador, ele irá ao aeroporto, pegará voo, encontrará outras pessoas. No estádio, há muito mais pessoas envolvidas. Para um estádio funcionar, precisa de umas 100 pessoas. E a gente está falando de um campeonato que vai até março”, pondera Einsfeld, da São Camilo. “Não valeria a pena do ponto de vista financeiro e mental, e não traria qualquer diferença ou benefício, dado que a gente está fazendo a testagem de todo mundo com segurança antes do jogo”, completa.
Starling, da SBI, pensa de forma semelhante. “Temos que achar nosso próprio modelo de retorno, ou tentativa de retorno a uma normalidade. Acho, sim, que a experiência que tem sido desenvolvida aqui pode servir para inúmeros outros países e continentes, como o africano ou o asiático. O registro epidemiológico, as análises estatísticas e o segmento das análises genéticas virais vão gerar uma série de trabalhos científicos para um case nacional. É a expectativa que temos”, conclui.
O post Médico da CBF diz que protocolo do futebol pode ter mudanças apareceu primeiro em Futebol Stats.
from Futebol Stats https://bit.ly/3b0hSF0
via IFTTT
submitted by futebolstats to SiteFutebolStats [link] [comments]


2020.08.24 07:11 aquele_esquisito Me alienei completamente em relação as pessoas (Histórias de Quarentena)

Esse ano tá sendo bem interessante para mim até agora, comecei com 23 anos, virgem, bv, com zero experiências íntimas com mulheres, sem nunca de fato ter valorizado essas aventuras, isto é, nunca ter buscado de fato. Sempre fui no menor número possível de festas, nunca engajei em nenhum tipo de flerte com uma mulher e com isso nunca cheguei perto não só das ppks alheias como não sei o que é amar uma mulher. Basicamente era um incel sem a parte de odiar as mulheres, só a de não ver necessidade em transar mesmo, sem nenhum vitimismo, *quase um assexual que sente vontade física de transar mas não psicológica. *
Pois bem "ano novo, vida nova", pensei comigo mesmo que ia mudar isso, não deve ser tão difícil, ainda sou jovem sem ser garoto demais, quase empregado, não sou horrendo, os anos de academia me transformaram em uma pessoa atraente de corpo e sou absurdamente interessado (quase de maneira autista) em saber das coisas/conceitos/ideias/ciências/formas de arte, me transformando numa máquina de boas conversas por ter assunto pra infinidade de tempo. Por que decidi mudar isso? Literalmente por pensar com o meu pau, depois dos 20 parece que minha libido triplicou e eu não via a hora de finalmente comer alguém. E aí eu ainda caí na isca de "tem mais de 20 e é virgem? teu padrão é muito alto" que me deu um falso senso de segurança, ou seja, fui em todas que deram bola.
Usando tinder já comecei a perceber que ter um grande conhecimento de vários assuntos não significa ter uma boa conversa de bate e pronto, por isso passei uns tempos dando match com qualquer menina (mesmo que longe) só pra treinar o meu gingado na conversa com elas, depois de umas semanas consegui uma melhora boa (e agora quase indo pro fim do ano já me sinto um mestre das conversas) e comecei a de fato marcar encontros.
Pelo tipo de texto que estou escrevendo você pode talvez imaginar um autista metido que se acha o rei da cocada, e é meio assim que eu me sinto comigo mesmo, mas na vida real eu consigo me passar por uma pessoa completamente normal e sociável, o lance é que eu estou fazendo força para isso internamente. Sempre achei isso meio normal porque apesar de ser extremamente introvertido nunca fui tímido e sempre convivi com coletividades de amigos ao longo da minha vida ATÉ a faculdade quando todo mundo foi separando, daí eu tenho um senso de normalidade bastante bem desenvolvido, a partir dai é questão de querer mesmo.
Primeira menina foi logo na época de carnaval (apesar de ter passado longe de blocos), foi com ela que eu perdi o BV de todas maneiras possíveis e desenvolvi mais habilidade com mulheres, saímos durante a semana quase toda (ela era de fora) mas não conseguimos transar por conta de terceiros empacando o bonde (a vontade foi tanta que chegamos a ficar nos esfregando em alguns lugares públicos). Viu? Não foi tão difícil, vou transar bem mais rápido que imaginava, eu só precisava achar alguém que morasse sozinha pra facilitar tudo. O único alerta que essa primeira vez me deu foi que eu não gostei da experiência, e eu to acostumado a não gostar de saídas sociais/fingir ser normal, passo por isso a vida inteira, mas acho que por essa vez ter aprofundado mais na minha intimidade acabei odiando mais do que uma simples ocasião social.
Sai com a segunda um tempo depois e essa era bem mais quieta e tranquila que a primeira, com essa não rolou nada e eu não fiquei tão desconfortável, depois percebi que foi porque foi basicamente um rolê que eu tenho com meus amigos, daí o nível de conforto foi proporcional a isso e não a de ir pra trocar saliva com uma mulher. Essa segunda era espetacularmente linda apesar de não parecer tão interessada como a primeira (que também era bonita!). A partir daí eu percebi que tava fácil demais e decidi tentar ser mais criterioso a fim de achar uma mulher bonita que fosse transar comigo sem as frescuras sociais, porque meu pau tava mandando em mim.
Enfim, achei uma mina com 28 anos que tava querendo, marquei um pouco antes das minhas aulas começarem mas tive que dar uma adiada por um problema, porém o encontro nunca de fato aconteceu pois por ironia divina, o corona estourou e a pandemia começou. A partir daí vou dar uma acelerada na história, pois desse início de março até hoje continuei acessando o tinder assiduamente quase como um vício de autoestima com a desculpa de treinar meu papo com mulheres, e sem intenção de quebrar a quarentena.
Fiz todos tipos de perfil possível (pedindo sexo na bio, super fofo, esquisito, descolado...) e dei match com todo tipo de mulher possível, tive várias conversas a ponto da minha habilidade social ter crescido bastante, porém acabei chegando no ponto de saturação mais que completa. Lembra quando eu disse que ia ser mais criterioso? Isso subiu absurdamente a minha cabeça a ponto de eu literalmente achar todas as mulheres do app feias ou indesejáveis de alguma forma, antes eu literalmente tinha uma certa luxúria por quase todas porém isso foi morrendo com as conversas. Porque eu começava a conversar no meu modo ultra social (quase um superego em esteroides) e levava uma conversa foda em vários lugares imagináveis, conseguia colocar as minas fissuradas em continuar a conversar comigo, me chamar pra conversar tomando iniciativa e tudo mais. Mas aí eu percebi que comecei a odiar as conversas, porque a dura realidade é que nenhuma mulher passa um tempo psicopata aprendendo a conversar com homens no tinder pra ter a conversa perfeita.
Isto é, apesar de eu tomar a dianteira, as conversas para mim começaram a ser absurdamente horríveis e pouco proveitosas, porque as mulheres em geral são seres humanos normais, que em sua maioria são completamente entediados consigo mesmo e desinteressantes. Deixou de ser sobre conquistar as meninas com a lábia das palavras para "Quero uma conversa interessante pra mim", e obviamente não encontrei ainda uma menina psicopata ao ponto de seguir o guia que eu descrevi, mesmo as boas de conversa batiam no meu ego me dizendo "nossa, se eu consegui isso com essa, talvez eu consiga algo melhor". Até agora eu consegui umas 5 meninas a tentarem me convencer a quebrar a quarentena com elas.
Olha a merda no que eu me tornei, esses últimos parágrafos são estreitamente das profundezas da minha mente, onde eu comecei a levar essas conversas de merda e encontros como achievements sociais. Que foi de certa forma como eu abordei tudo isso no começo sem perceber, quero transar porque sim, meu pau me ordena, quero perder o BV para poder falar livremente com as pessoas que eu já beijei (não gosto de mentir sobre isso e sempre admito o que sou sem vergonha quando o assunto surge em conversa com amigos) e não sou um completo inapto social por tentar e ser rejeitado. Finalmente me encontrei numa posição de poder e comecei a usar isso pra aumentar o ego pura e simplesmente, fui me tornando uma mina aleatória de only fan que coleciona macho que paga tudo pra ela (famosos simps).
"Nossa, que fanfic de adolescente retardado" pode passar pela sua mente, pois bem, a dose de realidade chegou para mim, porque apesar de não ser horrendo eu não sou nenhum modelo, então teve uma hora que eu basicamente bati no meu limite de beleza no tinder e a atenção que eu tava recebendo secou completamente. Comecei aceitando qualquer uma com um perfil super amigável e convidativo, pra aceitar até umas meninas que considero meio feias com um perfil mais interessante, pra começar a encontrar com meninas regulares/do meu nível pra até algumas mais bonitas com um perfil super esquisito (pra filtrar tipos de menina que eu não queria), e aí eu estagnei, ainda to um pouco longe do topo da pirâmide mais fui um pouco mais longe do que imaginava. Fui de perdedor de boas, para perdedor com um falso senso de poder, para perdedor carente que tentou voar muito perto do sol, tudo isso também por não gostar da ideia de correr atrás de mulher, parto do princípio que se a mina não tiver iniciativa pra vir falar comigo é porque pra ela não tem nada ali e já descarto de cara.
Eu basicamente sinto que estou passando, ao longo dos últimos anos, por um processo de alienação completo de relações sociais à lá ted kaczynski, e eu sinto que essa era uma das últimas barreiras que eu tinha pra quebrar: a do sexo oposto. Já tinha normalizado na minha cabeça a minha própria desumanização e completa insignificância, pra estender isso pra colegas/amigos/parentes, e finalmente sinto que estou me descolando do tecido dos relacionamentos, ou de mulheres no geral. O que eu achei mais perceptível desse processo foi que o meu "pensar com o pau" meio que se tornou temporário, antes eu poderia ter me masturbado ou não e ainda havia um certo desejo por mulheres, agora eu sinto que sou uma pessoa quando estou com tesão e quando não estou mais simplesmente volto a não dar a mínima pra estar com uma mulher (eu já não ligava pro aspecto de companhia da relação, agora então o sexual parece ter ido embora também assim que esvazio o saco), inclusive com algumas dessas meninas que encontrei cheguei a fazer chamadas pra ficar me masturbando e é mata conversa na certa, porque o meu tesão acumulado por aquela pessoa desaparece da face da terra com uma gozada e eu não consigo nem mais falar com ela. Não sei se já estou estragado pro sexo, porque tenho certeza que depois de transar o meu desejo vai ser ficar sozinho comendo uma pizza e ouvindo música.
Pra quem for comentar em nofap e parar de ver pornô, eu não me masturbo com tanta frequência ao longo do ano, inclusive já fiz no fap de 3 meses duas vezes (outra isca que não serve pra muita coisa), também quase não consumo pornô, minha libido é muito errática com a masturbação, posso passar um tempo me masturbando 3-4 vezes por mês (tendo muita ocupação e coisas pra resolver) para chegar uma sequência de três dias de vagabundo e me masturbar 4-5 vezes por dia, quantificando num ano passo longe de vício por punheta ou pornô.
O mais engraçado da história toda é que todo esse processo aconteceu com auxílio do isolamento físico da quarentena que me possibilitou a chegar nesse ponto de alienação sem nem transar ainda. To quase me sentindo como o androide no fim do Ex-Machina que vai pra sociedade viver como uma pessoa normal, visto que to bem perto de finalizar a faculdade, vou tentar arranjar um emprego, morar sozinho, e finalmente virar um adulto de fato, a única coisa que eu tava sentindo dever nesse quesito de amadurecimento era a parte de relacionamento, principalmente o sexo porque de fato eu nunca tive interesse em montar família com casamento/filho/cachorro/gato, nem a ideia de namorar me atraia já bem novinho justamente por desgostar dessa ideia do companheirismo, minha última esperança era transar, mas isso eu acho que nem faço mais questão de concretizar.
submitted by aquele_esquisito to desabafos [link] [comments]


2020.08.19 00:45 downloaders Calcular imposto sobre ETF's para reforma antecipada

Para quem está a pensar em reforma antecipada com ETF's (a titulo de exemplo, só quero mesmo falar das contas), as contas sobre o IRS a pagar parecem simples à primeira vista.Quero levantar por ex. de 12k antes de impostos no primeiro ano, vou ver quanto o portefólio rendeu (por ex. 20% para facilitar as contas) e levanto 10k de investimento sem imposto + 2k de lucro e pago 28% de IRS sobre o os 2k.
No entanto quando começamos a pesquisar mais um pouco, surgem vários factores que queria confirmar convosco:
  1. Ao fazer o levantamento, este tem de ser feito segundo o FIFO ou seja, se fiz a compra dos ETF's durante 20 anos, vou ter de ir ver quanto é que a primeira compra rendeu, por ex. 1000 Eur que renderam 1500 Eur e pagar 28% sobre os 1500. Segunda compra por ex. 1000 Eur que renderam 1400 Eur e pagar 28% sobre os 1400. Terceira compra por ex. 1000 Eur que renderam 1300 Eur e pagar 28% sobre os 1300, e assim sucessivamente a até chegar aos 12k.
  2. (Edit: este passo não precisa de ser feito por nós. Obrigado jluc8 pelo aviso. No entanto é útil saber que existe para fazermos contas e termos uma ideia sobre que valor vai incidir o IRS a pagar) - Ao declarar o valor da compra no IRS, tenho que aplicar o Coeficiente de Desvalorização da Moeda segundo o Diário da Republica de acordo com a seguinte tabela: https://dre.pt/application/conteudo/125085456Ou seja, se tivesse começado a investir em 2000 e fosse para começar a levantar hoje, teria de pegar na primeira compra (do exemplo acima) que vale 2500 (1000 de investimento e 1500 de lucro) multiplicar os 1000 Eur pelo valor da tabela 1,42 = 1420 Eur pelo que o lucro seria só 1500 - 420 = 1080 Eur e pagar 28% sobre os 1080 em relação a essa primeira compra. E fazer isto sucessivamente nas outras compras até chegar aos 12k.
  3. (Edit: continha um erro levantado pelo pedrosorio) Tendo em conta que não ia mesmo ter outra fonte de rendimento, no IRS só ia declarar 2k que segundo os Escalões de Rendimento Coletável da tabela de IRS de 2020 que são:
1.ºAté até 7112 € 14,5%
Iria então pagar "só" 14,5% sobre os 2k = 290 Eur
Gostava mesmo de perceber se isto "dá mesmo esta trabalheira toda" (no bom sentido claro porque se vai ter muito tempo para o fazer) ou se me estou a esquecer de alguma coisa ou alguma conta está errada. Ao mesmo tempo chamar a atenção para todos estes factores que podem ter interesse para alguns de nós que estão a pensar em ter rendimentos para viver ou complementar o ordenado/reforma.
submitted by downloaders to literaciafinanceira [link] [comments]


2020.08.13 16:09 IloveGliese581c Cristianismo não resolve crise existencial.

Eu virei ateu pela primeira vez em 2012, após passar por um longo período odiando o ateísmo, pois o considerava um absurdo. Como alguém pode duvidar de uma verdade óbvia que a gente sabe desde criança? Mas após ver muito post da ATEA e não conseguir refutar, percebi após um tempo que eu era ateu. No momento que me percebo ateu, eu sinto um alívio indescritível, é como tirar uma pedra das minhas costas. Não preciso mais me considerar um lixo/pessoa ruim porque cometo os tais pecados diariamente. Não serei punido no fogo do inferno por olhar mulher passando na rua. Posso fazer o que eu quiser. Mas depois de um tempo, vem as crises existenciais de “falta de propósito”, preocupação com a qualidade de vida do futuro da humanidade etc. Tudo isso eram coisas meio dolorosas que me faziam ficar para baixo as vezes por um dia inteiro após pensar no assunto (teve uma vez que li sobre as coisas que rolam na deep web e fiquei paranoico e revoltado com a mera existência de tais coisas).
Até que em outubro de 2016, comecei a acompanhar um Youtuber de direita polemicista que atacava ateus no Youtube e eu pensei “nossa, como esses ateus são idiotas”. Esse Youtube tinha uma mensagem de esperança: que tudo em nossa realidade está fadada a destruição, que Deus é nossa esperança, que ele me ama incondicionalmente mesmo eu sento pequeno em relação a ele; Jesus salvador etc. Aí quando percebi, eu acreditava em Yahweh de novo. Até aí tudo bem, as crises existenciais passaram. Um dos motivos que me faziam ser ateu fervoroso é que na minha visão, todos os cristão eram idiotas. Até que eu conheci William Lane Craig, John Lennox, Tomás de Aquino etc.
Porém, uns dois meses depois, eu descobri que a bíblia diz explicitamente em vários versículos, que Deus escolheu de antemão quem seria salvo e quem queimaria no fogo do inferno por toda eternidade. Eu me lembro exatamente desse dia: mais ou menos no início de fevereiro de 2017 eu fui num site que atacava os argumento de William Lane Craig contra a predestinação calvinista. O site argumentava usando lógica de que livre-arbítrio e predestinação são incompatíveis, sobre o porquê de TUDO que eu faço era porque Deus tinha decidido e que era um absurdo negar isso, e listava um monte de versículos onde Deus propositalmente fazia pessoas pecarem (os cegavam para que não pudessem ver, tampava os ouvidos para que fossem surdos, dizia um versículo), sobre o jarro de argila que não tem o direito de questionar o seu criador do porquê telo feito desse jeito etc. Quando li isso, concluí que eu era uma pessoa que Deus designou para nunca se converter e ir par ao inferno, pois eu nunca tive nenhum fervor religioso dentro de mim e nunca consegui “amar a Deus incondicionalmente”. Foi um dos piores dias da minha vida. Doeu de verdade. Fiquei desesperado, minha mãe até percebeu que tinha algo errado comigo quando chegou em casa. Foi pior do que qualquer crise existencial ateísta que eu já tenha tido. No trabalho, uma hora eu fiquei num canto quase chorando e implorando pra Deus ter misericórdia de mim e me dar o dom de conseguir ser um cristão de verdade. Depois disso eu fui no canal dois dedos de teologia (duas dedadas no c*) onde eles apontam os “cinco pontos do calvinismo” e falavam que Calvino sim era bíblico etc. A partir daí eu nutri um ódio profundo ao protestantismo e a Reforma, ao mesmo tempo que eu gostava muuuito da Igreja Católica. Acompanhava o Conde Loppeux no YT todo dia pra ver ele batendo em protestantes e defendendo a Igreja contra calúnias (e alguns argumentos que eu uso até hoje), e contra a visão calvinista sobre Deus. Li o gênesis inteiro, e ficava perturbado cada vez que Deus controlava as ações de uma pessoa, como quando uma menina falou com o escravo de Abrãao. Mas enfim, toda vez que eu lembrava dos versículos bíblicos da predestinação eu sentia uma dor profunda e pensava que eu teria que conviver com isso pro resto da vida, e dividia minha vida antes e depois de saber dessa merda.
Por algum motivo que não entendo, algumas pessoas pulam, urram, choram na igreja, e até caem no chão se achocalhando, oram todo dia, vão na igreja com frequência e realmente aparentemente parecem amar a Deus com uma grande intensidade. Essas pessoas no meu ver na época, eram os eleitos. Já eu, jamais tive nenhuma dessas características, o que pra mim evidenciava minha condenação. Músicas gospel me dava agonia, e eu sempre enxerguei Deus como um tirano autoritário do que qualquer outra coisa. A condenação ao inferno sempre foi algo que eu prestei mais atenção do que a salvação. Enquanto isso eu ficava impressionado como um colega meu de trabalho falava com Deus o tempo inteiro, pedia ajuda a ele quando tava com raiva, e era assíduo frequentador da célula que tinha lá no trabalho.
Apesar de voltar a acreditar em Deus, eu ainda gostava de ler sobre evolução darwinista e nunca cheguei a duvidar, ficava lendo sobre evolução dos mamíferos a partir de sinapsidas, que sempre foi um assunto que me fascinou dentro da evolução. Isso era uma contradição com o criacionismo, é claro, mas é algo que muitos cristão se submetem hoje em dia e não percebem isso.
Até que um dia, eu fui ler sobre a Arca de Noé, e descobri que, aparentemente, havia outros mitos mais antigos no Oriente Médio que eram muito parecidos com o da Arca de Noé. Li sobre como a figura de Satanás como o adversário de Deus surgiu após os judeus terem contato com o zoroastrismo no cativeiro da babilônia, depois li sobre crítica textual da bíblia e como os livros da bíblia foram escritos por mais de uma pessoa etc. Quando eu fiquei em dúvidas se deveria ter segurança em acreditar nas falhas do cristianismo, eu fiz um monte de posts enchendo o saco aqui no brasil e no atheism, onde fui banido. Então, no dia 20 de janeiro de 2020 eu percebi que eu era ateu de novo, e todo aquele alívio surgiu novamente. Não preciso me sentir um lixo pecador iníquo ímpio abominável que vai queimar no inferno a qualquer momento que morrer. Não sou mau por ter instintos naturais de sobrevivência de um mamífero primata. Então voltei a assistir o Pirula detonando criacionistas e ler muita rational wiki detonando a bíblia KKKKK
Hoje minhas angústias são sobre angústia de ateu mesmo, mas é muito menos pior do que ter um ser infinito que me rejeitou de maneira arbitrária pra me fazer chorar e ranger os dentes por toda eternidade.
submitted by IloveGliese581c to brasil [link] [comments]


2020.08.09 05:00 Skorkus Geo-Political Simulator 4 (2016) - Economia para Brasileiros [Tutorial]

Geo-Political Simulator 4 (2016) - Economia para Brasileiros [Tutorial]
Boa noite pessoal, Herick aqui.
Estou fazendo esse tutorial/guia para os manos brasileiros que querem aprender a jogar o jogo e não fazem a mínima ideia de como começar.
(Principalmente, com o addon 2020 que está por vim, muito ansioso aqui ^^)
Então vamos começar, a primeira coisa que você tem que fazer quando iniciar a partida é ver como seu país está.
Informações gerais da Ucrânia (2016)
Exemplo: A Ucrânia no início de 2016, está passando por uma recessão absurda de crescimento, o desemprego se encontra altíssimo e a inflação está quase uma Venezuela da vida, com um défice até que normal.
Bom, primeiro vamos dividir a economia em partes para você não se confundir.
Growth (Crescimento) o que é? Bom o crescimento é um indicador econômico que mostra, qual é ou qual será o crescimento econômico do seu país em relação ao PIB (GDP) no fim do ano.
Traduzindo, se você tem um crescimento de 10% em janeiro e você não gastar dinheiro com nada no ano todo, seu PIB (GDP) vai crescer em 10% esse ano.
(Claro que isso é improvável já que você pode passar por uma recessão, crescimento ou até mesmo pode ocorrer uma catástrofe, na qual vão pedir dinheiro do governo para ajudar a diminuir ou anular os danos causados).
Crescimento nas ações das empresas.
Em fim, como aumentar seu crescimento econômico? Existem diversas formas na verdade e não existe uma forma correta e concreta mas sim a forma que você deseja abordar.
Exemplo, se você quiser fazer uma abordagem mais Intervencionista, você pode subsidiar ou exonerar as taxas de alguns setores da Agricultura, Industria ou Serviços.
Você pode ter uma abordagem mais liberal e diminuir as taxas sobre as empresas, que vai diminuir os ganhos do governo, deixando mais dinheiro para as empresas, ajudando no crescimento delas e diminuindo o desemprego.
Diminuindo a taxa sobre o povo, que aumenta o poder de compra, dando a eles uma liberdade para comprarem mais, gerando mais dinheiro para as empresas, para o governo e diminuindo o desemprego.
Taxas
Logo como vocês conseguem notar tem muitas formas de lidar com a sua economia.
Inflation (Inflação) o que é? De forma resumida, inflação é um aumento no preço de todos os produtos do mercado devido a uma alta demanda por produtos ou devido a uma grave recessão econômica.
Obs: No caso da Ucrânia, a inflação está enorme devido a recessão absurda.
(Recessão muito alta, -9.15% em relação ao PIB ao longo do ano).
(Isso nas leis do jogo, se tem outro motivo para a inflação está tão alta eu não sei).
Como diminuir a inflação? Simples, controlando seu crescimento e desemprego.
Nunca testei com outros países mas com o Brasil, sempre que eu chegava em 7%, a minha inflação ficava estagnada ou começava a subir.
Uma boa forma de reduzir a inflação é aproveitar o crescimento abaixo de 4% e colocar a Taxa de Juros em 20% (Interest Rate).
(Dessa forma a inflação vai cair bem mais rápido e a sua moeda vai valorizar).
Obs: O custo por fazer isso é bem alto mas compensa, devido ao fato de que seus gastos vão diminuir e muito, só para saber seu orçamento também vai diminuir mas em proporção a queda dos gastos, essa mudança se torna quase que desnecessária e por isso vale a pena diminuir a inflação .
Levando isso em consideração você tem que ter um objetivo de inflação, normalmente a galera coloca o mínimo como 1% e o máximo como 5%.
Inflação caindo.
Porque não queremos uma inflação negativa? Com uma inflação negativa o mercado começa a ficar menos competitivo, aumentando o desemprego e piorando a economia.
Por algum motivo as pessoas ficam motivadas a comprar, quando os produtos estão um pouco caros, um exemplo disso é na Black Friday, as pessoas esperam ansiosos para ter aquele objeto e quando ele estiver mais barato as pessoas compram.
Enquanto se tudo fosse muito barato as pessoas iriam ter dinheiro para comprar tudo e as empresas não iam lucrar nada, porque o povo não iria ter aquele impulso e vontade de consumir os produtos do mercado. (É meio sem lógica mas é como o mercado funciona)
National Deficit (Défice nacional) o que é? Basicamente é um valor ou porcentagem de quanto o governo está gastando a mais que ganhando.
(Deficit: Quando falta algo para completar o necessário).
(Excess: Quando tem mais do que o necessário).
Aqui podemos ver que a Ucrânia está em um Deficit de -4.61% do PIB ao longo do ano
Traduzindo nosso objetivo no jogo e tentar trazer um excesso para nossa economia.
Não precisa entrar em panico, não é porque sua economia está em um deficit que você não pode pagar as suas contas.
A longo prazo seu objetivo é flexionar o "State Budget" até linha verde, como fazer isso? Faça cortes em alguns gastos, faça ajustes nos gastos e não gaste muito com subsídios ou obras públicas.
Eu entendo que de início você quer construir 100 mil escolas, 100 mil hospitais, 20 mil quilômetros de Hyperloop mas nós precisamos gastar aos poucos e pagar nossas contas.
Um exemplo disso é minha recente jogatina com o Brasil, eu estou a um ano no poder e já consegui pagar cerca de 500 bilhões de débito, apenas diminuindo a inflação, controlando o crescimento e gastando pouco dinheiro público.
Aqui podemos ver que o Brasil está em um Deficit de -2.48% do PIB ao longo do ano
Como vocês podem ver, o deficit do Brasil está bem dinâmico comparado ao de 2017 (2016) que era -10.30%.
(Obs: Nessa jogatina, eu utilizei o Real (BRL = Brazilian Real), já com a Ucrânia eu utilizei o Dollar ($), devido ao fato da moeda Ucrânia ser muito desvalorizada).
(No caso, os dados são de 2016 mas quando você joga com a oposição no jogo, eles simplesmente passam 1 ano e continuam com os dados de 2016, logo eu estou em 2018 mas era para ser 2017).
(Só para comentar, a seta de deficit está super baixa porque eu preciso diminuir o crescimento do Brasil (6.18%) em 2018 e eu estou tendo dificuldades para gerar uma recessão no Brasil, irônico não?)
Débito Público do Brasil (Agosto de 2017 até Julho de 2018)
Como eu havia dito, mesmo com um Deficit é possível pagar suas contas.
Orçamento/Débito (2017-2018)
E aqui mais alguns dados caso tenha curiosidade.
(Obs: Agora o Brasil não é mais dono dos correios e nem das lotéricas e eu privatizei outros serviços que o governo tinha um pouco das ações).
(Não me julguem, o Brasil nacionalizou os setores errados, agora somos os donos das distribuições de energia no Brasil e temos uma pequena parte das ações sobre distribuição de água no país.)
Taxes (Taxas) o que é? São um preço adicional que o governo cobra sobre produtos e serviços para gastos públicos.
No que isso me ajuda? Bom com isso, você pode aumentar o preço sobre a bebida fazendo as pessoas beberem menos.
Pode diminuir as taxas sobre o povo, que vai fazer o governo arrecadar menos dinheiro com as taxas mas em contra partida vai fazer o povo ter mais dinheiro para comprar o que bem entendem, aumentando o orçamento das empresas.
Pode diminuir as taxas sobre as empresas, fazendo elas terem mais dinheiro, logo ajudará todos os setores, devido ao fato deles terem mais dinheiro para investir, gerando mais empregos e etc...
Em fim existem diversos tipos de taxas, que vão deixar alguns tipos de pessoas contentes e outros tipos de pessoas descontentes, abaixo de Deus e do Parlamento (se eles tiverem poder), você é um Rei meu amigo.
Taxa para os Turistas entrarem no Brasil (2018)
Um exemplo do que foi dito é a taxa de turismo no Brasil, que custava $20 e agora custa apenas $5, ajudando o turismo.
(Obs: Chegou ao ponto que o ministro do meu gabinete, não parava de reclamar sobre o Brasil não ser um refúgio para imigrantes ou para tomar cuidado para nos não nós tornarmos uma minoria em nosso próprio país).
(Notasse que o turismo também aumentou pelo baixo índice de desemprego no Brasil com 0.1% e a política aberta a imigrantes). (Não estou envolvido nesse B.O)
Imigração no Brasil (2018)
(Como se 10 mil pessoas, fossem tornar uma nação de 200 milhões uma minoria...)
Finanças do Brasil (2018)
Uma aba muito boa, que você vai querer dar uma analisada no jogo é a aba de Finanças (Finance), já que ela mostra o que você mais produz.
(Obs: É o que você mais produz em relação ao país e não em relação ao que você mais produz no mundo).
(Porque tipo, se você fazer um trade (comércio) de Chemical Industry (Industria Química) com os USA você consegue até uns 400-600 bilhões de reais e tipo o Brasil só produz 3.6% dos produtos químicos no mundo e consome 1.8% do mesmo, deixando 1.8% para vender a fora).
(Toma cuidado com essas armadilhas, pois vão aumentar teu crescimento até uns 14%, ai tua inflação explode e tu vai acabar afundando em débitos e na maior recessão econômica que o teu país vai ter passado na vida).
(Outro exemplo, o ferro mostra que você apenas produz, 2.76% das vendas nacionais, quando eu fui olhar um dia desses, olha o quanto essa produção gera no mundo).
Industria de Ferro Brasileira (2018)
(Brasil é o terceiro maior produtor de ferro do mundo...)
(Só fazer uma aliança com a China, Australia e a India, cria a OPEC do ferro, OIEC = Organization of the Iron Exporting Countries, aumenta o preço e capiche o mundo agora deve dinheiro a esses quatro páises).
(Se for fazer isso, faça com moderação ou vai passar pelo contrato do Death Note).
Contrato Death Note assinado, 6 meses depois... nota de falecimento do seu país.
Só revisando, isso se chama Bolha Econômica, quando algum setor esta gerando muita grana e a economia do país depende daquele setor.
(Obs: Além de outros diversos fatores, esse foi um dos principais motivos do porque a Venezuela está do jeito que está atualmente, concentrou tudo no petróleo e quando o preço por barril diminuiu a mesma chora até hoje).
Além dos outros problemas que eu tinha citado antes, eu esqueci de falar que seu país vai passar pela segunda recessão econômica não por causa da inflação dessa vez mas sim porque o contrato acabou/expirou.
E devido ao fato do contrato ter expirado, você agora tem um buraco de 418 bilhões por um ano (ou ao longo de 5 anos, depende de quando tempo você colocou para receber no contrato).
(E mesmo que você tente refazer o contrato com aquele país, o contrato nunca será o mesmo, devido ao fato daquele país ter melhorado aquele setor ou ter começado a comprar aquele produto bem mais barato, etc.. outros fatores).
Super Mercado Venezuelano (Ex: Atacadão do Brasil)
Algo que com certeza vocês não querem que aconteça no seu país.
Boa sorte tentando não criar a nova Grécia mundial.
Débito Publico Mundial (2016)
(Estou perplexo, tem alguém que deve mais dinheiro que a Grécia... wtf)
(Obs: Só para comentar o povo desses dois países vivem até que muito bem, o problema da pobreza e miséria na Venezuela é a absurda inflação e não o débito).
(Que infelizmente só vai aumentar com o Covid-19)
(Débito da Venezuela em 2016 é de 56% do próprio pib).
(Quem mais deve dinheiro no mundo em 2016 são os Estados Unidos, devendo cerca de 74 trilhões de Reais em débitos públicos mas levem em consideração que os o PIB deles é de 74 trilhões, então eles devem 100% do próprio PIB).
(Já em teoria o Japão deve mais, porque o PIB dele é de 20 trilhões de reais e eles devem cerca de uns 50 trilhões).
Golden Gate Bridge (1933)
Como eles aumentaram tanto o débito? Resumidamente gastando um dinheiro que eles não tinham.
Traduzindo caso você queira ser lembrado como um bom presidente, não construa mil pontes, 100 mil casas, milhares de escolas, aeroportos, hyperloops e etc sem ter dinheiro para tal..
Construa, mas construa aos poucos, sem estourar o orçamento.
Orçamento do Estado do Brasil (2016)
Enquanto esse indicador estiver no verde, quer dizer que você vai pagar suas dívidas e que você tem dinheiro para construir ou gastar com saúde e educação.
Agora quando esse indicador estiver no vermelho, significa que a casa caiu e que se você não consertar isso, você será a nova Presidenta Dilma que conseguiu em 6 anos aumentar o nosso débito em 18.57% em relação ao PIB. (Eu estou saudando a mandioca...)
(51.27% quando a Dilma entrou no poder) - 1 de Janeiro de 2011
(69.84% quando a Dilma saiu do poder) - 31 de Agosto de 2016
(É uma dúvida pessoal saber como alguém consegue estragar tanto a economia de um país em 1 mandato e meio..)
Referência: https://tradingeconomics.com/brazil/government-debt-to-gdp
(I want you for president) Eu quero você para a presidência - Tio Sam
Em fim basicamente é isso que você precisa saber, não mostrei como fazer as coisas ou em que aba você deve procurar, porque vocês vão aprender com o tempo, mas a ideia vocês já tem.
Tudo que vocês precisam é abrir o jogo e tentar até aprender, a base vocês já tem, coisa que até algum tempo atrás vocês não achavam nem em inglês.
(Infelizmente, esse jogo tem um manual muito mal feito, não explica nada..)
Em fim boa sorte, acabo esse manual as 00h00 da madrugada.
(Revisão: 01h29 da madrugada, caso tenha algum erro de gramática ou digitação só falar nos comentários).
submitted by Skorkus to Geopoliticalsimulator [link] [comments]


2020.08.07 00:51 Mr_Libertarian Não é por causa da pandemia, é por causa da quarentena, seu estúpido

Por: Javier Milei
  1. O debate e os dados Desde a chegada do Covid-19, foi instalado um debate que, diante da queda no nível de atividade econômica, emprego, salários reais e um aumento repentino no número de pobres e necessitados, procura remover a responsabilidade do governo do desastre econômico e, mais cedo ou mais tarde, social, culpando a pandemia e não a política preferida do governo para lidar com o vírus, ou seja, a quarentena. O argumento é simples, a pandemia é um choque externo, enquanto a quarentena é de responsabilidade exclusiva do governo. A primeira coisa que devemos destacar é que a economia argentina já estava seguindo um caminho ruim desde meados de 2018, quando a economia entrou em recessão novamente, e que o atual governo falhou em reverter essa tendência. Especificamente, os dados do PIB do primeiro trimestre deste ano mostram uma queda de 5,4% em relação ao mesmo período do ano anterior. De qualquer forma, isso não representa evidência suficiente para apontar má administração, pois, contra o freio de uma tendência de queda, os dados interanuais geralmente mostram um sinal negativo, que é a base do que é definido como arrasto estatístico. No entanto, quando o indicador é mostrado em termos dessazonalizados, encontramos uma queda de 4,8% em relação ao trimestre anterior, que é de responsabilidade do novo governo. Além disso, as ações do governo são percebidas a partir dos números, pois enquanto o consumo privado cai 6,8%, o investimento 9,7%, exportação 13,4% e importação 7,6%, o único item com sinal positivo foi o consumo público em 1,6%. Ao mesmo tempo, o indicador mensal de atividade de frequência (EMAE) também mostra uma queda colossal. Assim, em março, mesmo com apenas dez dias após a imposição da quarentena, a atividade caiu 11,4% em relação ao mesmo período do ano anterior, enquanto em abril a produção do país caiu 26,4% (acumulando uma retração de 11% ano/ano até agora este ano), que constitui a maior queda na história da Argentina. Portanto, à luz dos números assustadores envolvendo a economia e, dadas as críticas de terem se apoiado fortemente na opinião de infectologistas, o governo começou a impor a história de que o problema não foi quarentena, e sim a pandemia. Para isso, ele mostrou os números de queda do PIB para diferentes países do mundo, com base nas estimativas do FMI. Nesse sentido, é importante ressaltar que a Organização Multilateral estima que o PIB mundial cairá 4,9%, enquanto a queda Argentina será de 9,9%, o que coloca o país entre os países com os piores índices de desempenho mundial, onde, por coincidência, nos países com as quarentenas mais duras, a taxa de queda é maior.
  2. Pandemia ou fraudemia Há uma piada que diz que haviam dois microeconomistas (que olham para tudo em termos relativos) e um diz para o outro “Olá, como está sua esposa?” e ele responde “Comparado a quê?” Aqui vale o mesmo. Se alguém quiser entender os efeitos letais do Covid-19, a primeira coisa a considerar é: como é a dinâmica da população em termos de mortes? Nesse sentido, a primeira coisa a ser compreendida é que, ao longo deste ano, de acordo com estudos demográficos das Nações Unidas, 60 milhões de pessoas morrerão no planeta, ou seja, cerca de 165.000 pessoas por dia ao longo do ano em todo o mundo. Por outro lado, ao analisar as mortes do Covid-19 em todo o mundo, foram necessários pouco mais de 100 dias para atingir esse número, ou seja, estaríamos em torno de 1% das mortes no mundo (mesmo em uma linearização favorável ao Covid-19). Além disso, se compararmos com o caso da gripe espanhola, que é o caso com o qual a Organização Mundial da Saúde ameaçou o mundo, o nível de desproporção é absurdamente enorme. Especificamente, a gripe espanhola ocorreu do final de 1918 até o início de 1920, infectou um terço do planeta Terra e matou 6% dos infectados (= taxa de mortalidade). Ou seja, a gripe espanhola matou 39 milhões de pessoas, o que representou 2% da população total do planeta Terra. Se alguém replicasse os números, para os níveis populacionais de 2020, estaríamos falando de 2,6 bilhões de infectados e um total de 156 milhões de mortes pelo Covid-19, enquanto extrapolar linearmente os dados hoje daria um total de 20 milhões de infectados e 1 milhão de mortos. Ou seja, a OMS errou no número de infectados em 130 vezes e no número de mortes em 156 vezes. Além disso, dado que, durante o primeiro semestre, a mídia televisiva mostrou continuamente gráficos com o número de mortes de Covid-19 em todo o mundo, se o vírus em questão tivesse a mesma letalidade da gripe espanhola, os gráficos deveriam ter mostrado que 427.397 pessoas morrendo por dia, número que o Covid-19 teve dificuldade de atingir em cinco meses. Portanto, à luz dos dados apresentados, somos confrontados com duas interpretações. Por um lado, é que a Organização Mundial da Saúde tem um sério problema com o uso de matemática e estatística, o que a levou a cometer um grande erro. Por outro lado, eles fizeram isso de uma maneira totalmente intencional. No entanto, seja qual for o motivo, a questão é que o Covid-19 não é apenas incomparável a gripe espanhola, mas é questionável defini-lo como uma pandemia.
  3. Quarentena e economia De acordo com os números apresentados e os erros mais do que grosseiros cometidos pela OMS nas estimativas que sustentaram suas recomendações, também é importante quanto da queda do PIB mundial é atribuível ao Covid-19 (ou seja, à fraudemia) e quanto atribuível a quarentena, um exercício que faz sentido, pois, além das diferenças entre os diferentes modelos de quarentena implementados no mundo, todos eles foram colocados em algum tipo de quarentena. À luz dos pressupostos da Organização Mundial da Saúde e, especialmente, dos infectologistas que apontaram que a pandemia de Covid-19 seria equivalente à “peste espanhola”, um trabalho econométrico realizado por Robert Barro, José Ursua e Joanna Weng procurou determinar o impacto que teria no crescimento da produção e do consumo, tanto em termos per capita, quanto na taxa de retorno dos títulos do Tesouro e na taxa de inflação no mundo, se a hipótese dos especialistas em Saúde fosse correta. Por sua vez, para estudar o impacto da gripe espanhola (para assimilar posteriormente com o caso Covid-19), o período de análise decorre de 1901 a 1929, onde ocorre o corte na série temporal daquele ano, explicado pela presença da Grande Depressão. A partir disso, para os 42 países que fazem parte do estudo transversal, os valores das mortes fora do período da praga espanhola 1918-1920 e das mortes da Primeira Guerra Mundial 1914-1918 são zerados. Além disso, vale a pena notar que, embora a data de 1901 possa ser um tanto arbitrária, as estimativas a partir de 1870 dão resultados semelhantes. Assim, com base nos resultados econométricos obtidos, os autores do estudo determinam que, se o número de mortes por Covid-19 fosse semelhante ao da peste espanhola, a taxa de declínio no crescimento do produto per capita seria 6%, enquanto no caso do consumo per capita seria de 8%. Por outro lado, se considerarmos que a taxa de crescimento do PIB, para valores menores, pode ser equiparada à soma da taxa de crescimento do PIB/c mais a da população (líquida entre o crescimento natural e o efeito da doença), o PIB mundial mostraria uma retração na taxa de crescimento de 7 pontos percentuais. Portanto, dado que as estimativas da queda na taxa de crescimento de acordo com a estimativa do FMI (usando outra metodologia e analisando país por país) estão na mesma linha do trabalho de Barro-Ursua-Weng, assimilando o Covid- 19 ao caso da gripe espanhola, dado que o vírus mostrou uma letalidade pelo menos 156 vezes menor, a origem da retração é a quarentena e não a fraudemia. Em outras palavras, dado que as mortes por Covid-19 seriam de 0,013% para o mundo inteiro, a taxa de crescimento do PIB per capita deveria ter caído 0,038%. Assim, a quarentena global é responsável por 99,27% da queda do PIB. Se, por sua vez, consideramos a Argentina a principal aluna da OMS, a atrocidade causada pelo governo Alberto Fernández a pedido do grupo de consultores em doenças infecciosas é óbvia. Essa situação se torna muito mais grave quando se considera que, devido à dinâmica global do vírus, o país não apenas teve mais tempo, mas também muito mais informações.
  4. Um remédio pior que a doença Embora esteja claro que o modelo de quarentena teve um efeito devastador na taxa de crescimento mundial, esse erro se torna ainda mais chocante ao considerar os impactos no mercado de trabalho. Nesse sentido, estudos da Organização Mundial do Trabalho estimaram que, durante o primeiro trimestre do ano, 4,5% das horas trabalhadas no mundo foram perdidas, o que implica que 130 milhões de empregos foram perdidos, enquanto, em comparação com uma perda de 10,5 horas durante o segundo trimestre do ano, o número de empregos perdidos atingiu 305 milhões. Ao mesmo tempo, a destruição de milhões de empregos fez com que o salário médio do mundo caísse 60%. Ao mesmo tempo, considerando que 62% dos trabalhadores do mundo trabalham no setor informal e que 47 pontos desses 62 foram impactados significativamente pela quarentena promovida pela Organização Mundial da Saúde, o número de trabalhadores informais abaixo da linha de pobreza no mundo passou de 26% para 59%. Por outro lado, de acordo com as estimativas do Programa Mundial de Alimentos (PMA), juntamente com os resultados derivados do “Relatório Global sobre Crises Alimentares 2020” (preparado em conjunto com a Rede de Informações sobre Segurança Alimentar da FAO e o Instituto Internacional de Pesquisa em Políticas Alimentares), indicou que, antes da chegada do Covid-19, cerca de 135 milhões de pessoas estavam em situação de insegurança alimentar. No entanto, o que se observa é que o desenho da resposta (quarentenas estritas) para resolver os efeitos do vírus chinês confronta os países com um trade-off desafiador entre salvar vidas ou os meios de subsistência. Dessa maneira, salvar vidas do coronavírus, dado o modelo de quarentena, está levando à fome. Em termos concretos, a pesquisa do PAM indica que mais 130 milhões de pessoas serão levadas ao limite da fome, porque o número total de pessoas em insegurança alimentar subirá para 265 milhões de seres humanos. Portanto, com base nisso e de acordo com os estudos do PAM, 300.000 pessoas por dia passarão fome no mundo, por pelo menos um período de três meses, ou seja, cerca de 27 milhões de pessoas passarão fome graças ao modelo de quarentena promovido pela OMS. Em resumo, tudo isso mostra que o remédio está sendo muito pior que a doença.
  5. Quarentena: um crime contra a humanidade Como apontam Ricardo Manuel Rojas e Andrea Rondón García no livro “A supressão sistemática dos direitos de propriedade como um crime contra a humanidade”, o estudo dos tipos de crimes contra a humanidade ou genocídios, de acordo com a definição em convenções específicas ou no Estatuto de Roma, adverte que esses crimes estão fundamentalmente ligados ao exercício de ações sistemáticas e violentas destinadas a eliminar ou suprimir certos grupos. Ao mesmo tempo, vale ressaltar que não apenas a agressão física direta pode constituir um crime contra a humanidade, mas esse objetivo também pode ser buscado e alcançado por meio de ações que não sejam diretamente violentas, como a supressão sistemática dos direitos de propriedade à um nível que impossibilite a subsistência da população. Nesse sentido, podemos ver claramente que a supressão sistemática dos direitos de propriedade pelo Estado implica remover a base de apoio econômico do indivíduo, que enfrenta um dilema existencial. Por um lado, defender sua propriedade enfrentando o avanço expropriador do Estado e que, no final, acabará com sua vida pela fome. Assim, o Estado acabará assassinando-o por um caminho indireto (e cuja transição poderia ser enquadrada como tortura). Por outro lado, a opção de ceder humildemente aos caprichos da hierarquia do Estado e, assim, tornar-se escravo. Portanto, no primeiro caso, o direito à vida é aniquilado, enquanto no segundo, o direito à liberdade. Dentro da lógica dessa análise, os casos mais rigorosos de quarentena, como o da Argentina, levam a um crime contra a humanidade. Assim, quando o Estado impõe quarentena, isso implica a supressão geral do exercício dos direitos de propriedade por grande parte da sociedade civil. Especificamente, o que a medida faz é suprimir completamente a renda das empresas, exigindo que elas continuem pagando impostos, sustentando o mesmo número de trabalhadores e não permitindo a redução de salários – o resultado de tudo isso simultaneamente é que, durante o processo, as empresas primeiro consomem capital de giro e depois usam as economias dos proprietários das empresas, que no final acabará quebrando as empresas e empobrecendo seus proprietários. Nesse sentido, não apenas há enormes danos a todas as camadas da sociedade resultantes da destruição de capital, mas também deixa o setor privado desamparado diante de um governo que está avançando com pretensões totalitárias. Portanto, o impulso de um modelo de quarentena extremamente rígida e por um período exageradamente longo não apenas permite o avanço dos governos sobre a vida da população com pretensões totalitárias, mas também que os governos se tornem verdadeiras máquinas de violação maciça dos direitos individuais e como, nessa tarefa, a violação dos direitos de propriedade é essencial para alcançar os objetivos, essas ações são alcançadas por várias das cláusulas do Estatuto de Roma e pelas leis internas que adotaram.
submitted by Mr_Libertarian to Libertarianismo [link] [comments]


2020.08.06 06:08 denesfernando Sou Babaca Por Querer Que O Namorado Da Minha Amiga Não Passe Mais A Quarentena Aqui E Volte Pra Casa Dele?

Olá Luba, editores, gatas e Turma. Essa história que vou compartilhar aqui é recente, ainda estou tratando em terapia, mas ela começa um pouquinho lá atrás.
Um ""pouco"" de background para situar a todos de onde tudo isso começou.
Em 2013 comecei namorar um cara que vou chamar de Karen, por ele ser muito, mas muito CUSÃO (inclusive, ele se parece muito com você Luba e por vocês serem tão idênticos, eu passei um bom tempo sem assistir o canal, pois não conseguia te ver sem lembrar dele). Mas, enfim, em 2015 ele e o grupo da faculdade dele decidiram morar todos juntos em uma casa perto da faculdade, pois estava exaustivo para todos trabalharem em pontos distintos da cidade (São Paulo, para se alguém quiser se situar).
Então, em janeiro de 2016, eles se mudaram e eu ia para lá aos fins de semana, até que acabei me mudando para a casa em Junho do mesmo ano, no dia do meu aniversário.
Pois bem, foi uma fase horrível da minha vida por causa do meu ex, terminamos em maio de 2017 e tive que sair da casa. Esse meu ex era um abusador, um aproveitador, a pior pessoa que eu poderia ter conhecido na minha vida. Os abusos psicológicos que ele cometeu comigo, afetaram totalmente minha confiança e em como eu viria a me relacionar com outros caras, fora as crises de ansiedade que eu arrasto até hoje.
Mas então, eu fiquei amigo dos amigos dele da faculdade e em especial da Karls que virou minha melhor amiga.
Em 2017 eles terminaram a faculdade e em 2018 o contrato da casa venceu e eles finalmente poderiam se mudar, áquela altura ninguém suportava mais olhar pra cara do Karen.
Então, foi nesse momento, que a Karls e o Akarls me chamaram para vir morar com eles numa nova casa. Sem o Karen. E hoje nós três vivemos como uma família feliz com os nossos pets.
2019
Eu conheci um cara, eu vou chamar ele de Lars.
Lars e eu começamos a trocar mensagens, se conhecer, nos aproximarmos. Até então, antes dele, todos os outros caras que eu acabei ficando, não davam certo, (tem muito gay problemático nessa cidade). Mas Lars foi diferente, conforme nos conhecíamos, ele ia transpondo todas as muralhas que eu usava como defesa, pois meu maior medo seria voltar para um relacionamento abusivo, tóxico e doentio.
Com o Lars eu fui bem devagar, realmente queria conhecer ele, pra ver se o que eu estava sentindo era o certo e se ele não iria me fazer mal.
Nesse tempo conhecendo ele, eu desabafava com Karls todas as minhas inseguranças, pois ela tinha vivido todo o meu drama com o meu ex, ela sabia dos meus medos, receios, inseguranças em me relacionar com alguém e ela me dava todo o apoio, pra poder voltar a acreditar e saber que nem todo mundo é igual o Karen, que na verdade eu dei azar com o Karen, mas que não seria assim de novo.
Depois de tantos embates sobre minhas agruras eu acabei me desarmando e me permiti começar algo com o Lars.
Um mês e meio depois, finalmente decidi trazer ele em casa, para conhecer meus amigos e 😏.
Então, foi nesse fim de semana de novembro de 2019 que coisas aconteceram.
Depois de ficarmos, acabei aceitando os meus sentimentos por ele, pensei que depois de tanto tempo solteiro, passando por aventuras fracassadas com pessoas que não se encaixavam, onde a química só proporcionava uma reação inicial. Ali estava talvez o momento de poder compartilhar momentos com alguém.
Mas aquele início de sonho desmoronou muito rápido. No domingo quando ele estava pra sair para trabalhar, Lars me contou que iria para o Beto Carrero com um amigo. Fui pego de surpresa, pois ele não havia mencionado nada nas nossas conversas durante a semana.
Na época, Lars trabalhava como bartender numa cafeteria e reclamava de trabalhar muito, não ter finais de semana livres e só folgar nas segundas-feiras.
Como não tínhamos oficializado nada, nossa primeira vez foi na noite anterior e o fato de estar disposto a querer começar a construir uma relação tinha sido algo que eu havia arrazoado no meu coração, achei absurdo demais eu questionar porque ele não tinha me falado nada antes.
Tudo bem, ele iria no Beto Carrero com um amigo, logo após sair da cafeteria. Pegaria o ônibus na estação do Tietê no domingo a noite, passaria o dia no parque, já que a folga seria na segunda, e na segunda a noite ele voltaria e iria trabalhar na terça-feira de manhã. Eu, pelo menos, imaginei que seria assim.
Na segunda-feira, eu fui trabalhar normal, vi as fotos dele no Beto Carrero, os stories no Instagram aparentemente nada de estranho, mas a primeira coisa que me chamou a atenção foi o fato dele não ter postado um único story com o amigo, mas até aí, se eu encucasse com isso, seria uma atitude tóxica e eu não queria isso. Numa relação deve existir confiança.
Nós não nos falamos o dia inteiro, pois eu não iria ficar o importunando num passeio como aquele, que ele aproveitasse o máximo possível. Foi quando às 18:00 eu resolvi mandar uma mensagem para ele, já que eu estava saindo do trabalho.
A mensagem era mandando um "oi" e desejando que ele tivesse se divertido bastante e fizesse uma viagem tranquila de volta.
Foi quando ele me respondeu que não voltaria aquela noite, que ele iria para Balneário Camboriú com o amigo passear de barco. Eu fiquei completamente sem reação, foi um choque. Ele só reclamava de como o trabalho explorava ele, não era flexível e do nada, de uma viagem totalmente espontânea que aconteceu aleatoriamente pra aproveitar um dia de folga num bate e volta, surgiu uma folga no dia seguinte.
Eu não tive como não ser arrastado de volta para os tempos do Karen, onde eu fui trouxa por anos, onde ele matava aula pra transar na escada da faculdade, dizia que ficava até mais tarde no serviço pra não pegar trânsito, mas na verdade ia para dates furtivos de apps de pegação (inclusive tenho uma história ótima com relação a isso da época do Karen), enfim, meu cérebro e meu coração ligaram o sinal vermelho, as sirenes começaram a zunir no meu ouvido, a última coisa que eu queria era ser enganado como fui na minha última relação.
Voltando, Lars não falou mais nada depois disso, fui pra casa naquele dia. Na terça-feira de manhã, outro sinal de alerta, não tinha nenhuma mensagem no celular. Isso poderia ser irrelevante, se a gente não tivesse passado o último mês e meio, trocando várias mensagens e memes da hora que acordava até a hora de dormir. Me senti mal, a conversa tinha morrido da noite para o dia, fiquei angustiado, pois eu estava começando a gostar dele e aquilo mudou da noite para o dia.
Terça-feira se foi, ele em Balneário Camboriú, fotos e stories no Instagram se seguiram e nada desse amigo misterioso.
Finalmente, a noite ele estava voltando e mandou uma mensagem dizendo que estava exausto, mas estava voltando. Nesse momento, minha mente já tinha formulado mil e uma histórias, mas resolvi ser prudente, apesar da angustia que estava sentindo.
Foi difícil dormir aquela noite, na manhã seguinte, ele mandou uma mensagem dizendo que havia chegado, estava exausto, mas estava indo trabalhar.
Nossa conversa, já não era a mesma, algo tinha mudado, as palavras ou a ausência delas são um termômetro para o coração, escrever para outra pessoa é um ato de conexão e o nosso elo havia se rompido.
Foi quando resolvi confrontá-lo.
Segue abaixo a conversa no whatsapp:
[28/11 11:56] Denes: Desculpa, Lars.
[28/11 11:56] Denes: Eu não sei de fato o que aconteceu
[28/11 11:56] Lars: Pelo o que ?
[28/11 11:56] Denes: mas desde terça que eu sinto que nossa conversa morreu
[28/11 11:56] Lars: :(
[28/11 11:56] Lars: Eu que peço desculpas
[28/11 11:57] Denes: se vc puder me dar uma luz
[28/11 11:57] Lars: Questão de conversa tbm não sei ... :(
[28/11 11:58] Lars: Não quero ser cuzao contigo
[28/11 11:58] Denes: me diz o que tá acontecendo
[28/11 11:59] Lars: Gosto olhando no olho
[28/11 11:59] Lars: Gosto de vc
[28/11 11:59] Denes: talvez não haja olho no olho se eu não entender o que está acontecendo
[28/11 12:00] Denes: eu tb descobri que estou gostando de vc
[28/11 12:00] Denes: descobri de uma maneira bem ruim
[28/11 12:00] Denes: só quero que vc me diga
[28/11 12:00] Denes: sem medo
[28/11 12:02] Lars: Eu recebi uma ligação de alguém antes de viajar que me deixou balanceado
[28/11 12:02] Denes: prossiga
[28/11 12:02] Lars: Não gosto da ideia por aqui
[28/11 12:03] Lars: Mas tá bom ...
[28/11 12:03] Denes: por favor, agora que começou, não pare
[28/11 12:03] Lars: Pouco antes de conhecer vc eu tinha acabado um relacionamento ...
[28/11 12:03] Denes: hum
[28/11 12:04] Lars: E tipo ainda algo que me deixa balançado e tal ...
[28/11 12:05] Denes: entendi
[28/11 12:05] Denes: ah...
[28/11 12:05] Lars: E tipo não quero mentir pra vc
[28/11 12:05] Lars: Nem ser um cuzao contigo me entende
[28/11 12:05] Lars: Quero ser sincero sempre
[28/11 12:05] Lars: Não só com vc mas comigo mesmo
[28/11 12:06] Denes: então, o livro de Harry Potter que está com vc, foi um presente de um amigo meu que faleceu esse ano, será que posso pegar com vc na catraca amanhã da Santos Imigrantes
[28/11 12:06] Lars: Sim ... Claro ... Mas queria conversar mais com vc pessoalmente
[28/11 12:06] Lars: Se não se importar
[28/11 12:07] Lars: Tenho um presente pra vc
[28/11 12:07] Denes: eu vou me importar
[28/11 12:07] Denes: por favor, sem presentes
[28/11 12:07] Lars: Tudo bem :(
[28/11 12:09] Denes: amanhã as 8:30 te encontro na Catraca
[28/11 12:09] Lars: :( eu lhe entendo sabe ... Mas confesso que gosto de vc e queria que vc permanecesse na minha vida independente de qualquer coisa
[28/11 12:09] Denes: não será possível
[28/11 12:09] Lars: Tudo bem eu entendo vc ... :(
[28/11 12:09] Lars: Me desculpa
[28/11 12:10] Denes: te encontro amanhã na catraca sem falta
[28/11 12:21] Lars: Hj vc sai que horas do trabalho?
[28/11 12:24] Denes: Desculpa, Lars. Mas eu só pretendo te encontrar para pegar o meu livro. Não, temos nada para conversar. Você não me deve satisfações, justificativas ou esclarecimentos. Apenas o meu respeito. Mas, mesmo assim. Esse ponto final precisa ser colocado.
[28/11 12:25] Lars: Tudo bem eu entendo e respeito vc ... Falei de hj pq posso te entregar hj o livro
[28/11 12:25] Lars: Ele está comigo aqui no trabalho
[28/11 12:26] Denes: Eu saio às 18:00
[28/11 12:26] Lars: Posso te entregar hj o mesmo horário ... Na estação melhor pra vc
[28/11 12:27] Denes: Que horas na Santos Imigrantes vc vai passar por lá?
[28/11 12:27] Lars: Umas 19h a 19:30
[28/11 12:28] Lars: Mas espero a sua hora
[28/11 12:28] Denes: Okay, as 19:00 estarei lá
[28/11 12:28] Denes: Se chegar antes estarei sentado em algum dos bancos da plataforma
[28/11 12:29] Lars: Tá bom
[28/11 12:29] Lars: Sei o que vc vai falar ... Mas desculpas :(
Quando ele falou dessa ligação do ex e ficou balançado, eu senti uma enxurrada de sentimentos negativos, o tsunami de chorume que eram as mentiras do Karen voltando a tona. Todas as desculpas esfarrapadas, parecia que eu estava vivendo tudo outra vez.
Eu estava cego, na gana de não querer cometer os mesmos erros do passado, acabei sendo seco, duro e intolerante, condenando um pelos erros de outro.
Eu já tinha sentenciado dentro de mim que aquela viagem foi algo que ele tinha programado com o ex e que tinha ido com ele e que eles tinham se acertado e que ele queria me manter como step se nada desse certo. Enfim…
Nesse mesmo dia, fui buscar o meu livro (um fato curioso, esse livro que foi presente de um amigo que veio a falecer em 2019, foi um presente pra me lembrar o quanto eu sou uma pessoa corajosa, era a edição de 20 anos da Pedra Filosofal nas cores da Grifinória e dentro ele escreveu a famosa frase da Luna "As coisas que perdemos sempre acabam voltando para nós. Mas nem sempre na forma em que pensamos." https://imgur.com/a/ebJFd2U
Ironicamente, quando paro pra olhar isso em particular, penso na grande ironia de tudo.
Eu cheguei antes na estação, fiquei esperando, sentado num banco na plataforma, vendo vários trens passando, várias pessoas descendo na estação vindo depois de mais um dia de trabalho. A minha ansiedade estava a mil, eu queria chorar, estava angustiado com tudo aquilo, pior, sem entender como "tinha cometido" o mesmo erro outra vez.
Ele chegou uns 15 minutos depois, estava com o livro na mão, eu peguei o livro e então ele me estendeu os braços pedindo um abraço, fiz com ele o que eu devia ter feito com o Karen, olhei para ele com a minha pior cara de desgosto e nojo e falei "Adeus", virei as costas e deixei ele lá.
Hoje, não me orgulho do que eu fiz, sinto vergonha quando penso, mas para que vocês entendam aquele gesto, mesmo ele não sabendo, era algo traumatizante, no término com o Karen, quando coloquei minhas malas e meus livros no táxi, ele chegou até mim e na maior cara de pau, na sua maior interpretação pra burguês ver, ele me pediu um abraço e o trouxa aqui cedeu esse abraço, então ele sussurrou no meu ouvido "Sou eternamente grato por tudo o que a gente viveu e você vai sempre poder contar comigo para o que você precisar" e quando eu precisei o que eu ouvi? "Não tenho obrigação nenhuma de te ajudar."
Quando eu saí da estação, bloqueei o Lars em todas as redes sociais, Facebook, Instagram, Whatsapp e até o número dele pra ele não me mandar SMS ou ligar. Não queria nunca mais ouvir falar dele pelo resto da minha vida.
Alguns dias se passaram e a Karls me contou que Lars havia mandado mensagem para ela no Instagram dizendo que estava preocupado comigo, queria falar comigo e eu irredutível falei que nunca mais queria saber nada a respeito dele.
Então ali eu tinha colocado uma pedra em cima desse assunto, vida que segue.
Dezembro de 2019
Karls é uma garota muito linda, mas em todos esses anos de amizade ela só se envolvia com os piores caras do Tinder, uma fase da vida dela que fazemos piada, mas que se você olhar atentamente, era bem triste.
Ela tinha o sonho de conhecer um cara bacana, compartilhar momentos, viver toda aquela fantasia de namoro, dormir abraçada, assistir anime, cantar músicas da Disney e cozinhar todos os pratos possíveis de todos os programas de culinária que existem no mundo.
Depois de anos, esse cara apareceu. Vamos chamá-lo de Darls.
Darls é um cara super carismático, que faz amizade por onde ele passa, falador, contador de piada, solicito, uma pessoa que todo mundo iria adorar ter como amigo.
JANEIRO 2020
Parecia que Darls sempre esteve nas nossas vidas, Akarls e eu o recebemos de braços abertos, pois víamos o quanto ele fazia Karls feliz.
Logo ele começou me pedir dicas e mais dicas de coisas que fariam a Karls feliz e nesses 5 anos de amizade eu era a pessoa que mais sabia de tudo o que a Karls gostava.
FEVEREIRO 2020
Eles oficializaram o namoro, (meio rápido, mas…), então ela entrou numa tour para conhecer todas os amigos dele, pois ele queria apresentar a namorada para as pessoas importantes na vida dele.
Darls mora a 35km de distância, num bairro distante, 2 horas de viagem no mínimo, mas ele sempre estava vindo passar mais tempo aqui.
MARÇO 2020
Pandemia chegou, isolamento social foi instaurado, pessoas em casa. Eu sou editor de vídeo, então estou trabalhando em casa desde que esse inferno começou. E quem acabou vindo para cá, também? Exatamente, Darls.
A companhia dele era agradável, e por vermos Karls feliz, nada objetamos, aceitamos naturalmente a estadia dele aqui. Mesmo que nunca tenhamos conversado isso entre nós, foi natural olharmos para a felicidade dela.
ABRIL 2020
Um mês de quarentena, eu sou uma pessoa ansiosa. Solteiro que passou da barreira dos 30, já havia sentenciado que não conheceria ninguém e morreria só, pois já estava sem esperança de conhecer alguém em um mundo sem um vírus mortal, imagina em um mundo onde estar perto 2 metros de alguém pode ser sua sentença de morte.
Eu comecei entrar numa crise terrível, comecei trabalhar demais, a fazer 12 horas de trabalho por dia e no meu tempo vago eu comecei a assistir todos os filmes e curtas gays já foram produzidos no mundo. E nisso, fiz a burrada de assistir um filme que superestimei por anos.
Brokeback Mountain.
'O que eu fiz da minha vida?'
Eu fiquei tão mal, mas tão mal, que naquela noite eu fui dormir chorando e os dias que se seguiram eu tive tanto remorso pelo final daquele filme, que certo dia eu comecei chorar na frente da Karls e do Darls enquanto a gente almoçava.
No final de abril, meu tio implorou que eu fosse na casa dele, pois estava tendo um problema entre minha mãe e minha irmã e ele estava preocupado da minha mãe acabar se metendo em um avião e vindo pra São Paulo no meio de uma pandemia. Fui, como se eu já não estivesse colapsando, ainda tinha que resolver o problema de outras pessoas.
Naquela semana, eu assisti um vídeo, tenho 80% de certeza que foi no LubaTV os outros 20% acho que foi no canal do Henry Bugalho, que falava sobre perdão, algo do tipo "se não perdoamos, do que adianta pedirmos desculpas" e eu já estava muito reflexivo.
De noite, eu estava no apartamento do meu tio, quando recebi uma notificação de que alguém tinha me seguido no Twitter.
Abri a notificação e vi que era o Lars me seguindo quase 6 meses depois. Ele não tinha twitter e tinha criado uma conta por causa da quarentena.
Minha primeira reação foi bloquear ele, mas aí bateu aquele turbilhão de coisas acumuladas nessa quarentena. O final de Brokeback Mountain, a fala sobre perdão e um detalhe sobre o Lars que pesou muito, ele tem diabetes, acho que é um tipo raro, ele desenvolveu super novo, ele toma dois tipos de insulina, ele é grupo do risco.
Sentei no sofá e me perguntei, 'o que ele queria depois de todos esses meses? Ele não entendeu o meu "Adeus"?'
Pois, bem. Fui até o Instagram, desbloqueei ele e mandei a seguinte mensagem:
"O que você quer?"
Ele levou uma meia hora pra me responder, o 'digitando…' parecia eterno.
Resumindo, ele falou que se importava muito comigo, que eu marquei a vida dele, que nunca quis se distanciar de mim, que jamais foi a intenção me magoar com o que quer que tenha acontecido e que nunca dei a oportunidade dele se explicar.
E eu respondi, que não importava o que ele tivesse para me dizer, não ia mudar a opinião que eu tinha sobre ele.
Ledo engano, meus caros.
Fui dormir às 4 da manhã, tirei tudo de dentro de mim, tudo o que eu inventei na minha cabeça. Porque no meu relacionamento anterior eu ouvi tantas mentiras, que acabei jurando que qualquer um iria mentir para mim, era o único referencial que eu tinha.
Só para que vocês saibam, era realmente um amigo, as fotos que ele tirou junto com o amigo no Beto Carrero, foram todas no celular do amigo a folga da Terça-feira, o chefe dele estava devendo uma folga para ele e como ele não iria poder tirar essa folga a mais do que as que estavam previstas para Dezembro, o chefe deu a folga pra ele na terça para que ele aproveitasse mais um dia de viagem. E sim, o ex dele ligou, ele ficou balançado, pois eles tinham tido uma história recém terminada, mas ele me contou, primeiro porque eu insisti, mas também porque ele não queria mentir pra mim, já que eu tinha todo esse problema com mentiras, então ele queria ser honesto comigo desde o início e que nunca foi a intenção dele voltar com o ex, tanto que ele não voltou, ele queria estar comigo, e que mesmo tendo passado todo aquele tempo ele nunca tinha me esquecido e não tinha desistido de mim.
Eu falei para ele que não sabia como reagir a tudo aquilo, disse que não sabia se seria capaz de confiar nele. E que ele não tivesse esperança, mas que eu iria refletir sobre tudo aquilo.
Então eu voltei pra casa e compartilhei a história com Karls e Darls.
Karls ficou meio com o pé atrás, mas Darls me apontou os erros que eu cometi, me fez enxergar o quanto eu tinha exagerado pelo medo e desconfiança que eu tinha, que não tinha nada a ver com Lars e minha ficha caiu.
Agora, tudo o que me restava era o meu orgulho, eu precisava passar por cima disso.
Voltei a conversar com Lars, aos poucos, foi difícil no início, mas ele foi muito tolerante, eu expliquei que não estava sendo fácil voltar a conversar com ele, mas que compreendi que muito daquela situação era culpa minha.
Ele começou a me mandar mensagens de manhã e a noite, de bom dia e boa noite e esporadicamente algum meme. Foram duas semanas conversando quando houve a necessidade da gente se ver. Eu não sabia como iria reagir.
Sim, ele viria aqui em casa no meio de uma quarentena, mas antes que cresça os julgamentos, moramos próximo um do outro, ele viria a pé, sem pegar nenhuma condução e num horário de pouco fluxo.
MAIO 2020
Então comuniquei que ele viria aqui em casa para Karls, Akarls e Darls. Aparentemente, achei que todos tinham recebido a notícia de bom grado.
Ele veio, a primeira coisa que ele fez foi ir para o banheiro tomar banho, com Covid não se brinca. Depois, sentamos e conversamos, e mais uma vez, eu falei tudo de novo, dessa vez olhando no olho, colocando tudo a limpo, uma conversa franca, contei de todas as impressões que eu tive de tudo o que aconteceu, como a narrativa se construiu na minha cabeça e porque agi da maneira que agi.
Em contra partida, ele disse que estava tudo bem, disse que ficou muito chateado, mas os amigos dele conversaram com ele dizendo que tinha um motivo para eu agir como eu tinha agido. Ele me falou que nunca me esqueceu e queria ter uma oportunidade de conversar comigo e esclarecer as coisas, pois sabia que tudo tinha sido um grande mal entendido. Ele falou que mandou várias mensagens para a Karls, mas não obteve resposta. E quando ele me mandou o convite no Twitter, ele disse que seria a sua última tentativa de se aproximar de mim, se não desse certo, ele mesmo desistiria de tudo.
Ele passou três dias aqui em casa, eu não me abri tanto com ele com relação a isso, mas eu senti muito remorso por como as coisas aconteceram por minha causa.
Outra coisa, lembra na mensagem, quando ele falou que tinha um presente para me dar e eu falei que não queria? Ele trouxe o presente, ele guardou o presente todo esse tempo e disse que toda vez que via o presente, ele lembrava de tudo o que a gente viveu e a coisa que ele mais queria era me dar esse presente, que ironicamente ele comprou na viagem para o Beto Carrero.
Era um funko do Harry Potter, já que eu amo muito Harry Potter. (Não, não sou transfóbico, eu amo Harry Potter desde 2000). http://imgur.com/gallery/cah0Ry7
Ele voltou pra casa dele. Continuamos a nos falar, reatar laços, ter essa troca.
Compartilhei minhas impressões com Karls e Darls, eu estava relutante, desacreditado. As pessoas subestimam relacionamentos abusivos, mas a gente carrega coisas por anos, os estragos são terríveis, estava eu provavelmente estragando uma oportunidade de ser feliz por medo de ser feliz.
As coisas foram devagar, estávamos conversando de nossas rotinas na quarentena, ele o quanto sentia falta do trabalho e não aguentava mais assistir séries e eu o quanto estava trabalhando e engordando, já que editor de vídeo trabalha em casa, praticamos isolamento social antes disso "estar na moda" (✌️ salve editores do canal, eu juro que tô escrevendo essa história que já passa de 4 mil palavras, pensando se realmente o Luba lerá essa história na Turma-Feira, fico imaginando no trabalhão que vocês vão ter pra editar, se eu puder pedir, posta a Timeline pra eu ver como ficou no final, curto muito timelines [Sim, pra quem não entende, isso é meio creep]).
JUNHO 2020
Lars voltou, veio para estar comigo no meu aniversário, inclusive ele me presenteou com Find Me do André Aciman, ele disse que queria me dar a muito tempo, pois em novembro do ano passado eu estava lendo Call me by your name e eu estava namorando pra comprar o livro quando fosse lançado, mas não deu nem tempo dele poder comprar na época.
No meu aniversário, resolvi cozinhar para comemorar, fazer escondidinho de frango. Eu estava de folga e queria fazer algo especial para Karls, Darls, Akarls e Lars. Eu passei a tarde e começo da noite cozinhando e Lars me ajudando.
Então, aconteceu o estopim de todo o caos.
Karls e Darls desceram e viram que o escondidinho não estava pronta ainda, ela fechou a cara e disse "Nossa, ainda não está pronto?". Depois eles fizeram um sanduíche e comeram e subiram, bastou aquilo pra me entristecer, até entendo que ela poderia estar com fome, mas ela bater porta de armário e a porta da geladeira acabou todo o meu ânimo, me senti super mal.
Comi aquele escondidinho triste, o clima na mesa estava tenso e na boa o que era pra ser uma comemoração no que eu acreditava ser entre família, foi a porcaria de um jantar de aniversário que eu perdi tempo fazendo.
Lars voltou pra casa dele, continuamos nos falando e estreitando os laços, aproveitando a companhia um do outro, e finalmente no meio de toda essa situação de merda que estamos vivendo no planeta, senti uma esperança de que talvez tudo daria certo, pelo menos uma vez.
Mais uma vez, ele veio passar o fim de semana aqui em casa, e foi divertido, assistimos filme, contamos piadas e o melhor, eu estava podendo dormir abraçado com ele, por a cabeça no travesseiro e não me sentir só.
JULHO 2020
O mês do caos, eu odeio Julho, por tantos motivos, sério. Eu tenho inúmeras histórias de desgraças nesse mês que PQP (Gif da Xuxa).
Lars me mandou mensagem dizendo que ele teve uma briga terrível com o sobrinho dele, na briga eles só faltaram sair na porrada, ele falou que estava mal por estar na casa da irmã dele e por toda essa indisposição com o sobrinho que tem 18 anos e é um completo folgado. Ele disse que iria procurar um lugar pra ficar, mas até lá, ele perguntou se poderia ficar aqui até encontrar esse lugar.
E como eu já fui colocado pra fora de casa pelo meu tio e me vi sozinho, eu sei o quanto é importante ter alguém pra estender uma mão amiga nessa hora.
Eu respondi que sim, mas que ia comunicar o Karls e o Akarls. Expliquei a situação Lars e eles falaram que tudo bem.
A Karls começou a fazer um freela permanente em um grande estúdio aqui de SP, então ela já não estava ficando em casa e quando estava, ficava a maior parte do tempo com o Darls, que ficou aqui em casa, mesmo ela trabalhando regularmente, já que as coisas estão flexibilizadas por aqui.
A princípio, Lars ficaria aqui até dia 10, ele tinha acertado de ir morar com um pessoal que ele achou num grupo do Facebook, mas o lugar onde esse pessoal ia morar não deu certo, pelo o que ele me contou, foi lance com a Porto Seguro, ele ficou decepcionado, porque os meninos eram legais. Então, ele voltou para a busca de encontrar um lugar pra ficar, eu inocente disse que ele poderia ficar o tempo que precisasse.
Interiormente, eu queria me redimir por toda a injustiça que foi o nosso início, queria fazer certo dessa vez, pois ele estava sendo bom pra mim e eu nunca tinha tido isso, esse convívio.
Enquanto ele estava aqui, comecei a ter companhia para o almoço, passei a comer direito, já que ele é obrigado a comer certo por causa da diabetes, eu estava até me alimentando nos horários certos. As noites assistíamos séries abraçados, até a hora de dormir. Parecia um oasis no meio de todo esse inferno que estamos vivendo, por um único instante eu esqueci de tudo de ruim.
Nesse período, ele estava procurando vários quartos, mas só encontrava cativeiros sendo alugados por mercenários.
Conforme o mês ia passando, Karls estava bem estressada com tudo e quando estava todo mundo na cozinha, ela parecia evitar querer falar com ele. No início, eu pensei que fosse TPM ou alguma coisa em particular dela com Darls.
Mas eu tive certeza que era alguma coisa com o Lars, no dia que estávamos jantando e ela veio informar que o botijão de gás tinha acabado e ela tinha comprado um novo, mas ela insinuou que estávamos cozinhando demais. Eu fiquei, sem reação, pois não esperava por aquilo, como eu falei, ela e o Darls estavam fazendo todas as receitas que existiam na internet, como que o Lars 10 dia aqui era a causa do botijão ter acabado?
Então aquilo começou a ficar espinhoso e o meu erro foi não ter confrontado. Eu comecei a me sentir acuado com o Lars e não sabia o que fazer, ele já estava numa puta situação frágil por ter saído da casa da irmã por indisposição com o sobrinho e a coisa que eu mais queria era que ele se sentisse confortável na minha própria casa.
No meio de tudo isso, ele voltou a trabalhar e eu passei a acordar cedo junto com ele, pra tomar café e abrir o portão pra ele poder sair, num desses dias, eu levantei e fui no banheiro e enquanto eu usava, a Karls bateu na porta perguntando quem é que estava lá dentro de uma maneira meio ríspida, no caso era eu, mas o Lars viu a situação toda, ele não me falou, mas eu reparei que ele parou de tomar banho de manhã antes do trabalho. Dizia ele que o banho da noite era suficiente.
Depois, ele parou de tomar café da manhã, disse que tomaria café na cafeteria que ele trabalha.
A próxima coisa que aconteceu foi um dia que eu estava na cozinha e fui informado que Karls e Akarls decidiram que não iríamos mais fazer as compras de mercado juntos. E que só manteríamos os produtos de limpeza e higiene e que o resto era cada um por si.
Confesso, que na hora não compreendi o que estava acontecendo, eu estava muito desligado, na verdade não acreditava que os meus amigos estavam me excluindo por causa do Lars, eu estava sendo ingênuo, pois não imaginaria que aquilo estava acontecendo.
No meio desse caos todo, Lars, virou pra mim e disse que a irmã dele pediu que ele fosse na casa dela. Então ele iria direto do trabalho e dormiria lá no sábado para o domingo, já que estaria de folga e voltaria pra cá no domingo a noite.
Só que ele não voltou, ele disse que a irmã dele pediu para que ele dormisse lá mais uma noite. Pensei, okay, ele vem então amanhã direto do trabalho pra cá, mas aí ele não veio na segunda, foi quando o peso de tudo bateu.
A essa altura eu já estava angustiado com tudo aquilo e direcionei minha frustração para o lado errado, em vez de confrontar quem estava causando toda essa situação insatistória, eu cobrei dele, porque ele não estava aqui. Perguntei, porque ele não queria estar mais aqui. Ele falou que queria. Então, eu perguntei porque o domingo, virou segunda e agora a segunda virou terça? Ele hesitou, aí eu perguntei se era por causa da Karls e ele disse que só não queria incomodar ninguém.
Eu fiquei mal, por ele se sentir mais incomodado na minha casa do que na casa da irmã dele com o sobrinho folgado que estava fazendo da vida dele um inferno.
Fiquei desapontado, ele veio na quarta, conversei com ele, disse que iria conversar com a Karls sobre toda essa situação. Mas já era tarde.
Era a última semana de Julho, e antes mesmo que eu pudesse conversar com a Karls, Akarls chegou dizendo que não dava mais para dividirmos a conta de água como estávamos fazendo, por 3, teríamos que dividir por 5, já que a conta ficou mais cara.
Na sexta-feira daquela semana, Lars encontrou um quarto numa casa que ele meio que alugou as pressas e ele se mudaria na primeira segunda de agosto. Quando eu pude confrontar Karls, no sábado, sobre tudo aquilo, já era tarde. Falei que fiquei chateado deles quererem repartir a conta da casa por 5 com o Lars pelo mês que ele passou aqui, mas isso nunca foi nem cogitado nos 5 meses do Darls aqui. Falei que fiquei decepcionado por ela não ser capaz de enxergar a minha felicidade. Por não ser capaz de ver o quanto eu estava feliz, como eu enxerguei a felicidade dela com o Darls e o recebemos de bom grado dentro de casa por causa da felicidade dela. Disse que foi muito cômodo pra ela ter alguém pra poder dormir junto, assistir coisas juntos, ter os momentos a dois e quando eu pude ter o mesmo, ela não olhou para mim com os mesmos olhos.
Enfim, Lars se mudou, tomei esse tempo que poderia estar assistindo uma série com ele para escrever tudo isso. Angustiado e decepcionado. Darls não tem culpa de nada do que está acontecendo, mas agora acho completamente injusto ele estar aqui e o Lars não estar, não sei o que fazer, minha vontade é de falar, "acabou a quarentena para os dois, pode voltar para sua casa". Me sinto injustiçado e triste por alguém que eu amo tanto, não ter sido capaz de enxergar que eu estava feliz. É isso, estou esperando a próxima sessão da minha terapia e Karls e Darls estão lá no quarto dela e eu estou só.
E para finalizar, essa foi minha conversa agora a pouco com o Lars.
Lars https://imgur.com/gallery/PRrxEI6
submitted by denesfernando to TurmaFeira [link] [comments]


2020.08.03 06:01 Little_IcePrincess O DIA EM QUE EU COM NOVE ANOS MILITEI E ENFRENTEI A PROFESSORA DRAGÃO QUE HUMILHAVA OS ALUNOS

Hello Luba, gatas lindas e divas, turma que está a ler ou ver, espíritos dos falecidos papelões, e convidado presente ( ou seja ninguém), perdão se a história ficar confusa, só de lembrar me sobe o ranço.
Eu venho de uma longa linhagem de mulheres barraqueiras, então eu tenho esse dom no sangue. Quando eu comecei a estudar, ou seja entrei no primeiro ano, minha mãe me colocou numa escola de freiras, ela sempre foi muito religiosa, eu naquela época era muito quetinha então nunca se teve reclamações minhas ou quaisquer coisa do tipo, porém com o passar dos anos, eu já estando no terceiro, entrou uma professora nova no lugar, chamada Carlsmila, não vou expor mesmo querendo, incrível como todas as Carlsmilas da minha vida servem pra me estressar, que dava aula de português, matemática, geografia e história, essa professora desde o início se mostrou meio estranha, fazia piadinhas de mau gosto com os alunos tipo " Você é lerdo ou tem problema?" Essas coisas assim, todos tinham muito medo dela, então nunca falavam nada, eu não gostava daquilo, porém minha mãe sempre me disse que deveríamos respeitar as professoras, então eu ficava na minha, porém essas provocações não tardaram para chegar em mim, já que eu nunca tive uma letra bonita, e nem nunca me importei em ter, então ela vivia me humilhando por conta disso " Isso aí não é letra de menina, onde já se viu um negócio feio desses? Você entende isso aqui?" E arrancava a folha do meu caderno e me forçava a escrever tudo novamente, então eu comecei a pegar ódio por escrever, ódio que eu tenho até hoje inclusive, e cada vez mais tento mais preguiça de fazer, sempre fui preguiçosa, mas eu nunca havia falado nada, tenho muita paciência eu acho. Porém um dia foi a gota d'água, estávamos uma semana antes das férias e depois delas teríamos as provas, e então a professora passou um quadro inteiro e mais um pouco só com os conteúdos que iriam cair de cada matéria, e eu preguiçosa já copiei aquilo quase morrendo, mas copiei ( grave isso). Fomos para as férias tudo bonitinho etc, quando voltamos tivemos aquela semana de coisas mais divertidas, brincadeiras etc, e depois já era a semana que antecedia as provas, e era aula dessa tal professora logo antes do recreio em plena segunda feira a professora entra na sala, não fala absolutamente nada, e enche o quadro de coisa e fala copiem Eu, que sentava na cadeira da frente, sempre fui muito baixinha em relação aos outros, olhei para frente e comecei a ler o que estava escrito no quadro, foi quando eu comecei a achar aquilo estranho, aí que eu descobri que tinha memória fotográfica kk, ei percebi que já tinha visto aquilo, voltei as páginas do caderno e vi exatamente as mesmas coisas escritas, eram os conteúdos que ela havia passado mais de um mês antes, e então se seguiu o seguinte diálogo: – professora! – hm? – você já passou isso, antes das férias, tá aqui no meu caderno – e o que que tem? – eh.. então não precisa copiar né, já que eu já tenho isso – claro que você vai copiar – porque? Eu já tenho isso no caderno! – mas esse tem as datas – então eu só coloco as datas do lado, eu não vou copiar isso tudo só por causa de data!
Foi aí que ela me olhou com aquele olhar que fazia trancar o cu de qualquer um naquela sala, bom qualquer um menos eu naquele momento – você vai calar a boca e copiar isso AGORA! Ela gritou comigo, todos estavam um silêncio olhando pra ela e pra mim, e eu com toda a coragem e sem um pingo de senso de sobrevivência, levantei da carteira muito irritada (eu desde criança tenho tendência a acumular emoções, seja tristeza, raiva ou ódio, então isso fica somando dentro de mim até chegar num momento em que eu explodo, foi o que aconteceu aí), joguei o caderno no chão e gritei: – NÃO!! NÃO VOU COPIAR NADA!, VOCÊ JÁ PASSOU ISSO, E EU JÁ COPIEI, NÃO VOU COPIAR A MESMA COISA DUAS VEZES POR QUE VOCÊ TA COM PREGUIÇA DE PASSAR OUTRA COISA!
Nisso era arregalou os olhos, e ficou quieta preenchendo uma fichinha pra entregar na direção sobre mim, pensa na cena eu com 1,20 gritando furiosa, deve ter sido Ilário kkk, depois disso me sentei e peguei meu caderno do chão. Depois de alguns minutos ela terminou de preencher a ficha e me deu falando pra eu ir pra diretoria, e peguei a ficha da mão dela e sai da sala chorando já pensando que minha mãe ia me bater, eu nunca fui de fazer confusão, então está com medo, mas aquilo havia sido a gota d'água pra mim, eu fiquei andando pelo colégio até dar a hora do recreio, não fui pra diretoria, e depois fui pra lá a pedido das minhas amigas, já que depois era aula da professora novamente, e eu provavelmente iria me ferrar, cheguei na diretoria já sem chorar e como uma anã de jardim revoltada contei tudo para a coordenadora e mostrei a fichinha que tinha ganhado, em que a professora tinha escrito que eu havia sido desrespeitosa e não queria copiar conteúdo importante, a coordenadora leu aquilo e perguntou se eu poderia levá-la até a sala e me mostrar o caderno onde estava anotado, dito e feito, fui com ela até a sala onde a professora estava sentada olhando algo, não me recordo o que, peguei meu caderno e não apenas dei para a coordenadora, eu fui na frente da sala e comecei a ler em voz alta os trechos que estavam no caderno e depois os mesmo trechos no quadro e finalizei falando a data, isso na frente de todos da turma e da professora, após isso dei o caderno pra coordenadora que chamou a professora para a sala dela e deixou uma estagiária cuidando a gente. No dia seguinte minha mãe foi chamada na escola, mas não foi para briga, a coordenadora a chamou para me elogiar, ela havia perguntado para alguns outros alunos sobre a prof Carlsmila, e tinha descoberto tudo o que ela fazia, as humilhações e o medo que dava em todos os alunos, e queria me parabenizar por ser a primeira que teve coragem de enfrenta-la, e pediu desculpas para a minha mãe pelo ocorrido. Pelo resto do ano a professora nunca mais fez piada com ninguém e nem me olhou na cara, e as pessoas que fazia bullying comigo por conta da altura pararam depois do meu escândalo, medo eu acho kk, e depois daquele ano nunca mais vi a professora na vida, fim.
Obrigada por ler <3 Perdão se ficou confusa, é meu terceiro dia no Reddit, tô me acostumando bjos kk
submitted by Little_IcePrincess to TurmaFeira [link] [comments]


2020.07.30 22:26 Tecnology14 Parece que minha vida está ruindo

Olá pessoal, tudo bem com vocês?
Minha história é longa e complexa, então vou dividi-la em sete partes.
Para começar, minha família, principalmente minha mãe, são um tanto abusivos, porém nunca percebi isso, pois antes de fazer meus 20 nunca tive contato com o mundo externo. Pois é, eu estudei em escola pública, me relacionei com outras pessoas, mas nunca fui incentivado a correr atrás das coisas, e nunca tive uma demonstração de confiança da minha família dizendo que poderia contar com eles. Minha mãe sempre conduzia conversas desconfortáveis querendo saber tudo sobre minha vida, e aconselhando, de uma maneira que não me deixava confortável, sobre o que fazer, porque meu pai era passivo. Pelo meu pai ser passivo, ela ficava muito frustrada e transferia essa frustração para a gente. Quando questionada, ela inventava justificativas sem pé nem cabeça para o que fazia. Tive algumas brigas com ela, e muitos desacertos. Ela me bateu por conta de guarda roupa bagunçado, porque ela vigiava meu guarda roupa. Me proibiu de certas coisas por conta do meu desenvolvimento, e acabou que me tornei um rapaz medroso, tímido, com desenvolvimento atrasado. Vida sexual? Iniciei com 20 anos apenas. Vida amorosa, só agora aos 23. A igreja logo se tornou um fardo, pois a gente ia, mas tínhamos que nos comportar da maneira que ela dizia que era o ideal. Aprendi a tocar violão, virou um prazer, mas a igreja também é abusiva, logo se tornou um desprazer que eu saí, que logo depois disso, as cobranças para voltar começaram em casa também. Minha irmã sempre apoiou o que ela dizia incondicionalmente. As fofocas dela contra a gente sempre existiram, do tipo, se contassemos algo para ela, ela saia espalhando por aí, ao ponto de humilhar-nos e expor nossas intimidades.
Depois disso, vi uma pontinha do mundo exterior, quando comecei a me abrir para ele. Fiz amigos, conheci pessoas, me forcei a falar com pessoas, porque eu sou do tipo que não puxava assunto, mas ainda era socialmente inepto como sou. O controle da minha mãe dura até hoje. Conheci uma pessoa com o qual quase tive um relacionamento que achava o meu relacionamento com a minha mãe algo totalmente fora do comum, porque eu não ia nos lugares que eu tinha vontade por medo da minha mãe proibir, por medo dela achar ruim. Percebi que eu cresci com medo, e por conta disso essa pessoa foi embora da minha vida. Conheci um dos meus melhores amigos, e até hoje ele me fala isso, pois vivenciou situação parecida. Talvez eu tenha perdido grandes acontecimentos na minha vida por medo. Mas isso mudou...
Conheci uma pessoa maravilhosa, com quem eu namoro hoje em dia. Abracei um pouco a mudança e sai da minha zona de conforto. Pela primeira vez me arrisquei a não ligar para o que falavam comigo ou do que iriam pensar. Vivo momento incríveis com ela e sei que é o tipo de pessoa que tenho que manter por perto por toda a vida. Mas tenho que inserir aqui uma comparação: se as discussões, brigas, repreensões, abusos haviam comigo, se tornaram piores depois que comecei a namora-la, ela já quase desistiu de namorar comigo por conta da marcação da minha mãe e minha irmã. As coisas foram melhorando um pouco em relação a ela, mas minha mãe continuava pegando no pé, e como ela bebia, as coisas eram ainda mais piores. Bêbados são uma merda e falam coisas sem pensar.
Minha mãe virou uma pessoa insuportável depois que começou a beber, falava coisas e não tinha filtro. Afirmava coisas das outras pessoas que ela nem sequer sabia sobre. Meu pai não aguentou, e foi ficando cada vez mais distante até que um certo dia, no primeiro dia que comecei em um novo emprego, ele saiu de casa e não quer mais saber da minha mãe. A vida pra ele melhorou muito, mas essa separação colocou os holofotes todos em mim. Uma vez que ele saiu de casa, minha irmã saiu também para prestar residência médica.
Depois que meu pai saiu de casa, minha mãe começou a ir na igreja novamente e parar de beber. Mas eis a questão, minha mãe já era uma pessoa insuportável antes de beber, e agora que eu namorava, toda semana eu tinha que ouvir falar mal da minha namorada e foram episódios que cada vez mais foram se intensificando. E eu era julgado por querer passar mais tempo com ela. As coisas ficaram ruins de novo a ponto do meu relacionamento quase ruir, de ela querer controlar até quais dias da semana eu passava com ela e falar mal dela na minha cara. Já não bastava quando eu estava presente.
Nessa terça não aguentei. Já estava muito chateado com toda essa situação e minha namorada a ponto de terminar. Foi só minha mãe vir falar comigo de novo, que daí eu estourei. Falei tudo que estava sentindo, porém foi violento e foi uma cena terrível de ser vista e vivida. E a casa enxurrada de palavras no rosto da minha mãe descia uma cascata de lágrimas. Eu estava com muita raiva no momento. No final de tudo, ela se vitimizou, perguntando porque eu estava fazendo aquilo com ela, me chamou de cobra e me mandou sumir ou ela sumia. Fui deitar naquela noite totalmente entorpecido, quando ela teve um surto psicótico de regredir ao momento que eu nasci. Esse surto durou uma hora, mas foi o suficiente. A nora de quem ela tanto falava mal foi a primeira a chegar para me ajudar.
Ela acordou no outro dia péssima, e não quer mais falar comigo. Eu disse tudo que precisava dizer, mas me enchi de culpa e de remorço das coisas que eu precisava dizer. Minha vida com ela está ruindo e acredito que as coisas possam não voltar ao normal, e acredito que não há lado positivo nessa situação difícil.
submitted by Tecnology14 to desabafos [link] [comments]


PRIMEIRA VIAGEM COM BEBÊ NA PRAIA + REAÇÃO COM AREIA E O ... A percepção: a primeira relação com a arte PRIMEIRA FAXINA DE 2020- POR: CASADA AOS 20 VIRGEM AOS 20 ANOS  Dora Figueiredo - YouTube A primeira relação sexual-21 de mar 2015 MORRE TIA DEZINHA.Ley COMO FOI A PRIMEIRA RELAÇÃO PÓS PARTO, RESPONDI TODAS AS DÚVIDAS !! PAPO CALCINHA  CASANDO AOS 20

'A minha primeira relação homossexual foi aos 18 anos, às ...

  1. PRIMEIRA VIAGEM COM BEBÊ NA PRAIA + REAÇÃO COM AREIA E O ...
  2. A percepção: a primeira relação com a arte
  3. PRIMEIRA FAXINA DE 2020- POR: CASADA AOS 20
  4. VIRGEM AOS 20 ANOS Dora Figueiredo - YouTube
  5. A primeira relação sexual-21 de mar 2015 MORRE TIA DEZINHA.Ley
  6. COMO FOI A PRIMEIRA RELAÇÃO PÓS PARTO, RESPONDI TODAS AS DÚVIDAS !!
  7. PAPO CALCINHA CASANDO AOS 20

Obrigada por assistir meus amores. Amamos vocês! Deus abençoe 💕 . . . INSTAGRAM: @oficialalequeiroz / No Período dos anos 20 para antes de Cristo, era tomado como um tabu. ... A primeira relação sexual-21 de mar 2015 MORRE TIA DEZINHA.Ley ... O homem regride e assim como aos índios tornam a ... a primeira faxina no apÊ novo depois da mudanÇa😰 - coloquei os tapetes - faxina pesada dani mendes - duration: 32:01. Dani Mendes Recommended for you 32:01 Espero que tenham gostado e se gostou não se esqueça de clicar em “GOSTEI” e de ser inscrever no canal de não for inscrito, para fazer parte dessa família maravilhosa ️ Para me ... COMO FOI A PRIMEIRA RELAÇÃO PÓS PARTO, RESPONDI TODAS AS DÚVIDAS!! - Duration: 16:39. ... FIZEMOS MACAXEIRA COM CARNE DE CHARQUE CASADA AOS 20 - Duration: 19:21. Casada aos 20 6,169 views. Aula de Filosofia - 4 ANO Centro Educacional Estrela da Manhã. Fundo Musical Para Orar, Ler , estudar, Meditar, descansar e Dormir, Sono Perfeito 2020 Cicero Euclides 847 watching Live now Tenho 20 anos e sou virgem! Bora falar sobre a idade certa para se perder a virgindade, 20 anos é muito tarde? Porque algumas pessoas perdem mais cedo ou ma...